Aviso Importante

duck-donald

Amigos leitores, infelizmente vou ter que dar um tempo nas postagens do ATZ!

Não estou conseguindo conciliar trabalho, casa e textos pro blog. Me corta o coração ter que fazer isso, porém tenho que ser sincero.

Está sendo muito difícil pra mim arranjar tempo pra me dedicar como eu vinha fazendo antes.

Ainda tenho muita coisa pra escrever, mas quando eu puder realmente voltar vocês saberão imediatamente.

Até breve!

Anderson Souza

Anúncios

Artista

purple_vixen_by_jfsouzatoons

Pin-ups

Há algum tempo atrás, numa galáxia não muito distante. Fiz uma postagem de pin-ups com artistas clássicos.

Pesquisando pela web encontrei outros desenhistas com trabalhos mais recentes.

Na galeria abaixo você pode contemplar a arte de: Atomic kirby, Gelipe, Jfsouzatoons, Kondaspeter1, Jhonny-manic e Promethean-arts.

atomickirby

atomickirby (1)10"x7" Front Greeting Card Templateatomickirby (3)atomickirby (4)atomickirby (5)atomickirby (6)atomickirby (7)atomickirby (8)atomickirby (9)atomickirby (10)

Gelipe

gelipe (1)gelipe (2)gelipe (3)gelipe (4)gelipe (5)gelipe (6)gelipe (7)gelipe (8)gelipe (9)gelipe (10)

jfsouzatoons

jfsouzatoons (1)jfsouzatoons (2)jfsouzatoons (3)jfsouzatoons (4)jfsouzatoons (5)jfsouzatoons (6)jfsouzatoons (7)jfsouzatoons (8)jfsouzatoons (9)jfsouzatoons (10)

kondaspeter1

kondaspeter1 (1)kondaspeter1 (2)kondaspeter1 (3)kondaspeter1 (4)kondaspeter1 (5)kondaspeter1 (6)kondaspeter1 (7)kondaspeter1 (8)kondaspeter1 (9)kondaspeter1 (10)

jhonny-manic

ninjaspartankx5 (1)ninjaspartankx5 (2)ninjaspartankx5 (3)ninjaspartankx5 (4)ninjaspartankx5 (5)ninjaspartankx5 (6)ninjaspartankx5 (7)ninjaspartankx5 (8)ninjaspartankx5 (9)ninjaspartankx5 (10)

promethean-arts

promethean-arts (1)promethean-arts (2)promethean-arts (3)promethean-arts (4)promethean-arts (5)promethean-arts (6)promethean-arts (7)promethean-arts (8)promethean-arts (9)promethean-arts (10)

 

Imagens

z

Transformers

Bom, todo mundo já está cansado de saber que os Transformers são máquinas inteligentes que podem se adaptar nos veículos que desejarem.

Mais um fato interessante é que o sucesso alcançado pelo desenho clássico foi tão grande que a Hanna-Barbera resolveu também lançar um produto similar.

Então surgiu a série animada Os Gobots e se não me falha a memória na minha época era conhecido dessa forma.

Só que ao pesquisar na web encontrei A Batalha dos Gobots (The Challenge of Gobots).

Continuando, Os Gobots também surgiram no Japão e foram uma linha de brinquedos que se transformam criada pela empresa Tonka. Esses robôs reaproveitavam o modelo dos brinquedos Machine Robo, da Popy (uma subsidiária da Bandai).

Eles fugiram de seu planeta vindo pra Terra aonde estão agindo disfarçados de veículos (eu já vi isso não sei em qual lugar?).

Pra promover os brinquedos a empresa criou o anime Machine Robo: Revenge of Cronos, que mostrava a batalha no distante planeta Cronos. Habitado por duas raças antagonistas que brigavam por causa de energia.

Pena que essa versão nunca veio pra cá, pois pelo que eu pude ver o anime realmente parece bom.

Então, a empresa Tonka adquiriu os direitos pra comercializar os Machine Robo na terra do Tio Sam. Reformulando os personagens e assim criando Os Gobots.

