DC Comics Heroes – Terceira Parte

forever-people-jack-kirby

Povo do Amanhã – Forever People

Foram criados por Jack Kiby e surgiram na edição Forever People #1, em 1971.

Também conhecidos como Povo da Eternidade foram 5 crianças terrestres criados pelo Pai Celestial, em Nova Gênese.

Como curiosidade cada um deles sobreviveu a um acidente na Terra e desenvolveram poderes magníficos em NG.

O Povo da Eternidade é formado por: Mark Moonrider, líder deles, possui o Toque de Megaton que consiste em desferir rajadas de energia e dar socos energéticos.

Bela Sonhadora (ou Belos Sonhos e Sonhadora) possui o dom da telepatia, ler mentes, extrair lembranças e criar ilusões. Em algumas aventuras foi casada com Grande Urso, mas depois do retcon desfizeram o enlace.

Vikin, o negro é o portador da Caixa-materna do grupo (possui uma enorme habilidade com máquinas). Além disso exibe poderes magnéticos e pode discernir as substâncias fundamentais de qualquer matéria, rastreia seres e objetos apenas seguindo o rastro de seus átomos.

Grande Urso é o mais forte de todos e pilota o Superciclo (o transporte da equipe).

O Superciclo pode ficar intangível (mesmo com seus passageiros dentro em movimento). Voa, dispara rajadas e possui campo de força.

Possui um mini-computador que lhe permite se auto-pilotar, é capaz de ficar invisível pra qualquer sentido e Grande Urso usa um rádio pra controlá-la quando estiver longe.

Na primeira aventura da Justiça Jovem encontram um Superciclo similar ao usado pelo Povo da Eternidade.

Continuando, Serifan possui o dom da telepatia, no entanto quase não usa (se veste como cowboy, pois adora o  velho oeste).

Utiliza revolveres com cartuchos cósmicos usando-os como munição. Sua arma pssui efeitos variados como manipulação da gravidade, rajadas, campos de força, e pode até entrar em harmonia cósmica com A Fonte.

Homem Infinito é um super-herói misterioso que troca de lugar com o Povo do Amanhã através da caixa materna convocando-o ao dizer a palavra “Taaru”.

O Homem Infinito demonstra ter telecinésia, controle magnético, transmutação, disparo de rajadas energéticas, intangibilidade, força e resistência fora do comum.

O herói ainda partilha de toda memória conjunta dos integrantes do Povo da Eternidade.

Um detalhe importante é que o Azulão conheceu o Povo do Amanhã pela primeira vez na edição citada no início do texto (na década de 70).

Mais em 2002, no gibi DC Millenium # 5 temos a aventura “Os Deuses em Si” com arte e roteiro de John Byrne que revisita o primeiro encontro deles.

Na redação do Planeta Diário Jimmy conta pro Clark que seus amigos haviam encontrado o Povo do Amanhã. E agindo como Super-Homem verifica sobre eles e suas supercidade.

Os Gravi-guardas são enviados por Darkseid que atacam o herói recebendo ajuda dos rapazes que se transforma no Homem Infinito. A intenção é resgatar Bela Sonhadora, pois o vilão havia raptado a moça anseando descobrir através dela a Equação Anti-Vida.

É uma aventura muito curta, porém interessante. Além de revisitar a história original, Byrne também coloca elementos do Super no período de descobertas sobre sua herança alienígena (fase da reformulação feita pelo artista).

Nessa edição ainda temos “A Origem de Darkseid” que já fiz um texto sobre o tirano, Supergirl & Batgirl: As Melhores do Mundo que também já comentei há algum tempo atrás.

E por último uma historinha ruim do Impulso enfrentando Gridlock, um vilão pançudo que consegue roubar energia cinética.

Lembrei que em Justiça Jovem, durante a primeira temporada temos o episódio “Desorientados”.

Nele vemos o Povo da Eternidade agindo em nosso planeta. E depois acabam recebendo ajuda do Superboy para recuperar objetos roubados de Apokolips, pois Desaad estava agindo com a Intergang.

Os jovens de Nova Gênese convocam o Homem-Infinito mais nessa versão ficou parecendo mais um robô do que aquele personagem que vemos nos quadrinhos.

Só pra constar, a esfera que vivia seguindo o Garoto de Aço é o Superciclo que ressurgiu na edição Os Melhores do Mundo # 31, em 2000.

Neste gibi temos a nova formação da Justiça Jovem (Robin, Superboy e Impulso) que também posteriormente serviu pra uma nova equipe dos Titãs.

O trio descobre o Monte da Justiça, ex-QG da Liga que estava abandonado e encontra o Tornado Vermelho (gostei dessas aventuras, porque eram bastante divertidas).

Pra fechar no mesmo episódio citado não sei por qual motivo o nome do Superciclo foi rebatizado pra Super Máquina.

metal-men

Homens Metálicos – Metal Men

Foram criados por Robert Kanigher e Ross Andru surgindo pela primeira vez na edição Showcase # 37, em 1962.

Sob a tutela do famoso F. U. Turo, o dr. Will Magnus transformou-se na principal autoridade em elemântica, um tipo de síntese química com robótica.

Sua contribuição destacou-se ao inventar o responsômetro, um microcomputador que pode animar metais puros (dando-lhes a capacidade de pensamentos próprios).

Então, cada um dos Homens Metálicos possui poderes que correspondem a suas propriedades químicas, mas também personalidades equivalentes (e podem mudar do estado sólido pro líquido).

Os Homens Metálicos são: Ouro que é o líder da equipe, inteligente e analítico (pode se esticar por vários metros), Platina ou Tina, pode se esticar, achatar ou girar em filamentos pequenos (demonstra ter uma queda pelo Batman).

Ferro é o mais forte de todos. Tem um temperamento amigável e pode se transformar numa forma variada de objetos conforme houver necessidade, Chumbo é muito lento pra pensar, mas pode bloquear radiação nociva (algo bastante útil pra equipe), Mercúrio tem a capacidade de derreter e passar por pequenos ambientes (é egoísta e orgulhoso).

E por último temos Zinco é o mais engraçado de todos e também o mais fraco deles. Gagueja ao falar, no entanto está sempre disposto a se arriscar pra ajudar quem precisa.

Geralmente nas aventuras dos Homens Metálicos defendem nosso planeta de ameaças surgidas através da ciência. Infelizmente eles sempre acabam se sacrificando e sendo destruídos.

Mais Will aproveita seus responsômetros pra reconstruí-los (fazendo isso centenas de vezes).

Além de terem participado de várias edições da editora ao longo dos anos. Lembro que os Homens Metálicos fizeram participações em DC Um Milhão e Liga da Justiça: Ano Um.
Eu não sei afirmar quando isso aconteceu, mas o Doutor Magnus tranforma-se na forma metálica de Verídium.

