Marvel Especial n° 5 – Surfista Prateado

silver-surfer

É uma edição antiga estrelada pelo meu querido herói amargurado. O gibi tem 128 páginas e foi lançado pela Editora Abril, em 1988.

Nela temos a introdução de Leandro Luigi Del Mantlo que se não me engano era o editor daquela época, em nosso país. Eu adorava quando Luigi escrevia nas revistinhas do Super-Homem respondendo na seção de cartas dos leitores, porque comportava-se como fã.

Voltando, Del Manto nos introduz ao sofrimento que era ser Norrin Radd, uma alma nobre presa num mundo que não lhe compreendia.

“A Invasão dos Monstros Invisíveis”, é nossa primeira aventura com arte fantástica do mestre John Buscema e roteiro do Excelsior Stan Lee (toda edição é feita pela dupla).

Se eu não estiver enganado houve uma fase em que ambos estavam trabalhando com o Surfista Prateado, mas foi durante os anos 60. Eu supnho que esse material seja, justamente daquele período.

O Surfista está no espaço inconsolável por sua condição de estar preso em nosso planeta. Então após uma chuva de meteoros, Radd retorna pra Terra.

Nosso herói desce num povoado q    uew parece ser no leste europeu querendo conviver entre os humanos, mas por ser diferente é taxado como um ser diabólico.

A história mostra o medo do ser humano repelindo aquilo que não conhece. Ao sair dali, o Surfista divaga sobre as motivações ganaciosas do homem e também sobre seu desejo por destruição.

Depois visitou a cidade grande sendo confrontado por um policial, por causa da forma como estava vestido. E um tumulto é formado na rua apenas por sua presença.

Angustiado, Norrin parte pro espaço velozmente, porém apesar de sua inúmeras tentativas não consegue atravessar a barreira cósmica.

Cansado pelo esforço recolhe-se  a doce lembrança de Shalla Bal e por mais incrível que possa parecer (ela também pensa no herói ao mesmo tempo).

O Surfista se afoga em pensamentos sobre os maiores problemas da humanidade tipo: a pobreza, o câncer, a tirania e o abuso de poder que gostaria muito de tentar resolver. Só que o ser humano teme sua figura julgando-o como uma grande ameaça.

E por falar em ameaça, o herói avista uma nave espacial que se torna invísivel pra nós. Tentando até avisar a população, mas um grupo o ataca impiedosamente fazendo-o ser preso.

Depois mesmo atormentado pela selvageria da espécie humana decide ajudar. Fugindo facilmente da prisão pra saber qual o propósito daquela nave estar aqui.

Ao entrar na espaçonave conhece a Irmandade Badon, uma espécie reptiliana. Eles tentam ludibriar o herói, no entanto uma refém conta-lhe a verdade que os Badon queriam conquistar nosso planeta.

Ela infelizmente é alvejada, porém o herói a mantém viva num campo de contenção de energia.

Os invasores prometem caçar o Surfista até que sua armada invasora chegue para dominar a Terra. Mesmo a humanidade não merecendo, Norrin a auxiliará contra os invasores.

Os Badon liberam um monstro também invisível no meio da cidade que suponho seja Nova York pra destruir o Surfista. A luta é excruciante pro herói, mas o detalhe é que só ele consegue ver a ameaça. Para o restante da população parece que somente o herói está destruindo a cidade.

As pessoas estão apavoradas, pois pensam que que o Surfista quer mata-los.

O Exército envia uma enorme ataque para exterminar com Radd, mas os misseis atingem a espaçonave invasora que foge.

Nosso herói aproveita a chance pra atrevessar a barreira, no entanto se lembra da moça que deixou num casulo de energia, se fosse embora causaria a morte dela.

Ao retornar encontra-a aina viva, mas ele não nota que havia sido seguido pelos militares que o atacam (mesmo com a moça na mira de tiro).

Sem que Norrin saiba a moça morreu e a culpa caiu sobre ele. Então, vemos o Surfista partindo desolado e incompreendido.

A história termina com a pergunta: “o que seria da humanidade se ele se voltasse contra gente?”.

O roteiro de Stan Lee é bom por causa disso. Norrin é um ser poderossíssimo, mas está atormentado por viver preso aqui em nosso planeta e não poder singrar o espaço para encontrar sua amada. Pra piorar sendo totalmente hostilizado por nós seres inferiores ainda tenta nos ajudar pra que evoluamos a um patamar melhor.

Só que a beligerância e a selvageria do homem não deixa que notem as atitudes altruístas do Surfista Prateado. A humanidade precisa quebrar este ciclo para que possa conquistar algo melhor.

A melhor parte nisso tudo é a arte de John Buscema que emoldura de forma primorosa toda essa carga dramática que presenciamos na história do herói.

al_b_harper

A segunda  aventura é “Para Salvar a Humanidade”, estamos no Edifício Baxter, sede do Quarteto Fantástico. Temos, Ben tomando banho e Reed barbeando-se quando soa ao alarme de invasão. Ambos correm pra saber o que houve e partem pro laboratório na companhia de Johnny e Sue.

Lá descobrem que o Dimensionador Espacial, um dispositivo poderoso foi roubado. O Tocha Humana parte atrá do ladrão voando mais perde suas chamas o atingir uma certa altura.

O Surfista roubou o aparelho que pode atravessar as dimensões querendo se libertar de sua prisão e mesmo disparando contra barreira algumas vezes (a arma não resiste explodindo). O impacto foi tão grnade que le desmaiou chegando até a ter devaneios com sua amada.

Radd acordou na casa de Al Harper, um cientista que o carregou pra lá. E mesmo confuso relata sua situação pro Harper que lhe oferece ajuda. Então disfarçado, Radd caminha entre as pessoas procurando emprego.

Tentou diversas vezes em vários lugares, mas ninguém lhe arranjou, principalmente, por causa de sua aparência. Tomado pelo desespero, ele tenta até roubar um banco, porém desiste ao pensar na loucura do ato que cometeria.

Quando estava voltando encontra um homem numa situação pior que a sua, pois estava com a esposa doente e  recorreu pro jogo de azar pra conseguir grana. Só que havia perdido tudo e depois quando descobriu os dados viciados para que perdesse foi surrado por alguns brutamontes.

O Surfista não pensa duas vezes indo pro salão e através de seus poderes consegue bastante dinheiro (limpando a mesa). É óbvio que vão atrás dele e espancam Radd, mas ele finge estar desmaiado. Um trio de capangas entra no carro partindo pra atropelar o herói mais o homem entra na frente quase sendo atropelado também.

É quando o Surfista intervém usando seu poder cósmico, depois divide a grana e parte em sua prancha. Harper consegue criar um aparelho para disfarçar a estrutura celular do herói afim de que possa atravessar aquela maldita barreira.

Só queos disparos despertam a atenção do Estranho, um personagem que atualmente está no limbo. No passado o vilão havia enfrentado os X-Men e a Irmandade de Mutantes (ambas as equipes em suas formações originais).

