Marvel Heroes – Última Parte

punisher

Neste post conheça mais alguns dos meus personagens preferidos da Casa de Ideias que eu gosto.

Chega de enrolação e vamos nessa

Justiceiro – Punisher

É um dos personagens mais populares da editora. O Justiceiro foi criado por Gerry Conway e também pelos artistas Ross Andru e John Romita Sr.

Surgindo pela primeira vez na edição Amazing Spider-Man # 129, em 1974.

Dizem as lendas que foi Stan Lee que batizou o personagem. O Justiceiro surgiu como anti-herói pra ser apenas antagonista do Cabeça de Teia, mas sua aparição foi um sucesso tão grande que resolveram aproveitar mais o personagem.

Frank Castle cresceu no Queens, em Nova York. Anos depois seguiu a carreira militar tornando-se Capitão do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (United States Marine Corps).

Castle é um mestre em artes marciais, táticas de infiltração, guerrilha, manejo de explosivos e também numa enorme variedade de armas. Frank esteve na Guerra do Vietnã tornando-se o soldado perfeito (uma verdadeira máquina de matar).

Quando retornou foi condecorado como herói de guerra. Então casou-se com Maria Elizabeth com quem teve dois filhos: Frank Castle Jr. e Lisa Bárbara Castle.

Num belo dia, Castle foi fazer um piquenique com sua família no Central Park estava tudo tranquilo, mas de repente houve alguns disparos. Uma gangue disputava território e a família presenciou o assassinato.

Então, pra não ter testemunhas assassinaram a família inteira. Todos foram mortos, mas Castle foi o único que conseguiu sobreviver. Ao acordar reagiu querendo agredir a todos, no entanto pelo resto de seus dias desejou ter morrido com sua família.

No hospital ainda tentaram acabar com Frank mais conseguiu reagir a tempo matando um deles. Recebeu proteção policial, tentou levar os assassinos de sua família pra prisão e até descobriu que pertencia a Família Costa, mafiosos que forjaram alibi e compraram policiais.

Quando tentou expor tudo agindo pelo sistema com ajuda do jornalista Mike McTeer não arranjou nada (e o jornalista foi morto). A única solução foi reagir da maneira como sabia surgindo nesse momento o Justiceiro.

O anti-herói é um vigilante utilizando o rapto, extorsão, tortura, coerção e ameaça sempre de forma violenta em sua contínua guerra contra o crime.

Como Justiceiro, Frank exterminou primeiro os assassinos de sua família e depois continuou lutando contra o crime organizado e qualquer bandido que cruzasse o seu caminho.

Nos gibis, Castle teve a companhia do Microchip, um hacker responsável pela compra de armamentos, investigação dos alvos, invasão dos sistemas de segurança entre outras coisas.

Os principais inimigos do herói são:  Retalho, Rei do Crime, Mercenário, Barracuda, Russo e Mama Gnucci.

Seu melhor amigo é o Motoqueiro Fantasma, pois ambos tem como missão eliminar o mal.

Há diversas revistas com ótimas aventuras do personagem, no entanto eu gosto bastante de Justiceiro Massacra o Universo Marvel.

É uma história que lembra o estilo “O Que Aconteceria Se…” e pra mim das várias mortes mostradas a que mais ficou gravada em minha lembrança foi a do Wolverine.

No Universo Marvel 2099, Jake Galows teve o mesmo problema de perda e procurou os arquivos secretos de Castle transformando-se no Justiceiro 2099.

Lá na distante década de 80, Dolph Lundgren interpretou o herói no filme O Justiceiro. Havia aquela origem de perda da família, depois caçando e matando bandidos.

Castle se escondia nos esgotos algo que não tinha nada haver com os gibis. O ator Louis  Gosset Jr. interpretava o o tenente Jake Berkowitz que procurava seu ex-amigo devido ao rastro de mortes que estava encontrando.

Na época eu já achava o filme ruim, tem todo aquele estilo dos anos 80 com muito tiro e perseguição. E como adaptação de quadrinhos é considerada uma das piores de todos os tempos.