Como sempre na série animada, Batman: Os Bravos e Destemidos temos uma participação do grupo no episódio “Clash of the Metal Men!“, ajudando o Homem-Morcego a deter Chemo, o principal inimigo da equipe.

jonah-hex

Jonah Hex

O pistoleiro foi criado por John Albano e Tony DeZuniga surgindo pela primeira vez na edição All-Star Western #10, em 1972.

Johan é um caçador de recompensas que tem uma parte do rosto deformada preferindo se afastar do resto das pessoas. Geralmente se apresenta usando um uniforme dos soldados confederados (que perderam a Guerra Civil Americana).

Hex é filho de prostituta, luta contra o alcoolismo, viajou por toda América e chegou até na China. Foi casado e teve um filho.

Seu rosto foi desfigurado por um chefe Apache, que usou uma machadinha em brasa por ter quebrado uma lei da tribo que não permitia uma arma diferente quando se fosse lutar. Usou uma faca quando só era permitido a machadinha.

A punição imposta pelo chefe era só pra mostrar a todos que Hex tinha personalidade dúbia (metade bom e metade perverso).

O pior inimigo do anti-herói é Quentin Turnbull, pai de Jeb Turnbull (melhor amigo de Hex). Quentin culpou Jonah pela morte do filho durante a Guerra Civil.

Como vingança Quentin se denomina Camaleão, usando diversos disfarces perseguindo Hex. Outro inimigo é El Papagayo, um bandido mexicano.

Depois da Crise nos anos 80, Jonah foi enviado pro futuro tendo que viver numa realidade apocalíptica (inspirada no filme Mad Max 2).

Eu acompanhei essas aventuras e gostei muito desta fase do personagem.

A primeira aparição do herói foi na série animada do Morcegão da década de 90. Era uma aventura que misturava passado e presente, pois Hex já idoso enfrentou Ra’s Al Ghul, em 1883. Depois foi a vez da Dupla Dinâmica combater o vilão “nos dias atuais”.

Hex também apareceu no episódio duplo “Era Uma Vez Pelo Tempo”, da Liga da Justiça Sem Limites.

O curta de animação DC Showcase: Jonah Hex foi lançado em 2010 e na trama estamos no Velho Oeste. O caçador de recompensas se depara com um problema quando estava investigando um fugitivo.

Na telona tivemos o filme Jonah Hex (2010), no qual Josh Brolin interpreta o herói. Nesta adaptação Jonah quase morreu nas mãos de Quentin Turnbull (John Malkovich), no entanto retorna pra se vingar (utilizando poderes sobrenaturais).

É um filme de faroeste com boas cenas de ação, atuações convincentes, mas não há nada de especial nele. Pra mim poderia ter sido melhor aproveitado, pois o personagem não é bem conhecido pela maioria das pessoas (que não lê gibis).

Como não poderia deixar de ser em Batman: Os Bravos e Destemidos também temos uma participação de Jonah Hex. Foi no episódio “Return of the Fearsome Fangs!”.

Depois no seriado DC’s Legends of Tomorrow, Hex foi interpretado pelo ator Jonathan Schaech. Rip Hunter (Arthur Darvill) visitou o passado indo pra Salvation, em 1871. Fugindo dos mestres do tempo que haviam se aliado com Vandal Savage, seu pior inimigo.

linear_men

Homens Lineares – Linear Men

Eles surgiram pela primeira vez em Adventures of Superman # 476, em  1991.

É uma equipe de cientistas formada por homens e mulheres que monitoram o fluxo do tempo. A intenção deles é manter o equilíbrio da linha temporal de todo universo.

Sua base está situada no Ponto de Fuga, uma fortaleza flutuante situada fora do espaço e do tempo.

A parte interessante é que esta base existe no último momento possível no universo (o último nanossegundo antes do final dos tempos).

Devido as diversas viagens temporais que causam muito estresse, partes dos corpos dos integrantes da equipe foram substituídos por membros cibernéticos.

A equipe dos Homens Lineares é formada por: Matthew Ryder (líder e fundador), Tempus (uma versão alternativa de Matthew Ryder), a realidade na qual ele cresceu  era governada pelo ditador Monarca.

Sendo um cientista que estudava o tempo decidiu impedir que o déspota surgisse. Quando viajou no tempo pra matar o vilão, Ryder foi transformado numa criatura que pode cavalgar o fluxo cronológico sendo conhecido como Tempus.

Na equipe ainda temos Travis O’Connell, um aventureiro, Liri Lee, uma arquivista e Ripley “Rip” Hunter, um pesquisador.

Atualmente no seriado DC’s Legends of Tomorrow, Rip Hunter é interpretado por Arthur Darvill.

Mais o ator é reconhecido por sua participação em Doctor Who como Rory Williams.

Em Lendas do Amanhã o Capitão Rip Hunter é um Mestre do Tempo teve sua família assassinada por Vandal Savage (Casper Crump). Como o maluco quer destruir toda humanidade, Hunter convoca uma equipe formada por heróis e vilões pra mata-lo.

Relembre da segunda parte aqui.

 

Anúncios

DC Comics Heroes – Segunda Parte

new-gods

Conheça mais alguns personagens secundários que surgem em alguma história de vez em quando.

Novos Deuses – The New Gods

Foram criados por Jack Kirby surgindo na edição The New Gods # 1, em 1971.

Dizem as lendas que esta história começou quando o ilustre Jack Kirby (brigou com Stan Lee) saindo da Marvel Comics indo direto trabalhar na Distinta Concorrente, em 1970.

Como estamos cansados de saber Jack Kirby co-criou alguns dos maiores personagens da Casa de Ideias lá nos anos 1960. Basta apenas lembrar do Capitão América e também do Quarteto Fantástico, mas sua criação mais famosa mesmo é o Quarto Mundo.

Onde temos personagens como Pai Celestial, Órion, Senhor Milagre, Grande Barda, Darkseid entre tantos outros.

Só por curiosidade tanto Nova Gênese quanto Apokolips são habitados pelos Novos Deuses.

Durante o Ragnarok, os velhos deuses morreram e o mundo no qual viviam foi divido em dois. Um dos planetas ficou conhecido como Nova Gênese no qual residiam deuses bons (governado por Izaya, o Pai Celestial).

Enquanto no outro planeta batizado de Apokolips comandado por Darkseid (era habitado por deuses ruins).

Como curiosidade todos os membros dos Novos Deuses são imortais.  Sua característica mais peculiar é que demonstram inteligência, superforça e resistência extremamente acima do normal (e mesmo assim ainda podem morrer).

Os principais Novos Deuses são: Pai Celestial, Magtron, Takion, Jezebelle, Metron, Grande Barda, Sr. Milagre, Forageador, Órion, Povo da Eternidade, Homem Infinito e Corredor Negro.

Em Apokolips temos: Darkseid, Desaad, Vovó Bondade, Fúrias Femininas, Kalibak, Virman Vunderbarr, Mantis, Himon, Doutor Bedlam, Steppenwolf, Kanto e Glorioso Godfrey.