O Estranho ve a humanidade como um mal a ser exterminado e cria a Bomba Nulificadora. Ele conta sua intenção de destruir a Terra pro herói que mesmo a humanidade não merecendo a protege “novamente”.

Norrin voa velozmente deixando, Harper a par dos acontecimentos que vai até uma delegacia relatar tudo (e ninguém acredita nele).

Então ambos saem desesperados pra encontrar o tal dispositivo e o Surfista tem uma batalha feroz contra o vilão.

Ao mesmo tempo, Harper procura pela bomba, mas quando está quase perto de encontra-la. Uma multidão desconfiada acha que está envolvido na luta que acontece no centro da cidade. Al encontra a Bomba Nulificadora e morre desativando-a.

O Estranho ao saber do gesto altruísta de apenas um homem, decide deixar a humanidade sobreviver e parte pro espaço longínquo.

Ao Surfista resta apenas dar um enterro digno pra Al Harper que escolhe perder a própria vida pra salvar toda raça humana (deixando uma pira funerária queimando eternamente em sua homenagem).

Sem sombra de dúvidas está é uma história fantástica e fica entre uma das minhas preferidas de todas que já tive o prazer de ler.

Overlord-supersenhor

Pra fechar temos, “Em Algum Lugar do Futuro”, novamente atormentado por sua condição, nosso herói encontra consolo ao pensar em Shalla Bal. Ao mesmo tempo ela no distante planeta Zenn-La também sente sua falta.

Norrin vai até a casa de Harper encontrando algumas anotações e decide viajar no tempo. Seu feito tem êxito, mas avança muito pro futuro. Encontrando a Terra totalmente destruída e apesar de inconsolável quanto ao destino do homem ruma pro seu planeta só pra ve-lo também desabitado.

Pra qualquer lugar que vá a situação se repete e o Surfista fica vagando indo para num distante planeta com alguns seres primitivos (sendo atacado por eles).

Quando caiu desacordado não soube da intervenção dos servos do Supersenhor que entram numa nave enorme. O Supersenhor é um mutante gigante que conseguiu destruir o universo inteiro.

Norrin estava estarrecido com tamanho desprezo pela vida e ficou fascinado por uma dançarina que lembrava Shalla Bal. Por mero capricho, o vilão  a matou e o herói é derrotado pela incrível força do vilão.

Quando levaram-no pra ser destruído, um homem também vindo de Zenn-La salvou o Surfista. E assim lhe conta que o monstro surgiu durante uma explosão atômica, contudo somente os pais do Supersenhor tinham algum sentimento por ele.

Após suas mortes começou seu reinado de loucura e destruição (ambos são descobertos e o home é morto friamente).

Enfurecido e angustiado depois da morte do único ser que havia lhe ajudado, Radd viaja velozmente no tempo. Alterando o passado e retirando da existência aquele futuro apocalíptico.

No final o Surfista pondera se todos os acontecimentos que havia vivenciado realmente aconteceram ou foram furuto de sua imaginação.

O roteiro de Stan Lee é excelente repleto de filosofia em diversos momentos das histórias. A única coisa que fica chata de tão repetitiva é o sentimento de alma atormentada do Surfista Prateado.

Fora isso todas as aventuras valem a pena serem lidas.

Se você gostou deixe um comentário, mas se não gostou deixe um comentário também.

Anúncios

As Viagens de Gulliver

Gullivers_travels

O livro é considerado um dos grandes clássicos da literatura inglesa. Na verdade trata-se de uma aventura fantástica contada pelo escritor Jonathan Swift e foi lançado em 1726 (Gulliver’s Travels, em inglês).

A trama já começa com o naufrágio do navio em que Lemuel Gulliver estava viajando e sendo arrastado pra ilha de Lilliput. Seus habitantes são pequenos e viviam constantemente em guerra. É através dos lilliputianos que o autor faz uma metáfora quanto a realidade de sua época.

Durante a segunda parte, Gulliver viaja até Brobdingnag. É na terra dos gigantes que o herói descobre como os lilliputianos se sentiam quanto a ele. O escritor também faz uma outra metáfora ridicularizando a sociedade inglesa e enaltecendo a grandeza das pessoas comuns.

Na terceira parte temos a ilha Flutuante de Laputa e Swift critica a Royal Society, a conceituada academias de ciências inglesa (criticando ferozmente o pensamento científico).

Depois o herói encontra os Houyhnhm, uma raça de cavalos muito inteligentes que representavam os ideais iluministas da verdade e da razão. Eles tinham medo que alguém da raça imperfeita dos Yahoos se tornassem cultos.  Era uma sátira a humanidade, pois os yahoos se assemelhavam aos seres humanos.

Gulliver aprende sobre a cultura dos Houyhnhm e retorna pra Inglaterra pra ensinar sobre aquilo que vivenciou.

Nas várias versões de livros editados sobre Gulliver ao longo das décadas as vezes sua profissão é mostrada como médico cirurgião ou capitão de navio.

Ao longo dos anos foram feitas algumas adaptações sobre As Viagens de Gulliver na televisão, cinema, rádio, teatro e quadrinhos. Vamos conhecer algumas delas?

Georges_Melies

Le Voyage de Gulliver à Lilliput et chez les géants – Georges Méliès – 1902

O diretor visionário é conhecido por sua obra mais famosa Viagem a Lua também de 1902.

Nesta versão vemos porque Méliés ficou conhecido como pai dos efeitos especiais, pois as cenas duplas que mostram Gulliver interagindo com os lilliputianos “sugerem ser apenas uma só.

A história é bem simples mostrando a interação entre Gulliver e a corte dos pequeninos. A parte interessante é o colorido do cenário e também sua sofisticação.

Não sei se há mais cenas, pois isso foi somente o que eu consegui encontrar na web.

gulliver-fleischer-studios

As Viagens de Gulliver – Gulliver´s Travels – in Technicolor – 1939

Foi a primeira versão animada feita com o personagem. Destaco a qualidade assustadoramente incrível mostrada pelos Studios Fleischer. Os irmãos Dave Fleischer e Max Fleischer comandam respectivamente a direção e a produção.

A dupla é famosa por ter nos presenteado com a bela Betty Boop, o inesquecível Popeye, o Marinheiro e também o Super-Homem (uma das melhores versões do Azulão).

Apesar da qualidade inegável da animação a história é bem simples girando em torno do casamento da Princesa Glory e do Príncipe David. Pra mim há na verdade um tipo de Romeu e Julieta, pois Glory é uma lilliputiana enquanto David nasceu em Blefuscu.

A briga entre as nações é por causa da canção escolhida pro casamento e há também uma conspiração pra matar o herói.

Fiquei impressionado com a beleza dos cenários, a trilha sonora envolvente e também gostei da forma como mostraram Gulliver, pois devido aos seus movimentos “parece” até ser uma pessoal real.