Em 2004 foi a vez de O Justiceiro com Thomas Jane. Se compararmos com sua versão anterior ficou melhor. Mostraram a perda trágica e motivação, misturando um tom sombrio e aquele clima de vingança, no entanto eu não gosto desta versão.

Ficou tudo colorido demais e Retalho feito pelo John Travolta estava razoável. Um típico filme feito mais pra Sessão da Tarde.

Depois tivemos O Justiceiro: Em Zona de Guerra com Ray Stevenson que pra mim se aproximou um pouco melhor do clima dos gibis.

O Justiceiro já participou da série animada do Homem-Aranha da década de 90.

Em 2014 tivemos o anime Os Vingadores Confidencial: Viúva Negra e Justiceiro feito pela Madhouse.

Na trama após interferir numa investigação da SHIELD, Castle foi preso e pra poder ficar livre teve que agir em parceria com a Natasha.

O problema era a organização terrorista Leviathan que planejava leiloar tecnologia roubada da agência de espionagem.

O anime é bom, pois tem muitas cenas de ação tanto Frank quanto a Natasha demonstram estarem prontos pro combate quando necessário. Infelizmente  a história fica se arrastando em alguns momentos e tem uma historinha mamão com açúcar do namorado cientista da Viúva.

Fora isso, ainda tem participação do Nick Fury e uma aparição dos Vingadores (pra quem ainda não viu vale a pena conhecer).

Na segunda temporada do Demolidor pela Netflix, Jon Bernthal nos deu uma interpretação tão realista e impressionante que pra mim ficou impossível esquecer.

A mentalidade do Justiceiro é fascinante, pois demonstra ter um código de conduta próprio. E o embate principalmente ideológico entre Murdock (Charlie Cox) e Castle foi o ápice daquela temporada.

O sucesso inegável rendeu um seriado protagonizado pelo Justiceiro e sinceramente eu esperava que fosse mais violento. Arrastaram tramas desnecessárias e ficou muito água com açúcar o relacionamento da Dinah Madani com o Russo.

Espero que a segunda temporada venha com uma pegada mais dos gibis que fizeram tanto sucesso com o personagem.

Só pra constar, temos uma versão feminina do herói, Lady Punisher (Lynn Michaels) é uma policial bem treinada de Nova York.

Lynn fez uma parceria com Frank inicialmente pra caçar um estuprador que aterrorizava o Central Park, mas não demoraram muito tempo agindo juntos. Seu uniforme é bastante similar ao de Castle.

A Sargento da Marinha, Rachel Cole é outra que também usou esse codinome. Durante sua festa de casamento explodiu uma guerra de gangues e além de perder seu marido também se foi toda sua família.

Severamente ferida e sem ninguém, Cole tinha apenas como amiga Norah Winters, uma repórter do Clarim Diário (sendo através dela que conseguia informações pra sua vingança pessoal).

Durante algum tempo, Cole e Catle fizeram parceria, mas quando Frank descobriu que ela ainda tinha sentimentos por seu marido morto. Decidiu que isso atrapalharia em alguma missão futura e desfez a parceria.

Beta Ray Bill

Bill Raio Beta – Beta Ray Bill

Foi criado por Walt Simonson surgindo pela primeira vez na edição The Mighty Thor # 337, em 1983.

Bill pertence a raça alienígena korbinita e teve que fugir do seu planeta quando Surtur o destruiu. Todos de seu planeta iniciaram uma viagem em animação suspensa.

Antes dessa jornada, Bill foi modificado geneticamente ganhando poderes pra que pudesse defender sua raça.

Thor obedecendo um pedido de Nick Fury intercepta, Ferocimea, a nave de Raio Beta. Mais o asgardiano é atacado confundido com um inimigo. Durante a luta, Bill consegue erguer Mjolnir ganhando os poderes de Thor.

Então, Odin transporta Bill pra Asgard por engano achando que tratava-se do filho. Após esclarecer tudo convoca o Deus do Trovão, mas ambos os guerreiros reinvindicam a posse do martelo.