Uma das coisas mais interessante dos Novos Deuses é sua tecnologia avançadíssima, pois a única forma de chegar nesta dimensão é através do Tubo de Explosão.

A Caixa Materna (que infelizmente traduziram como Caixa-Mãe) é um computador vivo que está vinculada com seu usuário se comunicando psiquicamente com ele.

Foram criadas por Himon, morador de Apokolips que não é maléfico (talvez seja o único).

A melhor parte é que a Caixa pode executar diversas funções como: executar cálculos matemáticos, projetar energia magnética, criar campos de força, se fortalecem quando expostas à radiação, criar “eletroteias” para aprisionar inimigos e rearranjar a estrutura da matéria (seja orgânica ou não).

Fora tudo isso as caixas também são capazes de teleportar, porém os habitantes de Nova Gênese preferem utilizar Tubos de Explosão pra isso.

Outro conceito interessante do Quarto Mundo é A Fonte, uma entidade responsável por criar todo o universo DC e todos que nele habitam. Somente o Pai Celestial mantém contato telepático direto com a fonte (comandando NG de acordo com os conselhos recebidos).

A Fonte é sempre mostrada como uma Muralha infinita formada por corpos dos Deuses mortos há séculos (quando um deles morre retorna pra fonte).

Na web temos notícias que haverá um filme dos Novos Deuses dirigido por Ava DuVernay, porém ainda não houve nenhuma previsão de estreia.

challengers of the unknown

Desafiadores do Desconhecido – Challengers of the Unknown

A equipe de aventureiros foi criada por Jack Kirby surgindo na edição Showcase # 6, em 1957. Há fontes que também creditam Dave Wood como co-criador do grupo.

Um grupo de amigos sobreviveram milagrosamente após um acidente de avião. Foram eles Ace Morgan, Prof. Haley, Ruivo Ryan e Rocky Davis (decidiram se unir pra qualquer situação na qual  houvesse perigo).

Dizem as lendas que Kirby fez a mesma coisa com o Quarteto Fantástico pouco tempo depois.

O QG do grupo fica nas Montanhas Rochosas e suas missões geralmente são uma ordem direta do Pentágono.

As aventuras do grupo envolviam cientistas loucos, alienígenas, ladrões comuns, robôs, assuntos paranormais, viagens pelo espaço, pelo tempo e até outras dimensões.

Dra. June Robbins, uma arqueóloga e criadora da inteligência artificial Ultivac entrou pra equipe como agente honorária, mas permaneceu no grupo durante  a maior parte de sua carreira.

Também constam como integrantes do grupo Dra. June Walker e Martin Ryan. Ao longo das décadas agiram em parceria com: Desafiador, Patrulha do Destino, Monstro do Pântano, Jonny Double e Demônios do Mar.

Houveram duas versões alternativas dos Desafiadores do Desconhecido. A primeira surgiu em 1996 nela tínhamos: Kenn Kawa, um japonês (designer de jogos), Clay Brody, um piloto de  carro de corrida, Brenda Ruskin, uma cientista e Marlon Corbet o piloto do avião que caiu.

A segunda versão esteve como roteiro e arte de Howard Chaikin, sendo lançada em 2004. Ao invés do acidente de avião a equipe sobreviveu a um atentado terrorista, em Long Beach.

Nesta formação tínhamos: Zach Dyamond, Tessa Crowne, Rydell Starr, Holden Crosse e Kendra Harte.

Os Desafiadores do Desconhecido fazem aparição na série animada do Morcegão durante o episódio “Revenge of the Reach” investigando um meteoro que caiu numa ilha.

Só pra constar, na animação Liga da Justiça: A Nova Fronteira também temos a participação dos integrantes da equipe.

vingador-fantasma

Vingador Fantasma – Phantom Stranger

É um dos heróis mais misteriosos da editora surgindo apenas em momentos decisivos e sinceramente suas aparições são de suma importância pra sobrevivência da humanidade.

Foi criado por John Broome, Sy Barry e Carmine Infantino surgindo na edição Phantom Stranger # 1, em 1952.

O herói é integrante da Liga da Justiça (um membro reserva), mas não sei afirmar quando participou da equipe.

Em suas aventuras há alguma pergunta importante feita logo no início e somente no término vemos um ensinamento moral ou espiritual.

Também conhecido como O Caminhante Cinzento, O Espírito da Humanidade e  Aquele sem Irmãos. Existem várias origens pro personagem, mas não sei se qualquer uma delas esteja correta.

Há lendas que dizem que o Vingador talvez seja o Judeu Errante, uma diz que talvez tenha sido um anjo caído que resolveu ficar de fora da guerra Céu contra Inferno, outra afirma que perdeu seu filho no extermínio de crianças feito pra matar Jesus quando era bêbe.

Mais um conta que era um cientista que viveu na realidade anterior ao Big Bang sobrevivendo a explosão que deu origem ao universo atual (do meu ponto de vista isso só deixa o herói mais interessante).

Fora isso além de não envelhecer podemos notar que herói tem vários poderes místicos que incluem habilidade de dispersar ilusões,projeção de rajadas de energia, força, resistência (física e mística), teletransporte (espacial, temporal e dimensional).

Apesar de ter todos esses poderes o Fantasma geralmente prefere não usa-los, pois parece não querer interferir na ordem natural das coisas. Talvez tenha algum tipo de temor quanto a isso e agindo apenas como conselheiro.

O herói estava na Brigada dos Encapotados e ensinou fundamentos de magia pra Tim Hunter (Livros da Magia).

O Vingador já ajudou o Batman (contra um mestre do vodu), Superman (detendo um cemitério com criminosos zumbis), Monstro do Pântano (evitando o Mal de entrar no Paraíso) entre outros.

Na série animada do Morcegão, o Vingador Fantasma aparece duas vezes. A primeira é no episódio “Chill of The Nigth” quando confronta o passado com o assassinato de seus pais.

E a segunda aparição foi na aventura “Mitefall“, pois aquele duende que se diz um fã maníaco do Homem-Morcego apronta novamente.

Na aventura Hipertempo que faz parte do universo do Reino do Amanhã. O herói age como arauto da Quintessência, um grupo formado por vários deuses da editora.

firehawk

Águia Flamejante – Firehawk

Foi criada por Gerry Conway e Pat Broderick surgindo pela primeira vez como Lorraine Reilly no gibi The Fury of Firestorm # 1, em 1982.

E como Firehawk na edição The Fury of Firestorm # 17, em 1983.

Lorraine é filha do Senador Walter Reilly que havia sido sequestrada por Multiplex. O mandante do crime foi Henry Hewitt, um inimigo de seu pai.

Lorraine havia sido colocada numa câmara sendo privada de sensações por bastante tempo (e perdeu sua força de vontade). Então, sofreu uma explosão que ativou seu gene meta-humano concedendo-lhe poderes similares ao do herói Nuclear.