Só pra constar essa versão surgiu como resposta ao sucesso Branca de Neve e os Sete Anões, da Disney lançado, em 1937.

gulliver-1960

As Viagens de Gulliver – The Three Worlds of Gulliver – 1960

É a primeira adaptação live action feita sobre o livro. Os efeitos especiais são feitos pelo mestre do stop-motion Ray Harryhausen e também temos uma ótima trilha sonora de Bernard Herrman.

Gulliver (Kerwin Mathews) é um cirurgião pobre que parte num navio em busca de riquezas. Elizabeth (June Thorburn), sua noiva deseja que fique para levar uma vida humilde, mas eles acabam brigando.

Na viagem durante uma tempestade Gulliver é levado pra Liliput (que mais parece ser na Índia). Ele foi amarrado, mas devido a sua boa índole conquista a confiança dos habitantes.

Porém quando arrasta os navios de Blefuscu e critica a tolíssima guerra entre as nações Gulliver é visto como traidor tendo que fugir. Então escapa pra Brobdingnag sendo encontrado pela menina Glumdalclitch (Sherry Alberoni). O rei deles decretou uma lei que todos os seres minúsculos seriam levados a corte.

A menina faz isso com Gulliver e lá reencontra Elizabeth que também havia naufragado, o matrimônio deles é realizado e ficam morando numa casa de bonecas. Após ter ajudado a rainha com ua dor de estômago, Gulliver é acusado de bruxaria por Makova, o primeiro ministro.

Mesmo explicando que trata-se de ciencia é decretada sua execução, porém a menina o salva. Então, Gulliver e Elizabeth retornam pra Inglaterra.

Mesmo não sendo uma das melhores produções de Harryhausen é um daqueles clássicos e nostálgicos filmes que ficam guardados na memória somente de quem assistiu.

hanna-barbera

As Aventuras de Gulliver – The Adventures of Gulliver – Hanna-Barbera – 1968

Nesta inesquecível versão, Gary Gulliver e seu cão Tagg sofrem um naufrágio indo parar na ilha de Liliputi. Como na história original, Gulliver foi capturado pelos lilliputianos, mas com o tempo torna-se amigo deles.

O herói estava a procura de Thomas Gulliver, seu pai que havia lhe deixado um mapa do tesouro escondido. E por causa deste tesouro, Gulliver sofria perseguição do malvado Capitão Leeck (que tentava roubar o mapa).

Os personagens secundários eram um caso a parte começando pela pequena Flitácia, filha do Rei Pomp que era completamente apaixonada por Gulliver. Eu adorava o inteligente Bunco e também me divertia bastante com Soturno (porcausa de seu tom resmungão e pessimista).

A série animada fazia parte do show dos Banana Splits e no total foram produzidos apenas 17 episódios.

Só pra constar, o programa foi exibido plea TV Bandeirantes há alguns anos atrás. Os Banana Splits, eram um grupo de atores fantasiados formado por Fleegle, um cão, Drooper, o leão, Bingo, o gorila e o elefante Snorky.

Nossa diversão sempre acontecia em meio a muitas trapalhadas e clipes musicais apresentando os desenhos Os Cavaleiros da Arábia, Os Três Mosqueteiros e também o seriado A Ilha do Perigo.

Espero que tenham gostado.

Imagens

z-uhura

Sexy Girls

Em minhas constantes viagens pela web sempre acabo encontrando diversos trabalhos espetaculares.

Confira na galeria abaixo imagens de algumas belas pin-ups sensacionais e também: Uhura, Jessica Rabbit, Holli Would, Daphne, Velma, Alice entre diversas outras musas que achei

star_trek_uhura_by_grantgoboom uhura_by_vagnerskyblue_by_kristherion

0-jessica1.0-wolly-hould1.112-snow-white3-thumbelina4-wendy5-Jaina-Solo6-MsIndy7-marajade

pin-up-by-kylle-lilley

8-arwyn_by_jeanx139-cavewoman10-attitude-by-lilflames11-whiteout_by_dreamerofexistence13

14-aline-célio-cardoso15-galinha atomica-célio-cardoso12-trefle1617-bloodrayne18-white_rabbit_by_ladyorange19-aphrodide_IX_by_dlazaru20-alice

2122232425262728-witch_halloween_by_didi_esmeralda29-woman_warrior_by_ariverkao30313233343536

pin_up_carmen_by_mackie85

373839-andrew-hickinbottom40-camille_by_dixidesigns

44-ebas

41-hot_summer_rangiku_by_hvond42-rapunzel_by_elias_chatzoudis43

massimo-carnevale

45464748alan-davisal-rioandromeda_by_neoartcoreArtikone_la_general_saiyajin_by_salvamakotobattle_bunny_riven_by_beaverocketBinary_by_Jolly_Jack__Colored_by_Alias_Sigmacybladeferdinand-kreozotFred_Beltranhellgirlnorse__the_gordon_sisters_by_james_lemay_graphixsorceress_and_wolf_by_james_lemay_graphixrobyn-hoodrubens-scarellitriple_threat_by_huggybear742violet_by_karanak

wallpaper-by-mro16

wallpaper-pretty_little_liars_by_phil_g_ramsay

wallpaper 1wallpaper 2-aoelia_the_soul_eater_by_jiyu_kazewallpaper 3wallpaper 4wallpaper 5

Viagem no Tempo – Segunda Parte

edge-of-tomorrow

É chover no molhado que esse tema da ficção científica é um dos mais abordados que já assistimos.

Como eu gosto demais do assunto posso comentar que dependendo da forma como é mostrada torna nosso passeio muito interessante ou até catastrófico.

Conheça mais alguns filmes que tive o prazer de assitir que tinha viagens no tempo

No Limite do Amanhã – 2014

A humanidade está travando uma extensa batalha contra uma raça alienígena conhecida como “mimetizadores”. Os millitares da OTAN criaram as Forças de Defesas Unidas, uma federação em conjunto de todos os países do mundo.

Há uma chance possível de vitória em Verdun, na França, porém isso não impediu que o inimigo dominasse boa parte da Europa.

William Cage (Tom Cruise), é um major que serve como assessor de imprensa da FDU promovendo a imagem de Rita Vrataski (Emily Blunt), uma oficial que matou diversos aliens no campo de batalha.

Os combatentes usam “Jackets” que são exoesqueletos mecânicos para auxilía-los durante essas batalhas. Cage havia sido enviado a Londres e após um desentendimento com o General Brigham é enviado pra guerra.

O grande problema é que ele não tinha nehuma experiência em combate (morrendo em sua primeira missão).

Então, Cage descobre que estranhamente está revivendo o mesmo dia diversas vezes e isso acaba virando um trunfo para encontrar Rita, a única pessoa que pode lhe ajudar pra vencer esta guerra.

A parte interessante são as mudanças sutis no dia-a-dia de Cage a cada período que se repete. No Limite do Amanhã é um filme instigante repleto de cenas de ação no momento certo e que te deixa empolgadíssimo com seu desfecho.

Só pra constar devido a esse longa, Emily Blunt estava sendo sondada pela mídia pra interpretar a Miss Marvel, porém ela disse que não estava a fim (preferindo interpretar outros tipos de filmes).