O pai dos deuses resolve o problema num duelo entre ambos (até a morte). Bill vence, porém não se sente bem usando o martelo (mesmo precisando dele).

A solução foi criar um outro martelo o Rompedor de Tormentas (Stormbreaker) que possui os mesmos poderes que Mjolnir.

Deste momento em diante, Bill e Thor tornaram-se amigos e aliados.

Bill Raio Beta possui força, velocidade e resistência fora do comum. Devido as modificações genéticas que sofreu pode sobreviver no espaço por um longo período de tempo.

Ao manipular o Rompedor de Tormentas consegue controlar raios e relâmpagos, abrir portais dimensionais e voar.

Bill Raio Beta é um protetor de Asgard e também do universo.

Durante sua viagem a procura de uma nova moradia, Lady Sif e Bill tiveram um relacionamento, mas não sei explicar por qual motivo não durou muito.

A primeira aparição do herói foi no desenho do Surfista Prateado no qual recebeu ajuda do Oscar espacial.

Depois foi no excelente Esquadrão de Heróis numa aventura parodiando um pouco de sua versão dos gibis.

Na excelente série animada dos Vingadores, temos a participação do herói. Surgindo no episódio “A Balada do Bill Raio Beta” que demonstra sua origem como foi descrita acima.

Outro momento que vemos o korbinita é na animação Planeta Hulk, na qual inicialmente luta contra o Grandão (sendo quase morto na batalha).

alpha-flight

Tropa Alfa – Alpha Flight

O grupo foi criado por John Byrne surgindo na edição Uncanny X-Men # 120, em 1979.

A Tropa Alfa é uma equipe canadense que se equivale aos Vingadores na Terra do Tio Sam.

Sua primeira aparição foi no Almanaque do Hulk # 9 publicado pela RGE, em 1982.

A equipe trabalhava pro Departamento H, um ramos do Departamento de Defesa Nacional do Canadá que combate os super-vilões.

Inicialmente seria apenas pra fazer parte do passado de Wolverine, mas devido ao sucesso ganharam uma série própria.

A primeira missão do grupo foi capturar o baixinho enfezado que estava nos X-Men e levá-lo pro Canadá. Deu um problema enorme pra eles (lembro que li essa aventura).

Na formação inicial tínhamos: Guardião ou Vindix (James MacDonald Hudson) líder da equipe, um cientista que criou seu traje que lhe permite voar e também manipular o campo magnético da Terra.

Sasquatch (Walter Langowski), um cientista da Colúmbia Britânica que após um acidente com raios gama pode se transformar na criatura lendária.

Shaman (Michael Twoyoungmen), um renomado médico e feiticeiro nativo das Primeiras Nações de Calgary. Dentro da sacola carrega poções, ervas e vários segredos usando-os  conforme necessidade.

Pássaro da Neve (Narya), uma semi-deusa inuíte que possui a habilidade de se transformar em qualuqer animal pertencente ao Canadá.

Aurora (Jeanne-Marie Beaubier), uma mutante que tem poderes de velocidade, geração de luz, aceleração molecular e voo. É irmã gêmea do Jean-Paul e tem problemas de múltipla personalidade.

Estrela Polar (Jean-Paul Beaubier) demonstra ter os mesmos poderes que sua irmã. Historicamente é um dos heróis da editora que assumiu sua homossexualidade.

Pouco tempo depois ingressaram na equipe: Pigmeu (Eugene Judd Nilton), um anão saltador que possui resistência fora do comum e habilidades acrobáticas extremas.

Marrina, uma mulher anfíbio que fazia parte de uma força invasora extraterrestre denominada Plodex.

Não poderia me esquecer da Guardiã ou Vindix (Heather McNeil Hudson), esposa de James Hudson. Ela assumiu o comando da equipe no período que havia sido dado como “morto”.

Na verdade após a explosão dos circuitos internos de seu uniforme James foi lançado há milhares de anos no passado. Indo parar em Ganimedes, um satélite de Júpiter (retornando apenas com ajuda dos habitantes de lá).