Águia Flamejante pode se transformar apenas usando seu pensamento (dessa mesma forma também consegue mudar seu uniforme alterando as moléculas). Ainda consegue criar e projetar energia (gerando explosões) e canalizando a energia nuclear de seu corpo pra voar.

A heroína usa asas que auxiliam seu voo, no entanto “talvez” não haja necessidade delas (faz isso apenas porque gosta).

Inicialmente, Lorraine havia perdido sua memória chegando a enfrentar o Nuclear. Só que o herói ajudou-a recuperar suas lembranças. Depois que se uniram enfrentando um inimigo em comum tornaram-se parceiros contra o crime. Lorraine teve um relacionamento amoroso com Ronnie Raymond (que não durou muito).

Daí em diante ingressou na comunidade heroica vivendo várias aventuras. Águia Flamejante esteve na Crise dos anos 80, porém não fez nada de muito importante.

Mais durante a Crise de Identidade ela renunciou a vida de super-herói e ingressou na política tornando-se Senadora.

Só que ela havia sido contratada pelo pai de Ronnie pra investigar Jason Rusch, o novo Nuclear. Apurando pra saber se havia alguma conexão, pois Ronnie havia morrido durante a Crise de Identidade.

Lorraine acabou se tornando mentora de Jason sugerindo pra Donna Troy colocá-lo no grupo que havia se formado durante aquele período. Água Flamejante participou da Liga Justiça na formação dos Novos 52 e no ano seguinte Jason e Lorraine se fundiram.

Formando assim o Nuclear quando estão unidos, Jason pode usar os poderes dela (junto com os seus). Ao se separarem, Lorraine ainda pode usar seus poderes normalmente, porém se a distância for maior que um quilômetro há problemas gravíssimos.

Enquanto, Lorraine perde seus poderes, Jason fica incontrolável manifestando diversas explosões. Porém o Doutor Stein arranjou uma maneira de reverter o problema.

Espero que tenham gostado e relembre aqui do texto anterior.

 

Imagens

z

Mulher-Maravilha

É uma das minhas heroínas preferidas dos gibis e tem uma popularidade incrível.

Logo estaremos assistindo ao seu filme de origem nas telonas. A princípio ninguém gostou da escolha de Gal Gadot pra interpretá-la, porém sua aparição em Batman vs Superman deu um gás de esperança pra todos.

Só que houveram até boatos de que o filme seria ruim e a diretora Patty Jenkins correu imediatamente pra dar explicações.

Por enquanto podemos dizer que o trailer mostrado está bom mais pra piorar BvsS está cotadíssimo pra receber o prêmio Framboesa de Ouro. Um tipo de Oscar que premia as piores categorias: filme, ator principal e coadjuvante, atriz mesma que no masc., roteiro, diretor entre outras coisas mais.

Vamos esperar pra conferir e pra mim a adaptação ficou fracona, principalmente por dar destaque pro Morcegão sendo que o filme era do Super.

Felizmente já foi confirmado que haverá Homem de Aço 2 e que Henry Cavill irá retornar pro papel. Eu adoraria que Zack Snyder não fosse cotado pra diretor, mas parece que é querer demais.

Continuando, o grande problema da DC são os executivos da Warner que não tem visão de porcaria nenhuma e querem apenas conseguir verdinhas com o licenciamento de merchandising.

Mudando de assunto o desenho DC Super Hero Girls mostra as aventuras de Diana, Supergirl, Batgirl, Abelha, Katana entre outras personagens da editora.

Acompanhamos a vida das heroínas em aventuras curtas dentro da Super Hero High School. Aonde além de assistir aulas, devem aprender sobre seus poderes e também lhe dar com os tipos diferentes de personalidades.

Amanda Waller é a diretora da escola e temos a presença de vários personagens conhecidos como: Lanterna Verde, Mutano, Nuclear, Flash, Tornado Vermelho entre outros.

As confusões geralmente são aprontadas pela Arlequina e também pela Mulher-Leopardo. O conteúdo dos desenhos são mais leves destinado pra meninas entre 6 e 12 anos.

É uma chance de renovar o público focando nelas que estão acompanhando bastante esse universo que tanto adoramos. Só pra constar, a empresa Mattel lançou uma linha de brinquedos e actions figures desta versão.

Bom, no desenho Justice League Action podemos notar que a equipe ficou muito diferente da versão do Bruce Timm.

Eu confesso que sou fã de BT e sei que são novos tempos querem arranjar uma nova quantidade de fãs e bibibi e bobobo.

Já, Justice League Action está centrado na trindade Superman, Mulher-Maravilha e Batman temos um entrosamento maior entre os heróis dando chance até pra algumas piadinhas e o relacionamento entre Kal e Diana que surgiu durante os Novos 52 foi mantido.

Há também bastante cenas de ação e os personagens foram redesenhados ficando mais simples pra ajudar nas cenas de humor.

Deixo pra essa nova geração apreciar esse desenho, pois a Liga anterior de BT era mil vezes melhor e isso não há como negar nunca, pois é inesquecível pra mim.

No ano passado a Guerreira Amazona fez 75 anos e ao longo destas décadas teve diversas histórias, porém a versão de George Pérez pra mim foi uma das melhores e mais marcantes.

Recentemente seu passado foi reescrito, pois Diana agora é uma semideusa, filha de Zeus com a Rainha Hipólita.

Durante a década de 60, Diana perdeu seus poderes, tendo que adaptar-se aprendeu artes marciais e se tornou dona de uma loja (essa fase ficou famosíssima).

Lembro que na década de 90, Diana perdeu o manto pra Ártemis é uma das amazonas perdidas que que migraram pro Egito. Ela é descendente de Antíope, irmã de Hipólita (e sua tribo é Bana-Mighdall).

Quando a Rainha teve uma visão do futuro viu Diana morrendo e guardando esse segredo. Decidiu intervir afirmando que Diana não servia mais pra ser embaixadora no Patriarcado.

Houve um novo torneio das amazonas, mas Artemis só venceu através de uma artimanha de Hipólita que pediu a feiticeira Magala que conjurasse um feitiço pra ajudá-la.

Artemis tornou-se a nova Mulher-Maravilha recebendo o mesmo uniforme de sua antecessora (o laço da verdade, sandália de Hermes. tendo problemas devido a seu temperamento violento.

A fim de melhorar sua imagem contratou uma empresa de relações públicas. E realmente decidida a mudar estava ajudando imigrantes oprimidos e mulheres que sofreram abuso sexual. Só que secretamente a empresa era comandada pelo vilão Mago Branco e Artemis morreu combatendo-o.

Nessa época, Diana até mudou de uniforme usando um bustiê e bermuda pretos com uma jaquetinha azul. A mudança de uniforme causou polêmica, foi um assunto muito discutido em 2010 e acho que ainda continua sendo, mas colocaram uma calça na personagem (dando um visual bem diferente).