Sinceramente sua atuação ficou ótima e ela ficaria bem legal pro papel. Outra que os fãs estão implorando pra ser nossa heroína é a belíssima Ronda Rousey (vamos esperar pra saber o que o futuro nos reserva).

43

Um Século em 43 Minutos –  1979

Aqui a trama se inicia em Londres que anda num clima de pânico por causa dos crimes perpetrados por Jack, o Estripador (David Werner). Mais o escritor H.G. Wells (Malcolm McDowell) estava empolgadíssimo, pois queria mostrar pra comunidade científica sua última invenção uma máquina do tempo.

No entanto se o viajante não possuir uma chave a máquina retorna pro lugar de onde partiu. Em poucos instantes a polícia chega procurando o Estripador descobrindo que John Lesley Stevenson, um dos convidados que estavam lá era o tão cruel criminoso.

Só que Jack havia desaparecido feito mágica e Wells descobre que o vilão havia ido para no futuro, em 1979. Tomando coragem, o escritor parte para captura-lo e a parte interessante é ver como Wells fica deslocado neste mundo avançado totalmente dispare da época da que estava acostumado a viver.

Pra sua sorte acaba encontrando a bancária Amy Robbins (Mary Steenburgen), então ambos se apaixonam (e sua ajuda é fundamental pra conseguir deter o vilão).

Um Século em 43 Minutos mesmo com alguns furos no roteiro também é um outro clássico sobre esse assunto.

interestelar

Interestelar – 2014

Esse filme impactante é comandado por Chris Nolan, o diretor que deu um novo status quo pra franquia do Morcegão na telona.

Nesta história, infelizmente temos um futuro em que a humanidade consumiu boa parte de suas reservas naturais e o planeta está se acabando. Então um grupo de astronautas tem a incumbência de encontrar planetas que possam receber o que restou da população mundial.

Cooper (Matthew McConaughey) mesmo sabendo que “talvez” nunca mais veja seus filhos aceita tornar-se o líder desta importantíssima missão. Em sua tripulação temos Brand ( a belíssima Anne Hathaway), Jenkins (Marlon Sanders) e Doyle (Wes Bentley) que ao longo dos anos procuram salvar a humanidade.

Durante esse tempo que vai passando Murph, sua filha  (Mackenzie Foy quando pequena). E depois por Jessica Chastain na fase adulta num misto de ódio por seu pai e redenção também vira pesquisadora pra ajudar o mundo.

Interestelar é bastante emocionante pelo conflito demonstrado pelo crescimento de Murph e seu irmão com ausência de seu pai e pela ótima atuação de Michael Caine (Professor Brand) que também havia enviado sua filha nesta missão.

A melhor parte nessa história é como vemos a viagem no tempo sendo abordada (não vou explicar pra não estragar a surpresa de quem quiser ver).

doze-macacos

Os Doze Macacos – 1996

Aqui temos um delirante clima apocalíptico, pois um vírus mortal acabou com praticamente toda humanidade, em 1996. Seus poucos sobreviventes precisam sobreviver no subsolo.

No ano de 2027, James Cole (Bruce Willis) é um prisioneiro que serve como cobaia numa missão de voltar no tempo para que possa recolher informações sobre esse vírus.

Sua missão é encontrar uma cura, mas sempre quando retorna sua mente fica confusa com sonhos repetitivos no qual morre num aeroporto.

A parte ruim é que Cole vai para em 1990 ao invés de 96 como era planejado. Sendo preso e internato como louco pela Drª. Kathryn Railly (Madeleine Stowe).

Infelizmente é neste lugar que conhece Jeffrey Goines (Brad Pitt), um fanático que ajuda Cole em alguns momentos.

Os cientistas do futuro são muito estranhos e fazem até uma mensagem de voz para que Cole encontre o Exército dos Doze Macacos.

Os Doze Macacos não é um filme muito fácil de se compreender, principalmente, por causa de sua abordagem sombria do presente e também do futuro caótica no qual a humanidade vive. Mais a forma instigante que sua história vai sendo conduzida e mostrada pra nós é o que deixa qualquer um perplexo.

Recentemente o Canal Syfy transformou o filme em seriado, porém eu ainda não vi nenhum episódio da 1° temporada (e já estão indo pra segunda).

viajantes-tempo

Os Viajantes do Tempo – 2001

Depois de um filme mentalmente pesado comento sobre uma viagem no tempo muito divertida.

Jean Reno é mais conhecido por causa de seus filmes de ação como: O Profissional, Rios Vermelhos, Wasabi, Nikita entre vários outros. No entanto sua atuação em comédias também são divertidíssimas destaco: A Pantera Cor-de-Rosa no qual interpreta o inteligentíssimo, Detetive Gilbert Ponton (2006 e 2009).

Nossa aventura começa na Idade Média, quando temos os preparativos do casamento do Senhor Thibault (Jean Reno) com a princesa Rosalind, filha do rei. Infelizmente durante o banquete, Thibault é envenenado com uma poção que lhe causa alucinações. E assim matando sua futura esposa, pois acreditava tratar-se de um monstro.

Desesperado ele pede ajuda do mago para que lhe de outra poção a fim de voltar no tempo e salvar sua noiva.

Só que algo dá errado neste feitiço e vemos Thibault junto com Andre (Christian Clavier), seu fiel escudeiro indo pro futuro. E ambos surgem na Chicago, do séc. XXI tendo que conviver com as situações deste choque cultural com a vida moderna.

Para sua surpresa ambos vão para num museu e acabam presos. Porém conseguem encontrar a bela Julia Malfete (Christina Applegate) que se assemelha com a princesa Rosalind. Então, Thibault ajuda sua descendente dos perigos que Hunter (Matt Ross) estava preparando pra ficar com sua herança.

Os Viajantes do Tempo é um filme leve, divertido e com situações engraçadas que beiram o non-sense. Eu gosto demais do mago que demonstra ser atrapalhado pra caramba.

Só pra constar, Christian Clavier é um conhecido nosso das adaptações Astérix e Obélix contra César e também Missão Cleópatra.

E pra fechar, Os Viajantes do Tempos trata-se de um remake do filme Les Visiteurs, uma produção francesa que fez muito sucesso na década de 90.

Deja-Vu

Déjà Vu – 2006

Na trama, Doug Carlin (Denzel Washington) é um Agente Especial que trabalha pra ATF (divisão de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos ). Quando é convocado pra recuperar provas depois da explosão de uma bomba em Nova Orleans.

Ao mesmo tempo que descobriu tratar-se de um atentado criminoso, foi encontrado o corpo carbonizado de Claire Kuchever (Paula Patton), uma mulher que morreu antes da explosão.

Então, Carlin conhece uma equipe do FBI  que testa um equipamento que consegue a façanha de ver o passado (pedindo que investigue o passado da moça).

Ao se apaixonar por Claire, Doug terá ajuda pra poder solucionar o caso.