Não há diferença alguma na origem dos Gobots, pois é a mesmíssima que vemos em Transformers. Gobotron era um planeta que estava destruído após incontáveis guerras entre os Guardiões (heróis) e Renegados (vilões).

Então essa disputa veio parar aqui em nosso planeta. Os Guardiões eram comandados pelo Líder-Um (jato), Scooter (moto), Blaster (lançador de míssil) e Turbo (carro esporte).

Entre os Rengados temos Cy-kill (líder e motocicleta), Crasher (carro de corrida), Cop-Tur (helicóptero) e Pincher (jato alienígena).

Os Gobots tinha duração de 22 minutos, foram feitos 65 episódios, sendo produzidos até 1985.

Pra aproveitar uma nova linha de brinquedos assim que terminou o desenho foi lançada a animação Gobots: Batalha dos Rock Lords, em 1986 (algo que eu nem sabia).

Durante a febre que foi o desenho dos Transformers é óbvio que também passei a assistir Gobots, mas infelizmente a qualidade era bastante inferior de tão ruim (que parei de ver).

E não era apenas eu que pensava desta forma meus amigos também esculachavam esse desenho (algo do tipo primo pobre e primo rico). Depois de tantos anos ao rever no Youtube continuo detestando o desenho.

Só pra constar, depois que a Hasbro comprou a Tonka atualmente Os Gobots e Transformers compartilham o mesmo universo.

Veja na galeria abaixo algumas imagens dos Transformers que garimpei na web

 

 

Batman Preto e Branco

batman-black-and-white

É uma minissérie em 4 edições lançada pela Editora Abril, em 1998.

São histórias com participação de diversos desenhistas tipo: Joe Kubert, Howard Chaykin, Richard Corben, Simon Bisley, Katsuhiro Otomo, Klaus Janson, Matt Wagner entre vários outros.

Não poderia esquecer dos roteiristas: Denny O’Neill, Neil Gaiman, Archie Goodwyn, Jan Strnad, Chuck Dixon.

Bom, ao invés de comentar todas as edições (algo que normalmente faço). Vou destacar as aventuras que mais me impressionaram de cada gibi.

Todas as histórias mostram uma faceta diferente do Morcegão e a melhor parte é podermos acompanharmos isso.

two of kind

Dúbio Amor – Primeira Edição

Bruce Tim dispensa apresentações, porque obviamente sem ele nunca teríamos o universo animado da Distinta Concorrente.

Na trama, a Dra. Marilyn Crane é uma renomada cirurgiã plástica que conseguiu o incrível feito de restaurar a face do Duas Caras.

Só pra constar em Batman: O Cavaleiro das Trevas, da década de 80, Harvey também teve seu rosto reconstituído.

Continuando, Dent após se recuperar começou a ter um relacionamento com ela (sendo que até noivaram. Tudo ia muito bem até que surge Madeline, irmã gemea da doutora.

Tal acontecimento já demonstrava que haveria problemas. Num dia Madeline foi ao escritório de Dent fingindo ser sua irmã, provocando-o e conseguindo (daí então tornaram-se amantes).

Mais devido ao seu casamento marcado, Harvey queria terminar com Madeline. Só que ela não aceitou isso tão fácil e jurou se vingar.

O final é trágico tendo todo aquele jogo de dupla personalidade que é a principal característica de Dent.

Nem preciso comentar sobre a arte de BT, pois sua fama o precede. A história é tão psicológica e quanto densa (e sempre quando a releio fico pasmo e viajando na maionese).

black-white

Lenda – Segunda Edição

Confesso que fiquei balançado pra comentar sobre “Um Mundo Preto e Branco” com roteiro de Neil Gaiman e arte de Simon Bisley.

Porque nela vemos Batman e Coringa como atores que precisam passar suas falas pra depois irem contracenar. É uma perspectiva muito perspicaz da eterna luta destes antagonistas. Algo que somente Gaiman poderia nos mostrar.

Bom, com arte de Walter Simonson, “Lenda” retrata uma sociedade futurista na qual o Homem-Morcego é um herói antigo usado como esperança de uma vida melhor.

