Ciborgue

z

Atualmente podemos ver que Ciborgue é um membro fundador da Liga da Justiça, pois durante a saga Novos 52 sua origem foi recontada.

Obviamente pra nós que conhecemos o personagem há algum tempo sempre estará marcado como um integrante dos Titãs. Tal afirmação é uma referência marcante, pois participou das duas versões mostradas na telinha deles.

Cyborg foi criado pela dupla Marv Wolfman e George Pérez surgindo pela primeira vez na edição DC Comics Presents # 26 (durante aquela famosa fase dos Novos Titãs, em 1980).

Victor Stone é filho dos cientistas Silas e Elionore Stone. Vic cresceu sendo obrigado por seus pais a seguir na carreira de cientista, pois tinha Q.I. elevado de 170.

Seus pais dedicavam mais tempo de sua vida pra ciência do que com o menino. Isso acabou tornando-se um problema, porque se sentia muito só. Quando passou a frequentar uma escola pública, Vic optou por tornar-se atleta de futebol americano.

Nesse período conheceu Marcy Reynolds, sua namorada e ficava treinando pra ingressar nos Jogos Olímpicos. Seu pai não gostou, porque seus planos pra ele eram outros (o relacionamento deles era muito conturbado).

Num dia, Vic decidiu visitar seu pai nos Laboratórios S.T.A.R (STAR Labs.), Silas e Elionore trabalhavam juntos estudando e observando outras dimensões. E também desenvolviam peças cibernéticas pra serem usadas por soldados deficientes.

Silas observava uma outra dimensão quando uma criatura atravessou acidentalmente ( o animal matou Elionore e deixou Vic mortalmente ferido). Devido ao medo de também perder seu filho, Silas reconstruiu seu corpo com protótipos cibernéticos (feitos de aço reforçado, plásticos e polímeros especiais).

Vic ficou revoltado ao perceber no que havia se tornado, foi morar sozinho e acabou se isolando de todos. Até ser convocado pela Ravena pra se unir aos Titãs.

Atuando na equipe dos Titãs, Ciborgue tornou-se amigo do Mutano (Garfield Logan) e juntos tiveram várias aventuras incríveis.

Na fase dos Novos 52 feita por Jim Lee e Geoff Johns (2011) sua origem foi modificada só um pouco, pois continua sendo atleta de futebol. Após ganhar um jogo, Vic fica com raiva, pois seu pai havia quebrado a promessa de ir vê-lo.

Depois foi visitá-lo nos Laboratórios S.T.A.R, os cientistas pesquisavam uma caixa materna encontrada pelo Superman. Ambos discutem e Silas afirma que nunca verá um jogo do filho. A caixa explode matando vários cientistas e destruindo a maior parte do corpo de Vic.

Silas com a ajuda de Sarah Charles, sua assistente usam a tecnologia do Quarto Vermelho, composta de tudo que há de mais avançado encontrado em nosso planeta.

Graças a energia da caixa materna, Vic é salvo surgindo o Ciborgue que consegue acessar o banco de dados dos Novos Deuses.

Devido a sua capacidade de se comunicar, interagir e manipular todas as formas de tecnologia.

Ciborgue descobriu os planos de invasão de Darkseid se unindo aos heróis: Superman, Batman, Lanterna Verde, Mulher-Maravilha, Flash e Aquaman para detê-lo.

A animação Liga da Justiça: Guerra demonstra de maneira formidável esses acontecimentos.

Como herói Ciborgue possui: super força, velocidade, agilidade, resistência e invulnerabilidade. Como se apenas isso não bastasse ainda demonstra ter: canhão laser, produção de energia, capacidade de voo (utilizando um jato), serra elétrica e garras retráteis.

Em Ponto de Ignição, o Professor Zoom com seu ódio pelo Flash alterou a realidade. Nesta Terra o Ciborgue é o maior herói da América, agindo como líder da resistência para deter as forças de Aquaman e da Mulher-Maravilha.

Só pra constar, Ciborgue já integrou a Liga da Justiça há muito tempo atrás na última versão dos Super Amigos (na qual torna-se amigo do Nuclear).

No desenho Os Jovens Titãs, temos um Vic mais descontraído e inteligente. Parecendo até que havia superado aquela amargura por ter se transformado meio homem, meio máquina (olááá, Robocop!). Ele é orfão de mãe e ganhou suas partes cibernéticas depois de um acidente de carro.

É a melhor versão mostrada da equipe até agora (e será imbatível por um longo tempo).

Em Smallville o ator Lee Thompson Young interpreta o personagem. Vic era uma ex-estrela de futebol da Metropolis High School. O corpo cibernético do herói foi implantado pelo Dr. Hong.

No seriado tivemos uma Liga da Justiça formada por: Clark (Tom Welling), Aquaman, Impulso e Arqueiro Verde.

Infelizmente, o ator Lee Thompson Young morreu em 2013 a polícia acredita que tenha cometido suicídio por causa das provas que encontraram no local do crime (R.I.P.).

Continuando, na versão, Os Jovens Titãs em Ação sua personalidade mudou drasticamente. Pra ser sincero a personalidade de todos foi elevada a nona potência (no intuito de ser cômica e engraçada). As vezes consegue dar certo, mas em outras fica absurda até demais.

Ciborgue está mais brincalhão e muito bobo. Mutano continua sendo seu melhor amigo e discutem bastante por motivos fúteis. Enquanto Ciborgue adora comer hambúrguer já o Mutano gosta de burrito.

Gosto do relacionamento do herói com Jynx, uma vilã integrante do Quinteto Mortal, acho engraçada a Estelar sempre dando o fora no Robin e me divirto quando Ravena bate no Mutano (só que lá no fundo ela gosta do verdinho).