Há várias formações da Tropa Alfa, porém não vou me estender nesse assunto.

Lembrei de um assunto interessante durante a clássica “Saga da Encruzilhada” escrita por Bill Mantlo o Hulk havia ficado descontrolado e selvagem. Os heróis tiveram que detê-lo e a única solução arranjada pelo Doutor Estranho foi enviá-lo pra uma encruzilhada composta por várias dimensões.

O grandão fica viajando por mundos diferentes e bastante bizarros pra ser sincero. Conhece, Jarella, um dos grandes amores de sua vida (nesse período Banner assumiu a consciência do Hulk).

Mais o que eu queria comentar mesmo é quando o Hulk retorna da Encruzilhada, pois a Tropa Alfa pensava que estava salvando o Sasquatch, mas trouxeram-no de volta pra Terra.

A fúria demonstrada pelo Hulk arrebentando todo mundo foi marcante e inesquecível pra mim.

Espero que tenham gostado e relembre aqui do texto anterior.

 

 

Anúncios

O Poderoso Thor – A Saga de Surtur

thor-saga-surtur

É considerada uma das melhores histórias do deus nórdico de todos os tempos.

A Saga de Surtur foi inicialmente publicada numa minissérie em 6 partes pela editora Abril entre 1988 e 1989.

Anos depois teve relançamento na edição Os Maiores Clássicos do Poderoso Thor vol. 2 (2007).

A história tem argumento e arte de Walter Simonson que conseguiu consolidar um momento épico e definitivamente marcante quando esteve trabalhando com o Deus do Trovão.

Na trama há muitos e muitos milênios atrás Surtur havia forjado a Espada do Crespúsculo. Quando inflamasse a espada na pira mística da Eterna Destruição liberaria um poder incalculável capaz de destruir todos os Nove Reinos (e também aniquilar o universo inteiro).

Na aurora da raça humana três corajosos deuses asgardianos Vili, Ve e Odin viajaram até ao Reino de Fogo para deter Surtur. Durante uma luta que pareceu estender-se por  séculos, Surtur foi impedido de realizar seus planos maléficos.

Mais a vitória dos deuses foi somente com o desprendimento de Vili e Ve irmãos de Odin que se sacrificaram em prol da paz. No entanto após milhares e milhares de anos a ameaça de Surtur paira não só sobre Asgard, mas também sobre todo universo.

Nessa época Thor usava a identidade civil de Sigurd Jarlson e Lorelei, irmã mais nova de Encantor estava disfarçada de Melodi (namorada do herói).

Na primeira edição temos a introdução do passado de Odin como perdeu seus irmãos e conseguiu através da morte deles um poder inimaginável. Devido ao retorno do anjo caído, seu maior inimigo, Odin convoca todos os deuses pra ajudarem na batalha que está prestes a acontecer.

Pra reforçar sua fileiras temos a presença de Bill Raio Beta e Lady Sif que nesse período era companheira do carbonita.

Na segunda edição Thor, Bill, Os Três Guerreiros (Frandal, Volstagg e Hogun) unem-se as demais combatentes por sobre a Ponte do Arco-Íris rumando pra Midgard.

Enquanto isso na cidade dourada, Odin mandou Frigga com as crianças pra se esconderem. Deixando com Balder a missão de procurar Karnilla pra convence-la a se unir na batalha que virá. Mesmo receoso o guerreiro cumpre as ordens de seu rei.

A rainha afirma que só entrará com suas tropas na batalha se Balder tornar-se seu amante.

Na Terra, Nova York estava sendo invadida pelos Filhos de Muspell causando destruição e morte por onde passavam. Logo, Thor surge atacando os demônios e também vemos alguns Vingadores: Feiticeira Escarlate, Starfox, Mulher-Hulk, Hércules, Capitã Marvel e Vespa ajudando a combater o inimigo.

Quando a situação não ia bem surgem as tropas asgardianas e a batalha se intensifica.