Déjà Vu demonstra ser um filme intrigante por brincar de maneira primorosa com o assunto espaço-tempo. Além é claro de mostrar aquela incrível sensação que todos nós tivemos pelo menos uma vez na vida.

Seja ao passar por um lugar ou conhecer uma pessoa inteiramente estranha de já conhecer, mas não se lembrar de onde ou quando (tudo isso salpicado com boas doses de ação na medida certa).

duas-vidas

Duas Vidas – Disney – 2000

Russ Duritz (Bruce Willis) é um conselheiro de imagem que tem uma vida profissional controladíssima e bem sucedida. Deixando que tudo seja resolvido por Janet (Lily Tomlin), sua atarefada secretária.

Até que inesperadamente qunado estava pra completar 40 anos, Rusty (Spencer Breslin), um garoto gordinho de 8 anos surge do nada em sua vida.

Russ encontra a si mesmo com uma passado traumatizante que havia feito questão de esquecer, mas isso o tornou um adulto frio e também mesquinho.

É claro que a convivência com Rusty foi uma grande confusão, porém devido ao tempo (ele acaba conseguindo ajudar o menino com seus traumas).

No entanto, vemos Rusty, influenciando seu casamento com Amy (Emily Mortimer) e também fazendo Russ se tornar uma pessoa melhor.

 Duas Vidas é divertido, emocionante e inesquecível trazendo uma importante lição do que é realmente importante em nosso viver, uma carreira bem sucedida, uma família que te ama ou vivenciar seus sonhos infantis?

Nesses filmes que fiz questão de citar a viagem no tempo se dá maneira diferente seja de forma psicológica ou por máquinas, porém sempre de uma maneira interessante.

Só pra fechar existem diversos filmes que discorrem sobre o tema, mas que eu não vou comentar (porque se não a lista ficaria extensa demais).

Aqui estão alguns que também já vi: O Click, Kate & Leopold, Timecop, De Repente 30 e Jornada nas Estrelas 4: A Volta pra Casa.

Enquanto outros, obviamente, eu não assisti, no entanto também deixo uma lista: Donnie Darko, Questão de Tempo, Meia Noite em Paris, Linha do Tempo, Te Amarei para Sempre entre outros.

Aproveite e veja este documentário muito bom sobre viagem no tempo que encontrei quando estava pesquisando sobre o tema.

E só pra variar deixe algum comentário.

Viagem no Tempo

de-volta-para-o-futuro

O primeiro filme da aclamada trilogia De Volta para o Futuro fez 30 anos recentemente e aquele skate voador de Martin McFly (Michael J. Fox) se tornou o sonho de consumo de vários nerds ao redor do mundo (incluindo este comentarista que vos escreve).

Se não me falha a memória a Nike fez o tênis que aparece no segundo filme tornar-se realidade.

Na franquia temos o inesquecível De Lorean, um carro que faz a incrível proeza de viajar pelo tempo através do Capacitor de Fluxo. McFly aprendeu que viajar no tempo pode ter consequências desastrosas.

O cientista Dr. Emmet Brown (Christopher Lloyd) explica de maneira primorosa toda teoria científca sobre o assunto de maneira simples. Não vou nem enumerar  as diversas coisas que eu adoro em De Volta para o Futuro, pois o assunto aqui é mostrar outros filmes que abordam viagem no tempo.

Bom, a viagem no tempo é um dos meus assuntos preferidos e mais fascinantes que existem na ficção científica. O assunto é um dos temas mais abordados nos quadrinhos, filmes, desenhos e livros.

Só pra constar, o excelente seriado The Flash causou um impacto tremendo na cabeça de quem estava acompanhando ao sabermos que nosso adorado e inteligentíssimo vilão Dr. Harrison Wells (Tom Cavanagh) havia modificado o tempo pra que o Velocista Escarlate surgisse (querendo retornar pra sua época).

E os produtores de novo jogaram uma outra bomba atômica pra nós fãs ao mostrar Jay Garrick (Teddy Sears), o Cometa Escarlate da Era de Ouro participando da segunda temporada.

O segundo episódio é uma homenagem a clássica edição Flash de Dois Mundos que inaugurou o Multiverso da DC Comics mostrando também a cena do muro na qual ambos os heróis estão no gibi.

Veja alguns filmes sobre este tema fantástico que consegui assistir

the-time-machine-1960

A Máquina do Tempo – 1960

É um dos maiores clássicos sobre o assunto que assisti na Sessão da Tarde há alguns anos atrás.

No séc. XIX, George (Rod Taylor) é um cientista que estava cansado das pessoas ignorantes que tinha a sua volta. Construiu uma máquina do tempo indo parar num futuro muito distante aonde a raça humana estava dividida em duas, uma na surfície com pessoas pacíficas enquanto no subsolo eram canibais deformados.

Só pra que pra retornar a sua época tinha que entrar no subterrâneo enfrentando as criaturas que estavam lá. Atualmente os cenários são paupérrimos, mas pra época foi uma produção caprichada.

Esse filme teve um ótimo remake, mostrando a aventura de Alexander Hartdegen (Guy Pearce), um cientista que ao perder Emma (Sienna Guillory), sua noiva num trágico acidente decide inventar uma máquina do tempo para modificar aquele acontecimento.

Ao retornar tentando salva-la infelizmente constata que o passado é imutável, então viaja pro futuro em busca de alguma resposta sendo aí que o filme fica interessante.

Gosto das diferenças entre os séculos que vão acontecendo sendo uma aventura que vale a pena ser vista pra quem gosta do assunto.

mib-3

Homens de Preto 3 – 2012

A interessante é que consegue misturar na medida certa ação com comédia. E fechando a franquia nesse filme vemos J (Will Smith) tendo que literalmente “saltar” no tempo pulando do alto do Empire State numa viagem para os anos 60.

Sua missão é salvar seu amigo K de ser apagado da existência e também evitar uma invasão alienígena nos dias atuais.

MIB 3 é um filme divertidíssimo se ainda não teve coragem de ver está perdendo seu tempo (piadinha infame essa!)

source_code

Contra o Tempo – 2011

Colter (Jake Gyllenhaal) é um soldado que participa de um programa experimental do governo. E sua missão é viajar no tempo para evitar uma enorme tragédia durante um atentado terrorista.

Colder acorda no metrô todo dia num corpo de uma pessoa completamente estranha pra ele.

Em sua missão acaba conhecendo a belíssima Christina Warren (Michelle Monaghan) que durante o percurso ajuda-o nessa situação.

O detalhe instigante é que a história cria um paradoxo temporal, pois eles revivem incessantemente o mesmo momento várias vezes.

Contra o Tempo tem o final mais surpreendente dos diversos filmes que já pude assistir quando se trata deste tema abordadíssimo.

feitiço-tempo

Feitiço do Tempo – 1993

Phil Connors (Bill Murray) é um repórter arrogante e desprezível que trabalha prevendo o tempo. Ele e sua equipe vão cobrir uma matéria pro Dia da Marmota, uma festividade famosa no estado da Pensilvânia, Estados Unidos.