A história de combate ao crime do herói transmite algum tipo de alento, pois no passado surgiu um homem que foi capaz de lutar contra o crime e a violência.

Descrevendo alguém praticamente imbatível, capaz de voar, respirar debaixo da água, incansável, combate o mal e seu esconderijo secreto (aspectos que conhecemos bem).

Isso é visto ao mesmo tempo em que uma mãe conta pro filho sobre o herói e no finalzinho da aventura notamos que o Morcegão retornou pra defender a quem precisar dele.

É uma história simples, curtíssima pra ser sincero, mas demonstra uma essência do herói deixando implícita a mensagem que mesmo após a morte de BW o mito irá perdurar pra sempre.

black-white

Pais e Filhos – Terceira Edição

Escolher a mais marcante foi difícil (fora “Canção Mortal” que é a última que nunga gostei).

As outras três “Boa Noite, Meia-Noite, “Sonhos” e “O Assalto” merecem bastante atenção.

Bom, “Pais e Filhos” tem arte de Bill Sienkiewicz famoso por Elektra Assassina entre outros trabalhos.

Na trama estamos no alto de um prédio, onde um pai tenta dar uma lição de moral em Kyle seu filho.

O fato cruel é que ele joga a gata de estimação do menino lá do alto e o animal obviamente morre.

Batman estava próximo e presencia toda a maldade do homem. Chegando com muita vontade de surrá-lo, pois não teve tempo de reação pra salvar o animal.

Não há como falar de outra forma, pois é o melhor momento de debate que já li num gibi. Enquanto o pai reclama dos problemas de perder sua esposa e se lamuriar por estar criando o menino sozinho

Batman fica contradizendo-o pelo ponto de vista de quem só viu o que estava acontecendo naquele momento.

O menino estava assustado e seu pai sempre usava a figura do herói pra oprimi-lo. Quando na verdade, Kyle tinha medo do próprio pai. Isso é algo que nos conecta com toda relação de pai e filho (tipo opressor e orpimido e conflito de gerações).

A ideia foi incrível e a conclusão deixa-nos com aquela pulga atrás orelha, porque só o tempo irá responder.

bolland-batman

Um Sujeito Inocente – Última Edição

Brian Bolland também é outro artista que dispensa qualquer apresentação, mas só pra constar em seu currículo temos Batman: A Piada Mortal, Camelot 3000, Mulher-Maravilha, Homem-Animal e Juiz Dredd.

Na trama como já diz o título um homem comum num momento de desvairio começa a pensar em como seria um crime praticado por uma pessoa comum.

Sua intenção é cometer um crime grandioso algo que nunca será esquecido tipo o assassinato de John Lennon.

Ele está gravando seu depoimento em video, no entanto sua intenção é queimar a prova depois que cometer o ato.

Como mora em Gotham deseja matar o Homem-Morcego e meticulosamente vai contando cada detalhe de como seria tal acontecimento.

Batman sairia numa ronda noturna, iria combater alguns de seus inimigos e quando menos esperasse levaria um tiro mortal na cabeça (caindo ensanguentado e morrendo logo depois).

A história me surpreendeu, principalmente, porque morte do Batman seria algo tão grandioso pra ele.

E pra piorar pude notar a total frieza do sujeito ao afirmar que poderia sair ileso e continuaria sua vida pacata normalmente se casando e tendo filhos ao longo dos anos.

Só pra fechar, afirmo que foi uma tarefa ingrata escolher qual história merecia comentar, mas a qualidade de todas é inegável. Tanto que depois surgiram outras edições no mesmo estilo.

Espero que tenham gostado.

 

 

Super-Heróis Hanna-Barbera – Última Parte

super-heróis-hanna-barbera

Já comentei sobre Os Quatro Fantásticos, Os Robôbos, Os Três Mosqueteiros e a Tartaruga Touché, porém vou deixar de fora Falcão Azul e Capitão Caverna, porque já fiz postagem sobre eles.

Um herói esquecido foi a Super Motoca mostrando um estilo de competição tínhamos Cocota e Motoca no qual Wiilie Sheeler, um jornalista e sua namorada Dooley Lawrence resolvem diversos crimes.