De repente o próprio Surtur aparece pra lutar, porém deixa tudo rumando pra Asgard (na verdade nem era ele sendo apenas um simulacro ardente). Assim que o Loirão percebe o engodo já é tarde, pois Surtur já estava invadindo Asgard.

Na terceira parte estamos na Bifrost, Heimdall tenta deter Surtur, mas fracassa e o monstro destrói a Ponte do Arco-Íris (antes disso o herói já havia retornado). Em nosso planeta, Bill Raio Beta comanda as tropas numa tentativa de destruir o portal que os demônios surgem.

De volta ao Reino Dourado mesmo Thor usando todo seu poder pra confrontar Surtur não consegue efeito nenhum (caindo desacordado). Então, Odin surge pra detê-lo e a batalha entre eles é épica de tão grandiosa.

Na Inglaterra, o Tocha Humana e Roger Willis, amigo do Thor vão atrás da Caixa dos Invernos Antigos pra reconstruí-la e salvar nosso planeta de morrer congelado (sendo prontamente atacados por seres de fogos).

Através de um exímio plano de ataque Bill consegue chegar até ao portal que envia seus inimigos e o Senhor Fantástico o auxilia.

Em Asgard, Odin reune toda sua energia cósmica pra derrubar o vilão, mas Surtur também convoca o poder do gelo pra ataca-lo.

Na quarta parte, as tropas asgardianas vão pro deserto do Saara se deparando com milhares de inimigos. No Reino Dourado, Surtur aprisiona Odin numa esfera de gelo e consegue por sua espada na pira mística.

Loki intervém no momento derradeiro, mas não consegue muito. No entanto Willis consegue reunir os fragmentos da caixa. Fato que ajuda Odin a ser liberto e na sua companhia estão Thor e Loki.

No deserto graças a chegada das tropas da Rainha Karnilla a ameaça dos demônios é contida.

Surtur que estava quase vencendo sente a mudança de imediato, porém a sua derrota tem um preço alto demais (algo que não vou contar pra não estragar a surpresa de quem irá ler, ok).

Na quinta edição, com a invasão terminada os guerreiros asgardianos estão presos em Midgard, pois a Bifrost foi quebrada por Surtur.

Bill Raio Beta e Sif vão pras lojas tentarem usufurir uma vida “normal” durante o tempo que ficarão na Terra.

Hela, a Deusa da Morte surge em Asgard pra reclamar seu direito só que Thor a faz fugir rapidamente. Mesmo a distância ela controla os passos do trovejante e faz cair uma avalanche sobre o herói.

Na conclusão, o Loirinho é salvo indo parar na morada de um gigante. Tiwaz é intrigante cheio de histórias e mistérios. Mais não sei por qual motivo sempre convida Thor pra lutar antes de comer.

O trovejante se restabelece e seu sentimento de proteção por Midgard é renovado devido as conversas que teve com Tiwaz (que na verdade revela ser bisavô dele quando estava sozinho).

Bom, o aspecto mais importante em A Saga de Surtur é notar a forma como Walter Simonson conseguiu destacar a mitologia nórdica misturando com magia no enredo desta aventura.

Também presenciamos a empolgante batalha dividida em vários lugares diferentes (Nova York, Asgard e deserto do Saara).

A presença de Loki é importante por querer se apoderar do trono, principalmente que para conseguir tal coisa. Utilizando a ambiciosa Lorelei que está apaixonada pelo herói e fará de tudo pra tê-lo ao seu lado.

A arte de Simonson consegue nos fazer viajar pela edição não só por causa de seus cenários detalhados. Destaco ainda os sentimentos de honra, nobreza e senso de dever que ficam evidentes a cada página lida.

Se você não conhecia está edição eis aqui a chance de poder conferir e se maravilhar nessa aventura inesquecível.

Fico por aqui.

 

Os Arautos de Galactus – Segunda Parte

Galactus_(Earth-616)

O Devorador de Mundos é o ser mais antigo deste universo sendo o único sobrevivente de uma realidade anterior a esta. É uma das entidades mais poderosas do Universo Marvel que se equivale a Eternidade, Infinito, Oblivion e Morte.