Eu até era contra, porém na verdade independente do modelo usado pra heroína espero que mantenham ótimas histórias pra que nós possamos acompanhar.

Outro fato quase desconhecido dos leitores é que além de Donna Troy, Diana também tem outra irmã.

Núbia é uma Mulher-Maravilha afro-descendente e foi a primeira heroína negra dos quadrinhos. Tem os mesmos poderes que sua irmã, no entanto Núbia foi raptada quando criança e quando retornou teve um confronto com Diana.

Tudo não passava de um ardil do deus Ares mais com o passar do tempo a personagem foi jogada no limbo.

Só pra constar, na série animada Os Joven Titãs em Ação teve um episódio no qual a equipe foi pra Sala da Justiça. Quero acrescentar que a Sala é uma lembrança agradável da molecada que assistiu ao desenho dos Super Amigos (eu sou um deles).

Continuando, na intenção de fugirem acabam entrando no local dos uniformes da Liga e vemos Robin de Batman, Cyborg de Lanterna Verde, Estelar de Flash, Mutano de Ajax e Ravena de Mulher-Maravilha.

É óbvio que aprontaram grandes confusões tendo que salvar a Liga de Darkseid em Apokolips, mas coisas ruins sempre acontecem com eles.

E temos outro momento marcante quando Vic voa ao redor do planeta (lembrando o clássico Super-Homem: O Filme, de 1978).

É um dos raros episódios desta versão dos Titãs que eu gosto de ver, porque na maioria das vezes o humor deles é tão louco que chegar a ser chato.

Pra fechar, quando a heroína fez 75 anos no passado foi admitida como embaixadora honorária da ONU, mas essa indicação teve problemas. O fato é que estão implicando por causa das pin-ups sensuais que são feitas da personagem.

E que seria melhor que colocassem uma pessoa de verdade. Eu até concordo mais seria melhor se nem tivessem indicado. Só que já fizeram isso e destituí-la do cargo seria uma forçada de barra ridícula.

É inegável que a Mulher-Maravilha serve de inspiração pra milhares de moças, mulheres e meninas ao redor do mundo inteiro e retirá-la de sua nomeação seria uma bobagem grandíssima.

O fato de existirem diversas pin-ups da heroína vai de encontro ao princípio de direito de liberdade de expressão que tanto os americanos apregoam.

A heroína tem diversas representação através da décadas. Confira na galeria abaixo algumas imagens da Mulher-Maravilha que garimpei na web

Liga da Justiça: Outro Prego

Justice_League_Nail

Continuação da edição anterior, Justice League of America: Another Nail também foi uma trabalho da dupla Alan Davis responsável pela arte e roteiro e Mark Farmer que ficou com a arte-final.

Foi uma minissérie em três edições lançada pela Panini Comics, em 2005.

A história já começa de forma empolgante, pois devido aos acontecimentos da primeira aventura. Nova Gênese e Apokolips estão deflagrando uma guerra avassaladora.

Os Guardiões do Universo convocaram toda a Tropa dos Lanternas Verdes pra minimizar os problemas do holocausto, mas não adiantou nada.

Darkseid age de maneira implacável, porque quando o campo de força estava envolvendo a Terra (ele já estava pondo em prática seu plano nefasto).

Mais ao notar que sua derrota será iminente Darkseid utiliza a Sina Ômega, uma máquina de destruição vasta, suprema e de proporções inimagináveis.

A Sina Ômega é um tipo de ameba de energia e sua onda de explosão se torna tão abrangente que atingiria toda existência no Multiverso.

O Senhor Milagre e Grande Barda haviam sido capturados pelo Senhor de Apokolips e após ser torturado a exaustão por Desaad. Scott morre (deixando Barda enfurecida e inconsolável).

Mais o Senhor Milagre numa fuga incrível consegue esconder sua alma numa caixa materna e após Barda conseguir um anel de LV atua em conjunto com sua esposa.

Então, Hal, Barry e Ray após um ano começam a investigar os fatos acontecidos em Apokolips. Só ficamos sabendo que há algo sinistro acontecendo quando o Vingador Fantasma está agindo de sua forma enigmática.

Como não poderia deixa de acontecer a situação fica ainda pior, pois Batman ouve a risada do Coringa ameaçando-o. Selina até pensou que Bruce estava enlouquecendo, mas depois que o Desafiador surge assustado sabemos que até o plano astral estava sendo ameaçado.

Acompanhamos o Palhaço do Crime retornando do Tártaro e temos o confronto definitivo dele contra o Morcegóide.

Outro aspecto importante  desta história é que também destaca vários personagens da editora como: Orquídea Negra, Rastejante, Rapina e Columba, Nuclear, Halo, Etrigan, Sindicato do Crime entre outros.

Tanto a Patrulha do Destino, quanto os Renegados novamente desempenham uma importante função na trama.

Bom, apesar de eu particularmente não gostar mais das crises da editora. Notamos que há uma enorme crise temporal desestabilizando tudo.

Vemos isso quando Diana e Arthur vão parar na época dos dinossauros. E também quando Barry e Ray fogem do Sindicato do Crime através do Multiverso que está com problemas em todas as suas realidades.

Mais não tenho como negar que a maneira de como vemos isso acontecendo é empolgante.

A parte engraçada foi quando Martha tentou arranjar um disfarce pro Clark, pois estava diferentão. Só que Lois chegou e deu aquele visual que estamos acostumados a vê-lo. Mesmo diante de tantos problemas o relacionamento entre eles rola.

Aqui presenciamos o Superman realmente aceitar as características marcantes que simboliza e o definem a verdade, justiça e também a esperança.

Mais quem rouba cena é Oliver Queen que estava quase morrendo e faz algo surpreendente (que obviamente não vou contar).

Como na edição anterior a arte de Alan Davis consegue contribuir bastante com nossa leitura. Sua participação no roteiro foi eficiente prendendo minha atenção até a última  página.

Sem sombra de dúvidas sua arte de unir diversos heróis na página me lembrou muito George Pérez (mais a melhor parte é que faz isso com seu próprio estilo).

Quero acrescetar que as cores de John Kalisz mantém o excelente nível da edição anterior.

Liga da Justiça da América: Outro Prego é uma história tão boa que ao chegar no final deixa aquela nítida sensação de querer mais e mais e mais. Fazendo-nos não querer nunca sair daquela aventura incrível.

Até o próximo texto.

 

 

 

 

 

 

A Pedra da Eternidade

pedra-eternidade

É uma aventura fantástica dividida em três partes que foi publicada nas edições # 16, 17 e 18 do gibi Os Melhores do Mundo, em 1998.

Neste período a Liga tinha roteiro do renomado Grant Morrison e a arte estilizada de Howard Porter.

A história já começa com um ataque do Esquadrão Vingança, um tipo de Liga da Justiça maligna. Depois ficamos sabendo que essa equipe era feita somente de energia e estavam sendo controlados mentalmente pela Gangue da Injustiça.