Sempre quando surgia algum problema Willie dizia seu bordão: “Isto parece um trabalho para a super super super moootoocccaaaa!”. E pressionando um botão turbinava sua moto (é óbvio que eu adorava esse momento).

Cocota e Motoca foi uma série animada curta, pois teve apenas 16 episódios.

A empresa criou vários heróis e relembre de mais alguns que eu conheço

arabian-knights

Os Cavaleiros da Arábia – Arabian Nights – 1968

Esta série animada era apresentada dentro do programa dos divertidos Banana Splits.

No desenho acompanhamos um grupo de aventureiros na Arábia das Mil e uma noites.

Os Cavaleiros eram liderados pelo Príncipe Turhan (que havia perdido seu trono), mas ainda tínhamos a Princesa Nida (prima de Turhan), uma mestra dos disfarces, Bez, um mágico que se transformava em qualquer animal falando a frase: “do tamanho de um…”.

Junto com eles havia Raseem conhecido como “o homem mais forte de toda a Arábia”, o mago Fariek que sempre usava a palavra mágica “Hossan Kobah”.

E por último mais não menos importante Zazuum, um simpático burrinho que ficava muito invocado quando puxavam seu rabo (virando uma tempestade com direitos a raios e furacões).

Os cavaleiros lutavam contra a tirania do pérfido sultão Bakaar que havia usurpado o trono de Bagdá.

Infelizmente Os Cavaleiros da Arábia tiveram apenas uma temporada com 18 episódios e terminando no mesmo ano no qual começou.

shazzan-hb

Shazzan – 1967

Aqui temos as aventuras dos irmão gêmeos Nancy e Chuck, num belo dia ao entrarem numa caverna nas costas do Maine.

Eles encontram um cofre no qual estava duas metades de um anel (com algumas letras inscritas).

Após juntarem os anéis acabam formando a palavra “SHAZZAN” e a dupla foi transportada pra um mundo misterioso. Encontrando o gênio gigantesco de mesmo nome que lhes ajudará pra que achem o verdadeiro dono do anel pra que voltem pra casa.

Os irmãos recebem de presente Kaboopy, um camelo voador que sempre ajuda a dupla a sair de alguma enrascada.

Além do camelo ainda ganharam: uma corda mágica que se move sob seu comando, um manto que os tornam invisíveis e um tapete voador (objetos que atiçavam a minha imaginação).

Durante suas viagens a dupla se deparava com vários problemas e a parte mais legal era ver como conseguiriam juntar seus anéis pra chamarem o gênio pra salvá-los.

Eu gostava do Shazzan, porque geralmente surgia de bom humor sorrindo e achava uma maneira inteligente de ajudá-los.

Só pra constar o gênio aparece na série Harvey, o Advogado acusando o juiz Mentork de ser na verdade o gênio Mufti (que o prendera na garrafa há séculos atrás).

Mufti fez isso, porque Shazzan estava apaixonado pela mulher que estava prometida ao rei.

Shazzan também prendeu na garrafa Chuck e Nancy, seus antigos mestres por terem feito muitos pedidos. No final do episódio o gênio é preso novamente na garrafa (e isso “quase” foi considerado como um final pra série).

Bom, a série animada teve duas temporadas, rendendo um total de 36 episódios e terminando em 1969.

super-globetrotters

Os Super Globetrotters – The Super Globetrotters – 1979

É uma sequencia direta da versão anterior dos Globetrotters (1970) aonde a equipe viajava pelos Estados Unidos realizando jogos de basquete.

A grande diferença é que no desenho dos Super Globetrotters os jogadores são super-heróis.

Lembro que durante algum jogo os integrantes dos Harlem Globetrotters entravam em seus armários pra se transformarem.

Então, tínhamos: Homem Líquido (Nate Brech) que podia virar água, o líder da equipe Super Esfera (Freddie “Curly” Neal), sua cabeça tinha forma de bola de basquete (podendo quicar, encolher e crescer quando precisava).