Galactus foi criado pelas lendas Jack Kirby e Stan Lee, em 1966. Surgiu pela primeira vez na edição Fantastic Four # 48 a 50 na aventura clássica que ficou conhecida como “A Trilogia de Galactus”.

A parte interessante é que Galactus possui o incrível Poder Cósmico  (chegando a ser praticamente onisciente e onipotente).

Além de ser imortal, o Grande G pode controlar a matéria ao seu bel prazer, transmutar qualquer coisa se assim desejar, recriar mundos, teletransportar objetos ou pessoas, criar portões interdimensionais, mudar a realidade, possui telepatia e telecinésia ilimitada, pode viajar no tempo, possui força em escala divina entre várias e várias outras coisas.

Em sua origem, Galan era um cientista do planeta Taa que estava investigando o provavel fim do universo. Infelizmente uma praga radioativa dizimou quase todos os habitantes daquele universo. Galan consegue escapar junto com outros poucos sobreviventes propondo que se dirigissem pro Big Crunch (a fonte de radiação que estava matando eles).

Quando se aproximavam do Ovo Cósmico tanto a nave quanto a tripulação são destruídas, mas Galan é salvo pela Sentença do Universo, um tipo de encarnação da Eternidade (ambos se fundem num casulo de energia dentro do Ovo).

O nosso Big Bang foi a destruição do universo anterior e depois de milhares de anos hibernando e se metamorfoseando enquanto sua nave vagava pelo espaço. O casulo se rompe próximo ao planeta Archeopia surgindo a entidade cósmica que seria conhecida como Galactus.

Archeopia foi o primeiro planeta que o Devorador se alimentou e utilando os destroços dele criou sua gigantesca nave espacial.

Na verdade o Devorador é tipo uma força da natureza, um agente da ordem e sua função é manter o equilíbrio no universo.

Só pra constar no engraçadíssimo Padrinhos Mágicos há um episódio em que os pais de Timmy viraram super-heróis muito poderosos. Ele pede pra ser transformado num vilão tornando-se Galactimus e também temos Cosmo e Wanda sendo seus arautos e estão parecidíssimos com o Surfista Prateado (o detalhe é que usam skates).

Então, vamos aos arautos?

Morg

Morg

É o pior e mais cruel de todos os ex-arautos de Galactus. Morg era um rebelde que havia lutado contra sua rainha, mas a rebelião foi derrotada pelo exército dela.

Sempre servindo ao mais poderoso, a rainha lhe deu uma chance de servi-la concedendo-lhe perdão se matasse seus companheiros (ele executou-os sem piedade e nenhum remorso).

Quando seu planeta foi encontrado pelo Grande G que na época estava procurando novamente um arauto que não tivesse crise de consciência.  Morg demonstrou falta de medo e respeito peo Devorador que resolvou recruta-lo como arauto.

Morg é um mestre no combate corpoa corpo e utiliza sua energia através de um machado de fogo. Possui resistência, força reflexos, velocidade e durabilidade além do normal.

Após se banhar numa piscina mística seus poderes são capazes de rivalizar com o Surfista Prateado. Morg é taõ forte que teve uma batalha contra todos os ex-arautos chegando a vence-los, matou a Nova e morreu durante a saga Aniquilação (quando tentou controlar o Nulificador Total).

tyrant

Tyrant

É uma máquina viva criada pelo Devorador. No entanto, Tyrant tornou-se um tirano e desenvolveu imensa sede de conquista (isso entrava em conflito com a forma de agir do gigante).

O arauto conquistou vários planetas, mas após uma dispendiosa e catastrófica batalha contra Galactus. Tyrant perdeu sendo destituído de seus poderes, porém tempos depois ele retornou ainda mais poderoso (pra novamente ser derrotado pela Ganimedes que se aliou a Norrin Rad).