Uma equipe de vilões composta pelos piores inimigos da LJA que havia se formado recentemente. É óbvio que o Esquadrão Vingança foi derrotado, no entanto colheu informações táticas dos integrantes da Liga.

A equipe dos vilões era composta por: Lex Luthor, Coringa, Doutor Luz, Mestre dos Espelhos, Circe e Mestre dos Oceanos.

Enquanto nos Justiceiros estava: o Super-Homem Elétrico, Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Caçador de Marte, Flash (Wally West), Lanterna Verde (Kyle Rayner), Arqueiro Verde (Connor Hawke), Aztek, Homem-Borracha (Enguia O’Brien), Eléktron e Aztek.

Luthor lidera a equipe dos vilões e está de posse da Pedra Filosofal, um artefato que lembra muito o Cubo Cósmico, da Marvel.

Só pra constar a lendária Pedra Filosofal consistia no fato delas conter poderes incríveis, pois tinha a capacidade de trasmutar qualquer metal em ouro (e faz parte do mito da alquimia).

Também no Universo DC A Pedra da Eternidade é a morada do Mago Shazam que fica situada num lugar definido como centro do tempo e espaço.

Voltando, o careca põe em prática seu plano de dividir e conquistar atacando sistematicamente cada integrante da Liga. A situação só piora com a chegada de Metron na Torre de Vigilância.

O novo deus explica que a Pedra Filosofal é um artefato poderossíssimo que burla facilmente a estrutura do tempo e espaço. Dakseid deseja ficar com a Pedra e os heróis tem a missão de impedir que isso aconteceça.

Metron faz uma upgrade nos computadores da LJA com a tecnologia existente na caixa-materna de Nova Gênese.

Então Arthur, Wally e Kyle são enviados em missão, porém ficam perdidos entre as dimensões paralelas para encontrarem a Pedra Filosofal.

A parte mais interessante foi quando Kyle viajou a té ao Mundo das Maravilhas, um lugar com super-heróis gigantescos que protegem o espaço-tempo num nível que mal podemos compreender.

Recebendo a ajuda deles acaba encontrando os seus amigos e através da caixa-materna retornam pra Terra, mas sua viagem dá errado e acabam indo parar quinze anos no futuro.

Seus corpos são transformados em luz e suas consciências assumem o lugar de suas versões deste mundo apocalíptico comandado pelo terrível Darkseid.

Eles vislumbram um mundo caótico e a esperança do mundo consistia na resistência de alguns poucos heróis como: Diana, Eléktron, Azteka, Argenta, Arqueiro Verde e Amazo que havia sido reprogamado pra ajuda-los.

Nessa realidade o Super-Homem e Ajax estavam mortos e os heróis se unem numa impactante missão suicida pra invadir o sistema de computadores de Desaad, na fortaleza do Senhor de Apokolips.

A surpresa foi descobrir um importantíssimo alidado na fortaleza (não vou revelar o nome pra não estragar a emoção de quem pretende ainda ler essa história).

Então a versão desta realidade do Metron é enganado pra levar os heróis de volta pro passado. Enquanto Azteka, Argenta são mortos em combate.

Vemos, Diana lutando bravamente contra Darkseid numa luta dramática, pore´m o vilão é derrotado somente pela inteligência de Ray Palmer.

Essa realidade infernal é destruída graças ao Corredor Negro, um personagem que personifica a morte dos deuses no UDC.

Logo retornamos pro passado no exatamente no Satélite da Liga quando o Azulão Elétrico iria destruir a Pedra Filososal.

Sendo impedido pelo marciano que recebeu o aviso telepático de Kyle Rayner.

No final, Clark, Bruce e Arthur decidem desfazer a LJA, mas também vemos Metron conversando com o Homem-Hora com a afirmação  de que toda aquela aventura acontecia milhares e milhares de vezes através do espaço-tempo (algumas vezes os heróis venciam em outras era Darkseid).

Ao fundo da cena mesmo na escuridão deu pra notar que era o Super-Homem do futuro pertencente a Legião da Justiça.

A Pedra da Eternidade é uma história repleta de reviravoltas que acabam tornando nossa leitura inesquecível.

Lembro até de uma cena muito engraçada em que Circe tenta transforma o Homem-Borracha em porco, mas não consegue ficando irritadísssima.

Outro momento marcante é a presença de Fósforos Malone, um disfarce de Bruce pra ficar sabendo o que acontece no submundo do crime.

Afirmo quem tiver a oportunidade de ler essa aventura jamais irã se arrepender, pois trata-se de uma trma envolvente a cada página que viramos.

Deixe algum comentário.

 

 

 

 

 

 

Lex Luthor

z

Qual é o maior vilão do Universo DC?

Eu responderia de imediato Darkseid, pois é claro que o senhor de Apokolips, um ditador cruel e repulsivo assusta pra valer. Os Raios Ômega  matam instantaneamente qualquer um e ele pode conquistar o universo, isto é, se ninguém se impor.

Ainda temos, Ultraman líder do Sindicato do Crime que é um grupo composto por versões distorcidas da Liga da Justiça oriundos, da Terra-3. Uma Terra Paralela que durante as extensas Crises da editora é destruída e depois retorna novamente pra continuidade.

No Sindicato temos Ultraman (versão do Kal), Coruja (versão do Bruce), Superwoman (versão da Diana), Anel Energético (versão do LV) e Johnny Quick (versão do Flash).

Ao longo das décadas temos vistos várias versões dessa equipe sendo mostrada (a melhor delas está em “Liga da Justiça: Crise em Duas Terras“).

Não posso esquercer do terrível Sinestro que devido a sua insistente mania de querer colocar “ordem” no universo. Criou a infame Tropa dos Lanternas Amarelos, um bando de vilões que seguem seu código doentio.

Ainda temos o Coringa um psicopata, lunático de humor doentio tornando suas ações imprevisíveis.  O Palhaço do Crime  tem a desculpa de odiar o Batman e perverter tudo que o Morcegão representa.

Eu até diria que o Coringa dos Novos 52 está diretamente ligado ao do finado ator Heath Ledger que teve uma extraordinária, genial e anárquica forma de nos apresentar ao Palhaço. Porém por mais doentio que o Sr. C seja não tenho mais fascínio por ele e sim por Luthor.

Lex  Luthor é um empresário criminoso, frio, calculista e manipulador. Além de ter um grande conhecimento de engenharia, química e liderança (tornou-se um milionário usando sua fortuna para criar a LEXCORP). Age constantemente através de terceiros e analisa criteriosamente todos os fatos para que cheguem ao seu intento e não poupa ninguém em seu caminho.

Lex afirma que têm inteligência acima do nível 12 não sei dizer em que ponto pode estar seu Q.I., mas sim pelo fato impressionante de que ludibriou DarkseidPor causa disto afirmo Lex me assusta mais do que o Coringa.