Homem Espaguete (James “Twiggy” Sanders) podia esticar seu corpo num tipo de escada ou corda,  Homem Variedade (Louis “Sweet Lou” Dunbar) usava um cabelo black power do qual podia retirar várias coisas (era o herói que eu mais gostava) e Multi-Homem (Hubert “Geese” Ausbie) que podia se multiplicar em vários.

Bom, devo confessar que na época já achava alguns poderes cópias descaradas dos Impossíveis, mas a empresa sempre fez algo assim com seus personagens (deixa pra lá!).

Durante os episódios a equipe era convocada pra agir pelo Globo da Lei sendo enviados pros mais diversos lugares pra que possam agir.

Infelizmente Os Super Globetrotters tiveram uma temporada resultando num total de apenas 13 episódios.

família-drácula

Família Drácula – Drak Pack – 1980

Com a intenção de expiar os erros de seus ancestrais os descendentes do Conde Drácula, Lobisomem e Frankstein decide levar uma vida de combatentes do crime.

A parte legal é que os heróis tinham formas humanas e quando se transformavam uniam as mãos gritando: “Drako!” (eu adorava essa parte).

Então, Drak transformava-se num vampiro que além da forma de morcego conseguia várias outras (o detalhe é que podia andar no sol tranquilamente), Lobão, obviamente um lobisomem tinha uivos ultrasônicos e supersopro e Frankie era o Frankstein apresentando descargas elétricas e superforça.

A equipe recebia ajuda do Draculão, tio-avô de Drak, um vampiro comum, pois tinha medo do sol. Geralmete ele tinha o azar de machucar os dedos ao fechar seu caixão.

Como não poderia deixar de faltar havia alguns vilões pra serem detidos o principal era o Dr. Terror que comandava uma organização criminosa formada por monstros.

Seus planos mais cruéis eram sempre frustados pela Família Drácula.

Em sua companhia estavam: Sapão, um tipo de homem-sapo que era capacho do vilão. Lembro que era muito divertido quando dizia: “mau sapão” a frase virou uma febre na época.

Vampira, uma vampira com poderes iguais aos do Drak (ela era apaixonadíssima pelo herói), Múmia, uma múmia que podia esticar suas bandagens (era bastante forte) e o mais nojento de todos Mosca que podia voar e falava zumbindo.

Só pra constar, Família Drácula foi exibido na extinta Rede Manchete dentro do programa Clube da Criança.

galtar

Galtar e a Lança Dourada – Galtar and the Golden Lance – 1985

Surgiu somente pra aproveitar o sucesso do herói da Filmation He-Man. Galtar e a Lança Dourada fazia parte do programa The Fantastic World of Hanna-Barbera.

Feito no estilo espada e feitiçaria acompanhamos as aventuras de Galtar, Princesa Goleeta e Zorn, seu irmão mais novo.

Infelizmente os pais dos três haviam sido assassinados por Tormack, o usurpador do reino de Bandisar (que estava conquistando o mundo inteiro).

O herói usa a Lança Dourada que possui um incrível poder sobrenatural (a lança pode ser dividida em duas partes transformando-se em espadas).

Além da Lança Tormack também deseja conseguir o Escudo Sagrado, um artefato indestrutível que na verdade pertence a Goleeta e Zorn.

A lenda diz que quem utilizar a ambas as armas será invencível em qualquer combate.

Mais, o desenho foi cancelado antes da luta final entre Tormack e Galtar pudesse acontecer.

Galtar teve apenas uma temporada com 21 episódios produzidos.

swat-kats

SWAT Kats, O Esquadrão Radical – SWAT Kats: The Radical Squadron – 1993

Nesse desenho acompanhamos as aventuras dos heróis T-Bone e Razor, ambos pilotos da força militar Os Defensores. Eles foram expulsos após desobedecerem ordens quando estavam perseguindo um criminoso o Gato Sinistro (Dark Kat) e devido a um acidente causado pelo Comandante Feral destruíram seu próprio quartel general.

Devido a isso a dupla havia sido proibida de voltar a pilotar um avião pra sempre. E pra piorar são obrigados a trabalharem num ferro-velho pra que possam quitar sua dívida enorme.