Doido pra retornar pra casa por achar tudo aquilo muito entendiante, porém quando o despertador mostra 06:00, Phil é obrigado a reviver aquele mesmo dia várias e várias vezes. Um detalhe legal é que ouvimos a música I Got You Babe (talvez seja a versão original não sei, mas eu adoro aquela feita pelo UB40).

Voltando, devido a repetição, Phil perde as estribeiras tentando se matar de diversas formas para se livrar do fardo, contudo não consegue.

Então a partir do momento que aproveita seu tempo pra aprender diversas coisas como gastronomia, tocar piano, falar outras línguas e também ajudar aos outros começa a se transformar num ser humano melhor.

Devo destacar a beleza de Andy McDowel que se torna um motivo mais do que aprazível para ajuda-lo nessa mudança.

Em Feitiço do Tempo não há nenhuma máquina para faze-lo viajar, mas o filme funciona de uma maneira tão inteligente, quanto engraçada. Divertindo-nos muito durante sua exibição.

em-algum-lugar-passado

Em Algum Lugar do Passado – 1980

É um filme estupendo e maravilhoso estrelado por Chris Reeve, nosso eterno Super-Homem.

Na trama Richard Collier (Reeve) durante a estréia da sua primeira peça, em 1972.

Encontra uma senhora bastante idosa, que lhe entrega um antigo relógio de bolso e fala: “volte pra mim”.

Então simplesmente ela vai embora deixando-o aturdido. Alguns anos depois em Chicago, no inicio dos anos 80. Richard tentando terminar sua nova peça viaja indo parar no Grand Hotel.

Lá visita um Salão Histórico cheio de antiguidades ficando apaixonadíssimo pela fotografia de Elise McKenna (Jane Seymour), uma belíssima mulher e descobre ser ela a mesma que entregou-lhe o relógio.

Elise estava no distante ano de 1912, então Collier decide arranjar ajuda para viajar no tempo a fim de conhecer o grande amor de sua vida.

Em Algum Lugar do Passado é um filme romântico odiado por alguns críticos por causa de sua história inverossímel, mas trata-se de mostrar que o amor verdadeiro pode superar qualquer coisa (até o limite do tempo).

Destaco também a trilha sonora bem escolhida, o figurino da época e as belíssimas paisagens nele mostradas.

Bom, só pra constar no primeiro filme do Escoteiro Azul, nosso herói faz a Terra girar no sentido anti-horário para salvar Lois Lane que havia morrido num terremoto (mentira desgraçada, mas deixa pra lá).

Efeito Borboleta

Efeito Borboleta – 2004

Evan Treborn (Asthon Kutcher) sofre constantemente com apagões diversas vezes, sempre em momentos de muito estresse. Durante sua juventude e também na adolescência teve graves traumas psicológicos e sexuais.

Sua mãe levava-o num psicólogo pra ser tratado que lhe recomendou escrever sempre num diário (tudo que podia se recordar).

Anos depois, quando estava na faculdade a fim de ter momentos intímos com uma garota, ela acaba encontrando seu antigo diário. Evan ao ler certo trecho escrito viaja no tempo justamente para aquele momento.

Voltando pra sua cidade, Evan encontra Kayleigh Miller (Amy Smart) o grande amor de sua vida e seu invejoso irmão Tommy.

Intrigado pelos acontecimentos de seu passado obscuro viaja algumas vezes tentando resolve-lo, mas cria diversos paradoxos temporais com situações catastróficas para si mesmo.

Ao regressar dessas viajens, Evan se encontra num futuro divergente que lhe causa terríveis hemorragias nasais e danos cerebrais graves.

Efeito Borboleta aborda um tema perigoso como pedofilia, mostrando de forma primorosa a teoria do caos e as consequências de como alterar o passado podem afetar sua vida no futuro.

o-exterminador-do-futuro

O Exterminador do Futuro – 1984

Um inesquecível clássico do gênero, a franquia teve diversas sequências ao longo dos anos, mas o primeiro e o segundo pra mim são os melhores de todos.

Na trama dirigida por James Cameron, o soldado Kyle Reese retorna no tempo pra ajudar Sarah (Linda Hamilton), mãe de seu amigo John Connor.

Arnold Schwarzenegger interpreta o implacável ciborgue T-800 que também retornou pra aquela época para assassinar Sarah. No futuro Connor seria um importante líder da resitência contra o domínio das máquinas que desejavam exterminar com a raça humana.

A coisa que deu um nó em minha mente é que Reese molhou o biscoito com Sarah tornado-se o pai de John (loucura, loucra, loucura!).

Na sequência tivemos O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final lançado, em 1991. É um filme marcante também, por causa da evolução nos efeitos especiais ao mostrar o T-1000 (Robert Patrick), um androide avançadíssimo feito de metal líquido.

Fora isso é claro que nem preciso comentar que O Eterminador do Futuro 2 é um dos melhores filmes de ação de todos os tempos.

Temos a música-tema You Could be Mine, do Guns N’ Roses e aquela cena inesquecível pra mim do T-1000 elevando-se do chão. Sinceramente, não preciso comentar mais nada (quem não assistiu deveria ver só por curiosidade).

Mesmo não sendo um dos melhores filmes da franquia, O Exterminador do Futuro 3: A Rebelião das Máquinas apresenta uma única coisa interessante a presença da T-X (interpretada pela belíssima Kristanna Loken).

Fora isso é tudo muito repetitivo com algumas cenas de ação que não conseguem empolgar muito e no final ficamos ainda mais confusos de como será o futuro apocalíptico que a humanidade terá que vivenciar.

Só pra fechar, Robert Patrick participou do seriado excelente Arquivo X interpretando o Agente John Doggert. Há boatos fortíssimos na web que durante o ano que vem X-Files retornará com apenas 6 episódios pra deixar-nos com água na boca (vamos esperar pra conferir).

E Kristanna Loken participou de Mortal Kombat: Conquest como Taja e também protagonizou uma adaptação cinematográfica do jogo Bloodrayne, um filme que foi muitíssimo mal falado pela crítica.

Fim da primeira parte.

Robin Hood – Segunda Parte

Robin-Hood-Kevin-Costner

A história de Robin Hood antes do surgimento dos livros era contada na tradição das baladas medievais, depois vieram os poemas, passou pro teatro e ganhou o mundo com o advento do cinema.

O herói que rouba dos ricos e distribui aos pobres teve diversas adaptações ao longo dos anos (incluindo nesta lista gibis e desenhos também).

Só pra constar o Arqueiro Verde original teve como inspiração o lendário Robin Hood.

Conheça no texto abaixo mais algumas versões.

Robin Hood, O Príncipe dos Ladrões – Kevin Costner – 1991

Sem sombra de dúvidas também é uma das minhas versões preferidas de todas, pois tive a oportunidade de vê-la no cinema.