No início os poderes de Tyrant podiam rivalizar com Galactus mais depois da luta mesmo ficando enfraquecido seu nível ainda era bastante grande. Tyrant foi morto pelo Morg quando estava de posse da energia do Nulificador Total.

red_shift

Espectro Vermelho – Red Shift

Dono de um passado misterioso, o Espectro usa duas espadas flamejantes como armas. Surgiu num momento em que Galactus se alimentava apenas de planetas que estavam habitados por vidas inteligentes.

Suas espadas abrem fendas no espaço que atuam como portais pra outros lugares ou até buracos negros. O Espectro já lutou contra o Surfista e possui uma certa semelhança com Bill Raio Beta (a suposição é que “talvez” seja da mesma raça).

starglow-Shalla-Bal

Starglow – Shalla Bal

Numa realidade alternativa situada na Terra-8327, Shalla Bal tornou-se arauto do Devorador. Na trama o Grande G ruma pra Zenn-La pra se alimentar, mas encontra Shalla Bal que pergunta por seu amado Norrin Rad. Ele responde que o deixou exilado na Terra (preso por uma barreira após trai-lo).

Então ela querendo salvar seu planeta se oferece para tornar-se sua arauto, Galactus aceita, mas retira sua memória após conceder-lhe seus poderes.

O Surfista consegue retornar pra Zenn-La graças ao auxílio do Quarteto, porém descobre que seu grande amor não mais o reconhece. Então Galactus novamente forma uma barreira no planeta para aprisionar o herói levando Starglow consigo.

Como arauto de Galactus, Shalla Bal possui poderes cósmicos idênticos aos do seu amado.

juno-silver_surfer

Juno

Neta de Hércules na Terra-829. Após Hércules ter se sacrificado para salvar a galáxia de Andrômeda. Juno se ofereceu para ser arauto do gigante, ela jurou que jamais deixaria ele se alimentar de um mundo civilizado.

Como curiosidade, Juno também possui os mesmo poderes do Oscar espacial.

Ardina

Ardina

É uma versão feminina do Surfista criada para restaurar o equilíbrio do mundo. Ela foi criada magicamente, pois Norrin foi esfaqueado por um punhal. Isso fazia parte de um plano para restaurar a sanidade dos Defensores (Namor, Hulk, Dr. Estranho e o Surfista).

Embuída do Poder Cósmico, Ardina tem os mesmos poderes do herói, mas devido a sua pouca experiência só saberemos futuramente como irão se desenvolver.

superman

Superman

Na edição Superman e o Quarteto Fantástico temos o crossover entre os heróis. Destaco a excelente capa de Alex Ross, o roteiro razoável de Dan Jurgens que também colabora com a arte.

Na trama, Kal descobre que Krypton na verdade havia sido destruido por Galactus. O Devorador rastreia o foguete do bebê para que a criança futuramente torne-se seu arauto.

Numa projeção holográfica Jor-El revela que Galactus foi o causador da destruição de sua raça e o Azulão resolve pedir ajuda de Reed pra deter o Gigante. Não é uma história eletrizante servindo apenas pra ver Kal-El tendo sua mente dominada e agindo como arauto de Galactus e os heróis agindo juntos.

Praeter

Praeter

Por enquanto é o atual arauto de Galactus. Mike era um pastor da pequena cidade de Broxton, Oklahoma.

Sua crença estava em cheque quando Asgard surgiu pairando sobre sua cidade sua ojeriza causava um mal-estar com os asgardianos até que surgiu Galactus que buscava uma semente de Yggdrasil.

Após isso, Norrin decide ficar na Terra e convence Mike a se tornar arauto do gigante pra que possa servir de consciência evitando que planetas habitados fossem destruidos.

Só pra fechar há também outros arautos como Plasma, da realidade de Heróis Renascem, Rom o Cavaleiro Espacial que veio pra Terra destruir a ameaça dos Espectros, Ligthwave, um herói dos Novos Defensores do ano 2059 (que também é de Zenn-La).

A bela Cristal, uma mutante cantora de música disco que tem o dom de manipular o som e transformar em luzes fortíssimas, Dark Angel, da Terra-691 entre outros.

Espero que tenha gostado e reveja a primeira parte aqui.