Só que devido a sua perícia mecânica e utilizando diversas peças de aviões destruídos Jake e Chance conseguem contruir o TurboKat (eu ficava de bobeira por esse feito deles), um avião modificado especialmente pra patrulhar MegaKat City.

Usando o codinome de Swat Kats a dupla protege a cidade de qualquer perigo que possa surgir.

É um dos melhores desenhos daquela época repleto  de cenas de ação espetaculares e com personagens bem desenvolvidos.

Haviam outros personagens como o Prefeito Manx pra mim parecia que não fazia nada.

Não poderia esquecer da Vice-Prefeita Callie Briggs (musa do desenho), inteligente, corajosa e defensora da dupla. Geralmente durante as confusões ela era raptada pra ser salva pelos heróis.

Lembro que eu detestava o Ulysses Feral, pois sempre demonstrava ser um idiota completo.

Em contrapartida sua sobrinha Felina Feral, era uma excelente piloto sendo infinitamente superior ao seu tio.

A repórter Ann Gora era quem cobria a maior parte dos acontecimentos na cidade.

No desenho além do Dark Kat que era o vilão principal ainda tínhamos Mad Kat (um tipo de Coringa), Past Master (que podia manipular o tempo) e Metalikats

Swat Kats apresentou duas temporadas, rendendo um total de 30 episódios e terminando em 1995.

Fico por aqui, mas relembre do texto anterior.

 

Artista

z-brittney-williams

Misturados

Como geralmente fico surfando pela web acabo achando trabalhos espetaculares.

Então escolho artistas que tenham pin-ups com excelente nível de qualidade.

Veja na galeria abaixo a arte impressionante de: Akb-Drawsstuff, Brittney Williams, Carlos Mota, Mark Schulz, Ronsalas e Wizyakuza.

É só clicar no nome que você poderá conferir a página do artista

Akb-Drawsstuff

akb-drawsstuff-1akb-drawsstuff-2akb-drawsstuff-3akb-drawsstuff-4akb-drawsstuff-5akb-drawsstuff-6akb-drawsstuff-7akb-drawsstuff-8akb-drawsstuff-9akb-drawsstuff-10

Brittney Williams

brittney-williams-1brittney-williams-2brittney-williams-3brittney-williams-4brittney-williams-5brittney-williams-6brittney-williams-7brittney-williams-8brittney-williams-9brittney-williams-10

Carlos Mota

carlos-mota-1carlos-mota-2carlos-mota-3carlos-mota-4carlos-mota-5carlos-mota-6carlos-mota-7carlos-mota-8carlos-mota-9carlos-mota-10

Mark Schulz

mark-schulz-1mark-schulz-2mark-schulz-3mark-schulz-4mark-schulz-5mark-schulz-6mark-schulz-7mark-schulz-8mark-schulz-9mark-schulz-10

Ron Salas

ronsalas-1ronsalas-2ronsalas-3ronsalas-4ronsalas-5ronsalas-6ronsalas-7ronsalas-8ronsalas-9ronsalas-10

Wizyakuza

wizyakuza-1wizyakuza-2wizyakuza-3wizyakuza-4wizyakuza-5wizyakuza-6wizyakuza-7wizyakuza-8wizyakuza-9wizyakuza-10

 

Os Cães da Ficção – Quinta Parte

marley-eu

Há diversos cães oriundos de séries, filmes e desenhos que obviamente não vou comentar, pois o texto estaria virando um livro.

Relembre de mais alguns que conheci durante esses anos

Marley

O filme foi uma adaptação do livro, um best seller homônimo baseado em fatos reais.

Na trama John (Owen Wilson) e Mary Crogan (Jennifer Aniston) são dois jornalistas que mudaram de casa (indo morar na Flórida).

Na carreira ambos trabalham em jornais concorrentes e quando John sente que sua esposa deseja ter filhos. Sebastian Tunney, seu colega de trabalho lhe dá a ideia de adotar um cão sendo aí que os problemas começam.

Só pra constar o nome Marley é uma homenagem pro cantor de reggae Bob Marley (ouvimos algumas músicas dele no filme).