Ficou inesquecível pra mim ver aquela flecha voando e também o som da música-tema “(Everything I Do) I Do It for You”, do Bryan Adams que fez um enorme sucesso naquela época.

Kevin Costner estava em alta por causa dos filmes Silverado, Os Intocáveis e Dança com Lobos.

Sua atuação pra mim ficou marcante, pois devido a ajuda do mouro Azeem (Morgan Freeman) foi que aprendeu a manejar o arco e a flecha. A trama segue o tradicional com a morte do pai e o Xerife como seu pior arqui-inimigo.

Em Robin Hood, o Príncipe dos Ladrões há um leve contraste entre as cenas de ação com alguns momentos engraçados. Mais se destaca, principalmente, pelo inegável capricho de sua produção (tanto no vestuário quanto nos cenários).

No filme ainda podemos apreciar, Sean Connery surgindo como o Rei Ricardo e Lady Marian sendo interpretada por Mary Elizabeth Mastrantonio.

jovem-robin-hood

O Jovem Robin Hood – Young Robin Hood – 1991

É uma série animada americana/canadense produzida pela Hanna-Barbera e Cinar, em 1991.

No desenho, Robin é um adolescente, Ricardo Coração de Leão viajou pra sua “primeira cruzada” e o Conde Huntington, pai de Robin se juntou a ele nessa missão.

Logo, Robin entra em desacordo com os desmandos do Xerife de Nottingham e Príncipe João criando um acampamento na floresta de Sherwood junto com outros jovens.

Além de saber manejar muito bem o arco e a flecha, Robin possui um falção de estimação chamado de Flecha (usado pra passar mensagens entre ele e Marian).

Ao longo das aventuras a juventude de Robin é questionada, mas mesmo assim consegue frustar os planos de dominação do Príncipe John.

O herói recebe ajuda de: Lady Marian a única garota no grupo, é apaixonada pelo herói e serve como espiã pro rapaz, Little John, um amigo fiel, Will Scarlett, ladrão que adora criar armadilhas, Frei Tuck, um monge que questiona suas escolhas, Haggala, uma feiticeira e Alan-a-Dale, um menestrel romântico.

Também temos os vilões Príncipe John, um jovem malcriado que deseja ser rei a qualquer custo, Xerife de Nottingham, um homem áspero e notável espadachim e Gilbert de Gisbourn, tenente do xerife demonstra gostar da Marian (ela aproveita isso pra conseguir informaçãoes).

O Jovem Robin Hood  teve 2 temporadas, distribuídas em 26 episódios e terminado em 1992.

Robin_Hood_russell-crowe

Robin Hood – Russell Crowe – 2010

Dirigido pelo aclamado Ridley Scott (Alien, O Oitavo Passageiro, Gladiador e Blade Runner – O Caçador de Andróides).

Esta versão pretende ser a mais verídica “possível” sobre o mito, porém nela não há nenhum Robin Hood saltitante e feliz na floresta. Aqui a origem do herói é recontada, pois Robin Longstride é um arqueiro desertor fugindo das Cruzadas na companhia de Will Scarlett, João Pequeno e Allan A’Dayle.

Diante de alguns acontecimentos como entregar a espada de Robert Loxley que está morrendo para seu pai (na Inglaterra). Robin acaba se encantando por Lady Marian (Kate Blanchet), uma mulher atual perdida na era medieval. Há um certo patriotismo no discurso eloquente de Robin e também vemos seus atos heroicos contra o Príncipe John.

A trilha sonora é marcante, os cenários são grandiosos, mas não é a minha versão preferida. E se você gosta do mito é melhor nem assistir, no entanto veja somente pela curiosidade. Já que Ridley Scott e sua trupe foram ousados ao mostrar um herói que “talvez” poderia realmente ter existido.

Bom, merecem ser comentados Robin Hood, o Trapalhão da Floresta (1973). Engraçadíssima sátira a lenda do herói inglês estrelada pelos Trapalhões (Didi Mocó e Dedé Santana).

Também temos A Louca Louca História de Robin Hood, dirigido por Mel Brooks.

Nessa versão nosso herói é interpretado por Cary Elwes, Lady Marian por Amy Yasbeck e o Rei Ricardo por Patrick “Charles Xavier” Stewart. Subverteram totalmente a lenda mais a diversão é garantida, pois o filme é muito doido como está descrito no título.

robyn-hood

Robyn Hood – Grimm Fairy Tales

A parte interessante é que essa versão do lendário herói da Floresta de Sherwood é uma belíssima mulher.

A heroína foi criada por Patrick Shand e Larry Watts surgindo na edição Grimm Fairy Tales Presents Robyn Hood # 1.

No reino de Myst uma criança orfã que seria deixada pra morrer é levada pra Terra. A intenção era que fosse encontrada na porta de uma família teria uma vida melhor, mas infelizmente não é isso que acontece.

Essa família tem seus próprios problemas até que um dia a mãe de Robyn é encontrada morta e a menina vai parar num lar adotivo. Robyn vai crescendo de lar em lar e mesmo conseguindo estudar luta contra a opressão do sistema.

Na escola mete-se com o valentão do pedaço roubando seu carro e sendo punida com seu olho cortado. Enquanto isso na cidade de Bree sofre com um  tirano que comanda a tudo de forma severa e invocam de maneira desesperada um salvador.

Robin desaparece da prisão e surge em Myst tendo a missão de tornar-se uma salvadora daquelas pessoas.

Nessa versão Robyn Hood além de ter uma liderança natural também é incrível combatente, ainda possui algumas habilidades mágicas e claro que não poderia faltar sua enorme destreza no manejo do arco e flecha.

Eu nunca li nada desta personagem por aqui, mas bem que chamou minha atenção.

robin-anime

Robin Hood – Robin Hood no Daiboken – 1990

Este anime foi feito como uma versão adolescente do herói inglês.

Na trama a casa de Robin foi queimada a mando do Lorde Alwine. Então Robin e seus primos precisam fugir pra floresta e acabam encontrando o pequeno John que lidera um grupo de bandidos.

Robin se une ao grupo não só para revidar a tirania imposta por Alwine, mas também impedir que o bispo Herdfort adote a bela Marian Lancaster (ele deseja se apoderar da herança dela).

A mais recente versão do herói foi uma série animada feita, em 2014. Robin Hood (Robin Hood: Mischief in Sherwood), mostrando todos os personagens sendo jovens.

E pra fechar pelo visto ainda veremos várias outras histórias do mito sendo contadas, pois temos boatos de duas produções sobre o arqueiro inglês.

A primeira será Robin Hood: Origins que estará recontando sua história de uma maneira mais sombria. E a segunda que está sem previsão de estréia é Nottingham & Hood, da Disney que promete uma franquia que seguirá o mesmo estilo de Piratas do Caribe.

Eu não vou me enganar, porque os produtores estão querendo somente ganhar umas verdinhas neste processo todo.

Por mim espero realmente que consigam fazer algo interessante com o mítico herói, pois se sguir o estilo de Piratas haverá muita diversão e bastante aventura (basta apenas esperar pra podermos assistir).