Qual é a desculpa de Luthor para ter ojeriza pelo Superman?

Pra mim era que a inveja vinha do herói ter todos aqueles dons e usá-los para o bem comum. Mais depois pensando insistentemente no assunto notei que a questão não era tão simples assim.

Lex não aceita  que sua inteligência seja posta pra escanteio apenas por causa de alguém  que possa fazer feitos incríveis. É a velha máxima do cérebro x músculo.

Lembro que o Homem de Aço da Era de Prata também tinha um nível de inteligência bem elevado mais que foi drasticamente alterado no período posterior (Pós-Crise dos anos 80).

Alego que “talvez” sem a presença de Kal psicologicamente Luthor não seria um vilão e usasse todo seu poder para algo que não seja subjugar seu arqui-inimigo. E podendo assim ajudar a humanidade a evoluir.

Do meu ponto de vista Lex não aceita que toda  sua fortuna, prestígio, poder e inteligência sejam comparadas ao nada diante de um alienígena. A inveja está no fato de querer estar no nível perfeito de Kal-El e desfrutar de todo o status que possui.

“A maior mente criminosa de nosso tempo” deseja ser adorado e adulado pelas pessoas, pois têm um ego enorme. No entanto precisa viver a sombra da popularidade do Super, coitadinho!

Lex Luthor foi criado pelos lendários Jerry Shiegel e Joe Shuster surgindo pela primeira vez na edição Action Comics # 23, em 1940. No início, Lex era simplesmente um cientista louco que desejava destruir o mundo (algo típico daquela época mais inocente).

Um fato interessante é que Luthor nem sempre foi careca e por mais incrível que possa parecer tinha cabelos ruivos. Foi na distante década de 60 e nesta época, Lex e Superboy eram amigos sendo que Luthor aspirava ser um grande cientista no futuro.

Mais infelizmente um incêndio destruiu seu laboratório e o Superboy veio acudir soprando, porém o produto avançou sobre Lex fazendo seus cabelos cairem. Então Luthor colocou a culpa no Garoto de Aço surgindo o ódio e a intenção de matá-lo (neste desenho temos uma adaptação desta origem clássica).

Dizem as lendas que também houve um erro quando um desenhista fez LL careca. Só que Shuster gostou do visual e depois com o advento do Multiverso explicaram que o Lex com cabelo pertencia a realidade da Terra-2.

Outra curiosidade vemos na clássica aventura “O Confronto entre Luthor e Superman, com arte de Curt Swan e roteiro de Edmond Hamilton, de 1963.

É quando vemos o planeta Lexor no qual adoravam LL como seu herói, pois havia ajudado os habitantes a recontruirem seu mundo (rebatizando-o em sua homenagem).

O planeta orbita um sol vermelho e o Superman perde seus poderes quando está nele. Luthor até havia se casado com Ardora, uma nativa de Luxor. Ele sempre se refugiava lá para planejar outros ataques contra o Azulão.

Infelizmente num desses seus planos Lexor foi destruído, mas Luthor não sentiu remorsos pela perda do planeta e também de sua esposa (novamente culpando o Super pelo que aconteceu).

Durante os anos 70 até meados da década seguinte as crianças do mundo inteiro curtiram o inesquecível desenho dos Superamigos, no qual tínhamos a infame Legião do Mal.

Equipe rival da Liga da Justiça composta pelos maiores inimigos retirados dos gibis com os vilões: Brainiac, Solomon Grundy, Bizarro, Cheetah, Capitão Frio entre outros.

Nos gibis Pré-Crise havia um Alexander Luthor, da Terra-3 agindo como único herói desta realidade combatendo o Sindicato do Crime da América (vilões citados lá encima).

Durante a Crise nas Infinitas Terras, Luthor estava casado com Miriam Lane, uma versão da Lois e tiveram um filho. Alexander Luthor Jr. que foi enviado pra nossa Terra que ajudou a salvar o universo.

Crise Infinita surgiu pra homenagear esta clássica saga e demonstrou que Alexander Júnior manipulou a todos pra recriar o Multiverso. A melhor parte nesta aventura foi ver a ascenção do Superboy Primordial como um dos maiores vilões da editora.

Na década de 90, Lex havia “morrido” e sua mente estava num clone cabeludo e bem mais jovem. Ele havia mentido  alegando ser, Lex Luthor Jr II filho do empresário sendo que tentava recompensar o passado maldoso de seu pai (lembrando que nesta época a Supergirl/Matriz era sua namorada).

Nos desenhos Lex teve inúmeras versões eu gosto daquela que estava nos Superamigos, pois usava seu uniforme roxo e verde dos quadrinhos. Depois gostei do que assisti no desenho da Ruby-Spears, pois estava realmente lembrando sua versão feita por John Byrne.

Na série animada do Azulão dos anos 90 não fizaram nada de significativo repetindo a dose da versão anterior.

Na excelente série animada Batman: Os Bravos e Destemidos que mostra personagens em suas versões mais clássicas. Temos um careca que homenageia a versão original criada por Siegel e Shuster, em 1943 (como também a  que foi feita por John Byrne).

E por último a melhor de todas no desenho da Liga da Justiça quando ficou namorando a sensual Tala, estava louco pra se unir a Brainiac e até matou o Gorila Grodd (sua inteligência foi o motivo pra mim escrever esta matéria).

Entre os atores o careca já foi interpretado por alguns ao longo das décadas. O primeiro foi Lyle Talbot no seriado clássico com Kirk Alyn, na década de 50.

Depois tivemos o insuperável e surreal Gene Hackman numa versão bastante engraçada, porque apesar de inteligente era muito canastrão.

No péssimo seriado As Aventuras do Superboy exibido no final do anos 80, foi a vez de Scott Wells que depois foi substituído por Sherman Howard.

Na vez de John Sea, Lex tinha cabelo e sua versão era mais compatível com aquela que também havia sido mostrada por John Byrne (um empresário, inescrupuloso que se disfarça como filantropo pra sociedade).

A melhor encarnação de Lex pra mim foi feita pelo ator Michael Rosenbaum, em Smallville, pois ficou exatamente igual ao vilão dos gibis.

Infelizmente no fraquíssimo, Superman: Returns foi quando vimos Kevin Spacey que estava apenas reeditando a versão de Hackman nos filmes antigos (pra mim era óbvio que o ator merecia algo melhor).

Agora no aguardado e comentadíssimo Batman vs Superman: A Origem da Justiça com direção de Zack Snyder que só veremos em março de 2016. Será a vez do ator Jesse Eisenberg nos mostrar sua versão do careca.

O trailer está empolgante, mas quero me extasiar somente depois que assitir ao filme.

Lex já foi casado também com a Contessa Erica Alexandra, uma quase imortal e juntos tiveram Lena Luthor. Mais atualmente tanto a filha quanto a mãe estão jogadas no limbo da editora.