Marley é um cão adoravel e um bagunceiro incorrigível levaram-no até pra uma adestradora que desistiu de ajudar o cachorro (ele apronta diversas confusões durante a película).

Acompanhamos sua trajetória com os Crogan desde sua época de filhote até sua velhice, porém o filme não se trata apenas do chachorro.

Em paralelo também vemos a vida de John que aos seus olhos desmorona não acontecendo nada do queria pra si e também aprendendo a lhe dar com responsabilidades e principalmente com suas escolhas na vida.

Marley & Eu é uma história apaixonante e muito comovente, pois seu final deixa-nos com aquela imensa vontade de chorar mesmo (eu confesso que fiquei triste e muito pensativo quando assisti).

lupa

Lupa

É o cão do Didi (Renato Aragão) visto no excelente filme O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão, um dos melhores na carreira cinematográfica dos Trapalhões.

Na trama Pilo (Renato Aragão),  Duka (Dedé Santana) e Fumaça (Mussum) são amigos que ganham a vida simulando brigas em praças públicas.

Pensando que todos são muito corajosos a jovem Glória (Monique Lafond) contrata-os pra irem numa expedição pras Minas do Rei Salomão. A itenção é salvar seu pai o arqueólogo Aristóbulo (Carlos Kurt) havia sido feito prisioneiro.

Como prêmio é oferecido uma parte deste fabuloso tesouro e durante o caminho Pilo se apaixona pela moça, mas ela está interessada por Alberto (Francisco Di Franco) outro integrante da expedição.

Pra chagar no tesouro teriam que passar por uma floresta e a Bruxa Zuluma (Vera Setta) arranjava diversas situações pra nunca chegassem a encontrá-lo.

O filme é feito de forma que o trio possa brilhar seguindo várias situações que os tornaram consagrados. Só pra constar o Zacarias (Mauro Gonçalves) ainda não fazia parte da trupe nessa época.

Esse filme faz parte das minhas lembranças infantis, porque Lupa morria no final. Mais pra nossa alegria havia um pó mágico que o fez ressuscitar.

Mesmo com todas as suas falhas no roteiro O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão é uma aventura feita pra família inteira se reunir e se divertir.

einstein

Einstein

No clássico e consagrado De Volta para o Futuro, Doc Brown (Christopher Lloyd) tinha um cachorro Old Sheepdog  homenageando o mestre da teoria da relatividade (Albert Einstein).

jim-carrey-dog-mask

Milo o Máskara

É um cão da raça Jack Russel e no filme pertence ao bobalhão Stanley Ipskiss (Jim Carrey) surgindo em O Máskara, em 1994.

O filme é uma adaptação dos gibis publicados pela Dark Horse Comics. Na história, Ipkiss é um fracassado funcionário de banco que mora na cidade de Edge City.

Sua vida era bastante ruim, pois estava sempre sendo perseguido pela dona da pensão na qual morava.

Depois que seu carro quebra Ipkiss encontra a máscara que lhe concede poderes inimaginaveis. Os efeitos especiais são fantásticos lembrando realmente uma revista em quadrinhos.

Milo demonstra ser muito inteligente ajudando seu dono sempre nos momentos exatos. E a melhor coisa que cãozinho fez foi colocar a máscara de Loki aprontando pra valer.

O sucesso do filme fez surgir uma série animada homônima com situações doidas e absurdas. Os vilões eram os mais psicodélicos e tão loucos quanto o herói.

Mais depois de algum tempo o desenho ficou chatão e parei de assistir.

digby

 Digby, O Maior Cão do Mundo

Esse vou retirar lá do fundo baú quando a Sessão da Tarde tinha algo que valia a pena sentar pra ver.

Na trama o cientista John Eldon (Jim Dale) cria o Projeto X, uma espécie de fórmula fertilizante experimental capaz de fazer os legumes crescerem rapidamente.

Ao levar o produto pra casa pra testa-lo em seus tomates teve que tomar conta do Sheepdog de seu vizinho que durante a noite bebe tudo.

A confusão começa com John tentando esconder Digby de todos e pra piorar há dois criminosos que roubam o cachorrão levando-o pro circo como sua atração.