Deixe algum comentário.

Faora

z-faora

Tanto na Casa de Ideias quanto na DC Comics temos diversas vilãs que obviamente detonam com a nossa imaginação entre as quais posso citar: Mulher-Gato, Hera Venenosa, Supermulher, Circe, Arlequina, Terra, Nevasca, Safira Estrela, Lince, Linha Viva, Mulher-Leopardo, Plastique entre diversas outras.

Então resolvi comentar sobre a mais recente bad girl que encantou a todos nós.

Faora Hu-Ul surgiu na edição Action Comics # 471 e foi criada pelo mestre Curt Swan e Cary Bates, em 1977.

Em sua origem, Faora era uma serial killer conhecida como “a inimiga dos homens”, pois seu ódio era voltado somente contra seus compatriotas masculinos.

Ela é mestre no Horu-Kanu, uma mortal arte marcial de Krypton. Além dos poderes que todo kriptoniano adquirem quando estão exposto aos raios de nosso sol.

A vilã também possui o poder de lançar raios psíquicos (causando imensa dor aos seus oponentes).

Faora foi presa e condenada a ficar 300 anos na Zona Fantasma após assassinar 25 kriptonianos. Sendo lá que conheceu e se aliou ao General Zod e Jax-Ur na intenção de fugir de sua prisão.

Mesmo conseguindo fugir o trio era novamente enviado pra ZF pelo Azulão.

Tivemos uma realidade alternativa criada por Brainiac 13, na qual Kal-El e Lois vão até Krypton sendo perseguidos por Zod e seus asseclas.

Então Faora e Kru-El são enviados numa missão para capturar o casal, porém ambos são assassinados por um grupo de religiosos ortodoxos. Essa aventura foi mostrada na edição Action Comics # 772, em 2000.

Durante a ótima aventura ‘Vidas Paralelas se Encontram no Infinito” mostrada na edição Super Powers # 17, da Editora Abril. Temos o surgimento da nova Supergirl, uma Lana Lang criada por Lex Luthor de uma realidade alternativa que era feita de protomatéria.

A heroína ressurgiu no Pós-Crise criada por John Byrne e veio pedir ajuda do Azulão pra enfrentar três criminosos kriptonianos que destruíram aquela Terra.

Entre eles estava Zaora como haviam assassinado cinco bilhões de pessoas, Kal-El agiu como Juiz, Juri e Executor. Primeiro usando a Kriptonita Dourada que remove pra sempre os poderes dos kriptonianos e depois com  Kriptonita Verde retirando suas vidas.

É claro que algo assim teve consequências terríveis na vida do herói tanto que é fato que ele se auto-exilou no espaço devido sua consciência pesada.

Na série animada do Super-Homem, da Ruby-Spears temos o episódio “The Hunter” em que Faora está presa na Zona Fantasma junto com Zod e Ursa.

Como curiosidade na excelente versão do Azulão, de Bruce Timm temos a kriptoniana Mala. Ela era uma criminosa presa na ZF seguidora de Jax-Ur (pra mim ambos eram versões de Faora e Zod).

Kal libertou Mala da Zona Fantasma ensinado-lhe a usar seus poderes aqui na Terra.

Inicialmente as intenções dela era ter um relacionamento com o herói, mas contra Mala já pesava algumas atitudes violentas e sua total intolerância com os seres humanos.

E só pra piorar, Kal já estava apaixonado por Lois resistindo aos encantos de Mala.

Então rejeitada planejou libertar Jax-Ur causando uma enorme reviravolta ao prender o Azulão na Zona Fantasma. É um dos melhores episódios dentre vários outros deste nostálgico desenho.

Bom, na série animada da Legião dos Super-Heróis, Faora surge no episódio “The Phantoms”quando os heróis da Legião estão presos na ZF.

Já no seriado Smallville, a vilã é mostrada como um fantasma que se apossou do corpo de Lois (Erica Durance) com a intenção de fugir da Zona Fantasma pra encontrar seu filho com Zod (Callum Blue). Depois Faora surge novamente, mas sendo interpretada pela linda atriz Sharon Taylor.

Por último a atriz Antje Traue interpretou nossa vilã na introdução do Universo Cinematográfico DC. Desta vez, Faora é segunda em comando no exército de Zod.

Além de ser completamente fiel ao seu líder, Faora age de maneira fria e cruel demonstrando uma grande destreza militar em combate (deu muito trabalho na luta contra o herói).

Eu não poderia de jeito algum deixar de homenagear a sensual Ursa. Nos filmes do meu querido Chris Reeve que foram dirigidos por Richard Donner.

Tivemos a inesquecível atriz Sarah Douglas que povoou de sonhos a imaginação de muito moleque na década de 80. Eu por exemplo sou um destes, pois não gostava da versão de Lois Lane feita pela Margot Kidder.

Só pra fechar Ursa obviamente era uma versão de Faora, mas ambas são duas personagens diferentes (na maioria das vezes até a editora se confunde tratando-as como se fossem uma só).

Ursa ressurgiu na continuidade da editora durante a edição Action Comics # 845, em 2007.

Confira na galeria abaixo algumas das mais perigosas e encantadoras vilãs da Distinta Concorrente que garimpei na web

0-faora

1-Action472 2-Faora

3-ursa_superman 4.0-sarah-douglas 4.2 5.1 5.2 5.3-mala 5-alex ross 6-harley-by-mike-debalfo 7.1-dc_girls_by_sakimichan 7-poison-artgerm 8.1-lorena_carvalho 8-amanda-waller 9-Superwoman 10-coelha branca 11-coelha branca 12-Katy_Perry_Madonna_HQ_Batman 13-Lady_gaga 14-Rihanna_HQ_Batman 15 16-4-d 17-yellow-peri alice-sombria atom Bad_Luck_Jinx_by_14_bis banshe prateada blackfire blitzkrieg caçadora-paula-brooks Cheshire_by_Overlander circe cisne-de-prata cupido Dark_Angel deidre_denis_by_idelacio delia_denis_by_idelacio Duela_(Titans_Tomorrow) eclipso-jean-loring Enigma Fatality Female_Furies giganta glorith imperatriz-esmeralda killer-frost lilith Lince_Jade_Cheshire livewire lyssa-drak mad-harriet-lindsay-hartley Magpie Mekanique mercy_graves mongal Morgaine_Le_Fay Mulher leorpardo mulher-maravilha-ponto-de-ignição nevasca Nocaute obsession-dana_dearden Paran_Dul plastique roleta safira-estrela Shifter ten_royal_flush_gang_by_johnnyharadrim terra Tess-Mercer-Cassidy-Freeman Tsukuri volcana wallpaper 0_faora wallpaper 1.1-ursa_by_garnufiax wallpaper 1-by-bruce-timm wallpaper 2-hera-venenosa-by-bruce timm wallpaper 3-elias chatzoudis wallpaper 4 wallpaper-circe wallpaper-spidergirl_by_torsor wallpaper-tala