E só pra fechar nos gibis durante os anos 2000 o vilão careca esteve ocupando a Casa Branca (como vimos na excelente animação Superman/Batman: Inimigos Públicos.

Assim como fiz na postagem com Thanos confira na galeria abaixo alguns vilões do Universo DC que garimpei na web

0-lex-luthor-smallville

lex-luthor-lyle-talbot luthor-1980

lex-1990

2-darkseid-dick giordano 3-zod-terence stamp 4-zod-michael-shannon 5-sindicato-do-crime-da-amerika 6-ares 7-brainiac 8-Despero 9-Bane 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 amazo anti_monitor bizarros-ed mcguiness caçadores-cósmicos capitao-nazista doutor-destino dr-silvana epoch Fatal_Five homem-brinquedo hro-talak imperiex Kalibak Kanjar_Ro King-Shark Krona Luminus mago-do-tempo magog major força Metallo_john-byrne Monster_Society_of_Evil Mordred_Le_Fey Ocean_Master onda-termica parasita pistoleiro Ray_Thompson Royal_Flush_Gang sindicato-do-crime-by-ivan-reis sombra Sr. Mxyzpltk sr-cerebro Steppenwolf superboy-prime-by-jim-lee superman ciborgue ultimen Ultra-Humanoide Vandal Savage wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper by josé luiz garcia-lópez wallpaper-apocalypse wallpaper-bizarro wallpaper-black-adam-by-alex-ross wallpaper-by-alex-ross wallpaper-by-alfonso mendez figueroa wallpaper-Injustice_League wallpaper-justice-alex-ross wallpaper-marcio takara wallpaper-mr.-freeze wallpaper-Secret-Society wallpaper-Solomon-Grundy

A Origem de Darkseid

darkseid

Assim como Thanos está para maior vilão espacial da Marvel Comics também temos Darkseid desfrutando do mesmo status na DC. A tradução de dark side pra nós brasileiros é um anagrama para lado negro.

Criado pelo mestre Jack Kirby sua primeira aparição foi no gibi Superman’s Pal Jimmy Olsen # 13, nos anos 1970.

Darkseid é um dos principais inimigos do Superman e já apareceu tanto na ótima série animada do Azulão (1996) como também no excelente desenho da Liga da Justiça Sem Limites (2001).

O senhor do mal é ardiloso, inteligente, cientista formidável, grande estrategista, cruel e manipulador. Pra piorar consegue disparar de seus olhos o assustador efeito ômega, uma rajada de energia que pode ir pra qualquer direção.

Fora tudo isso ainda possui agilidade, força, velocidade, resistência e sentidos absurdamente maiores do que nós meros mortais.

O maior desejo de Darkseid é encontrar a Equação Antivida algo que lhe daria o poder para dominar tudo aquilo que desejar.

No último episódio da série animada da Liga, Lex Luthor encontra a Equação Antivida atravessando a Muralha da Fonte, uma barreira que fica no limite do universo (provando ser tão inteligente quanto Metron, também dos Novos Deuses).

Depois da muralha encontra-se a “fonte”, a essência cósmica de tudo que existe (“parece” que ambos morrem).

Só pra constar a luta entre o Azulão e o tirano espacial é fantástica com o herói usando absurdamente toda sua força.

Voltando, Darkseid é pai do guerreiro esquentadinho Órion, do idiota do Kalibake e do estranho Grayven. Uma antiga profecia diz que Dakseid será morto por seu filho Órion.

Regendo de forma implacável o planeta Apokolips, Darkseid ainda conta com vários asseclas como: Desaad (seu maior puxa-saco), Parademônios, Vovó Bondade, as Fúrias Femininas, Virman Vundabar, Doutor Bedlam entre outros.

A capital deste reino sombrio chama-se Armagetto, um dos lugares mais lúgubres de todo universo.

Bom, A Origem de Dakseid teve roteiro e arte do grande John Byrne. E sua história foi dividida em três partes nas edições de DC Millenium # 4, 5 e 6, em 2002.

“Lealdade em Apokolips”, mostra como começou a amizade entre Izaya e Drax.

Ambos serão futuramente conhecidos como Pai Celestial e Darkseid. Eles estavam disputando uma queda de braço num bar.

Os guerreiros eram grandes amigos, mas de planetas que travaram diversas guerras no passado Nova Gênese e Apokolips. Durante uma cavalgada ao luar, Drax e Izaya selaram um acordo de paz e esperança pro futuro de seus mundos.

Na segunda parte temos “Mães e Filhos”, Drax é o filho primogênito da Rainha Heggra. Ela desdenha do acordo feito pelo filho e Lorde Uxas, seu filho mais novo destila seu veneno contra Drax (eles querem que as épocas das guerras voltem).

Uxas está casado com Tigra contra sua vontade e Drax não quis ficar com nenhuma mulher que sua mãe havia escolhido pra ser sua consorte.

A rainha provoca seu filho perguntando quando arranjará uma esposa e também fará seu rito de passagem para assumir seu poder divino e novo nome.

Drax teme o que acontecerá com ele ao tentar usar a Força Ômega, um poder que já destruiu vários homens que a tentaram dominar. Então, Desaad convence, Drax a escolher um dos nomes antigos do Tomo Sagrado deles, Darkseid.

Na continuação temos “Alfa e Ômega” com Drax se preparando para entrar na Fossa do Infinito afim de ser transfigurado. Sua última conversa com Uxas demonstra que seu irmão mais novo adora manipular os outros.

Quando, Drax está recebendo a energia Uxas finaliza seu plano pra mata-lo, pois queria adquiri o poder supremo em seu lugar. Mais sua intervenção acaba liberando uma força inconcebível (a história termina com Desaad boquiaberto).

A terceira parte mostra, “O Mortífero Darkseid”, envolto num traje de contensão o vilão nasce e na presença da Rainha Heggra já começa a demonstrar suas intenções.

Só que a regente demonstra “saber” que se trata de Uxas, pois ridiculariza Drax chamando-o de pacifista.

A parte interessante é que tanto Drax quanto Uxas desfrutaram da Força Ômega, mas Darkseid emerge do Fosso do Infinito e não sabemos qual deles realmente sobreviveu (só podemos supor que seja Drax).

Após conversar com sua mãe, Darkseid vai até o quarto de Tigra, sua esposa descobrindo que ela está grávida.

Haverá um tratado de paz entre Nova Gênese e Apokolips sendo que seus filhos serão trocados. Órion, filho de Darkseid irá ser criado pelo Pai Celestial sendo bem tratado (enquanto o Senhor Milagre, filho do Pai Celestial sofrerá pelas mãos da Vovó Bondade).

A história é curta ficando diluída entre as edições, porém não deixa de ser interessante saber como surgiu um dos maiores vilões da DC Comics.

Um aspecto interessante desta trama é mostrar que Darkseid já teve uma aparência humana sendo bastante diferente da forma rochosa que estamos acostumados a ve-lo.