Só que a situação vai ficando mais insustentável principalmente quando o exército decide intervir querendo matar o enorme cão.

Pra salvar Digby de ser exterminado, Eldon cria uma fórmula pra inverter a anterior e recebe ajuda do garoto Billy White dono do cachorro.

O filme consegue misturar de forma eficiente ação, comédia e aventura mesmo com todos seus defeitos especiais continua sendo uma lembrança nostálgica pra quem assistiu no início da década de 80.

k-9-um-policial-bom-pra-cachorro

Jerry Lee

É um Pastor Alemão que participa do filme K-9: Um Policial Bom Pra Cachorro.

Michael Dooley (James Belushi) é um policial que está investigando Lyman (Kevin Tighe), um narcotraficante que está a fim de matá-lo.

Obstinado e muito turrão Dooley não queria ningúem ao seu lado, mas recebe ajuda de Jerry Lee que foi treinado pra encontrar drogas. Ambos possuem personalidades distintas e por conta disso tem diversos atritos.

Quando o cerco estava se fechando Lyman sequestra Tracy (Mel Harris), namorada do policial pra tentar impedi-lo de agir.

K-9: Um Policial Bom Pra Cachorro é um dos melhores filmes deste estilo e que vale realmente a pena ser visto.

frank-men-in-black

Frank

Cão da raça Pug e no filme Homens de Preto é um alienígena disfarçado de cachorro (raça Remoolian).

Frank surge no primeiro filme num quiosque como informante da agência MIB e depois na segunda continuação já se torna funcionário da empresa.

Desta vez torna-se o Agente F sendo parceiro do Agente J (Will Smith) lembro que era engraçadíssimo, pois falava demais chegando até a cantar (I Will Survive e Who Let the Dogs Out?).

bolt

Bolt – O Supercão

É um cãozinho que desde seu nascimento os produtores do programa de TV no qual trabalha o fazem pensar que possui superpoderes.

Na série Bolt tem latido supersônico, dispara raios dos olhos entre outras coisas pra proteger sua dona Penny do vilão Dr. Calico.

Então acidentalmente Bolt entra numa caixa indo parar em Nova York e durante esse tempo vai descobrindo que não tem superpoder nenhum.

Isso é uma situação pesadíssima pra ele e vamos acompanhando suas descobertas pela animação, pois tenta retornar pra Penny.

Bolt recebe ajuda de Mittens, uma sarcástica gata de rua e também de Rhino, um hamster bem gordinho (maior fã da série do cachorro).

Juntos acabam formando uma equipe e viajando pelo país pra Bolt possa reencontrar sua dona.

Bolt – o Supercão não é uma das minhas animações preferidas da empresa, mas consegue entreter de maneira eficiente.

Mais consegue manter a qualidade da Disney que nos conecta com sentimentos de descoberta e aceitação (algo importante na formação das crianças).

beethoven-o-magnifico

Beethoven

É um cão da raça São Bernardo que é o astro principal do filme Beethoven – O Magnífico.

Nele a vida da família Newton muda quando um filhote de São Bernardo surge em sua casa (na verdade o cãozinho estava fugindo após ser roubado de uma loja).

O tempo vai passando o cão se torna enorme causando muitas confusões na casa, porém ao mesmo tempo consegue ajudar os filhos de George Newton (Charles Grodin) cada um em uma situação diferente.

Seja na vida amorosa de Ryce, afugentando os valentões da escola com Ted ou salvando a pequena Emily de morrer afogada. Porém emcontrapartida George acha que está perdendo a afeição de sua família pro cachorro, pois até sua esposa Alice (Bonnie Hunt) protege o animal.

Como nem tudo é fácil a vida de Beethoven é posta em perigo, pois Herman Varnick, o veterinário local deseja usar o cachorro pra seus experimentos mesmquinhos.

O cão causa muita confusão por qualquer lugar aonde vá e o sucesso do primeiro filme gerou outras sequências.

Pra mim o único que realmente importa foi esse primeiro filme feito em 1992 (o resto nunca cheguei a ver).

Reveja aqui o texto anterior.