Mais vemos diversos momentos engraçados como na música “A Noite vai Brilhar” rendendo homenagens pros anos 80, principalmente pro desenho Transformers.

Teve outro episódio da televisão comentando sobre Esquadrão Classe A entre outros seriados daquela época.

Outro que também gosto acontece quando a equipe volta das férias e todos vão pra escola sendo detidos algo inspirado no Clube dos Cinco. O Robin lembra até do golpe da garça que nos conecta ao Karatê Kid (mais um filme marcante daquela época).

O episódio que eu mais adoro é aquele que entram na Sala de Justiça feita igual ao desenho dos Super Amigos. O Ciborgue é fã da equipe e sonha um dia entrar pra LJA.

Dentro do QG precisam usar os uniformes sendo que Lanterna Verde (virou Ciborgue), Ravena (Mulher-Maravilha), Robin (Batman esse era óbvio), Flash (Estelar) e Mutano (com sua cor verde só poderia ser o Caçador de Marte).

Eles descobrem que a Liga foi capturada por Darkseid tendo até uma zoação com Star Wars. Na intenção de salvar a Liga acabam matando eles e necessitam voltar no tempo várias e várias vezes, mas sempre tendo consequências desastrosas.

Isso é outra referência, pois Ciborgue gira em torno de Apokolips (tipo o Super-Homem fez no filme de 1978).

Um detalhe interessante é que a equipe tem um mecha robo no melhor estilo tokusatsu. O Robô Titã é composto obviamente pela equipe, mas me lembrou bastante o Titã Simbiônico.

Os Jovens Titãs em Ação é o típico desenho ame-o ou deixe-o, no entanto existem aquelas situações que foram bem exploradas.

Ciborgue também participa de Justice League Action sua origem e modo de agir mantiveram-se da mesma forma da versão animada anterior.

No filme da Liga da Justiça o ator Ray Fisher interpretou o herói.

Sua origem está conectada ao que comentei sobre a versão do personagem lançada em 2011. Se não me falha a memória no fraco, Batman vs Superman já temos algo que demonstra isso.

A intenção da editora era lançar um filme solo do herói, porém o fraco desempenho da Liga nas bilheterias fez  o projeto naufragar.

Continuando, na animação, Liga da Justiça vs Novos Titãs que é focada na interação do Damian Wayne com os heróis adolescentes. Vemos que a equipe é liderada pela Estelar, Robin e Ravena se interessam um pelo outro e Vic se comporta de forma engraçada interagindo sempre com as duas equipes.

Ciborgue é um dos melhores personagens já criados pela DC Comics e sua ascensão pra mim tem sido ótima.

Só pra fechar, no universo Ame-Comi temos uma versão feminina do herói (que também tem o codinome de Cyborg).

Veja na galeria abaixo algumas imagens do Vic que pesquei na web

Anúncios

Coleção DC 70 Anos

superman___alex_ross

Quando a empresa atingiu a marca de sete décadas de publicações lançou gibis com seu melhores ícones.

Então foram 6 edições abordando As Maiores Histórias do Superman, Lanterna Verde, Mulher-Maravilha, Flash, Liga da Justiça e Batman.

Obviamente são aventuras dos personagens que abordam a Era de Ouro, Prata, Bronze e Moderna.

É importante notarmos que as histórias lançadas são as mais influentes de cada período citado servindo pra termos uma ideia da evolução dos heróis a cada década.

Bom, ao invés de comentar cada uma das revistas (algo que sempre faço). Desta vez vou apenas falar de uma aventura que me impressionou bastante.

As capas de todas as edições tem arte de Alex Ross dando mais destaque pra cada uma delas.

Chega de enrolação e vamos ao que interessa

jim-steranko

Superman – “O Exílio á Beira da Eternidade”

A primeira edição é dedicada ao Azulão mostrando momentos importantes como sua origem, funcionamento dos poderes, a versão de John Byrne, Os Últimos Dias do Superman e Olho por Olho que já fiz comentários há um tempo atrás.

Aqui temos roteiro e arte de Jim Steranko, um dos mais renomados desenhistas dos gibis de todos os tempos.

Na trama estamos no futuro, pois havia vinte mil anos que o Superman havia morrido. Seu legado foi honrado por seus descendentes e até uma constelação foi batizada com seu nome heroico.

Com o auxílio deles a humanidade desbravou o espaço colonizando milhares de planetas. Através dos séculos e milênios os descendentes de Kal evoluíram e se modificaram.

Paralelamente a tecnologia desenvolvida pelo homem atingiu seu ápice, mas nem tudo era perfeito nessa sociedade utópica (havia política, guerras, cobiça e mortes).

Pra piorar numa estação mineradora com robôs autômatos classificou de maneira errada uma chuva de meteoros como ameaça. Em retaliação detonaram armas tão poderosas que rasgaram o tecido da realidade causando um colapso que estava destruindo tudo no universo.

A explosão voraz fazia planetas e sistemas solares sumirem e a notícia se espalhou rapidamente. A Irmandade Superman foi convocada pra resolver o problema e pra solucioná-lo foi proposto algo extraordinário.

Toda a humanidade seria convertida em seres de luz, porém alguém deveria ficar pra lançar essa enrgia no vórtice devorador.

O único que se apresentou foi A’dam’ Mkent, um Superman deficiente visual. Ao realizar essa façanha monumental de salvar o universo, A’dam ficou sozinho e vagando por muito tempo, muito tempo (chegando até a enlouquecer por causa disso).

Bom, nem preciso contar que a arte psicodélica de Jim Steranko me deixou alucinado (confesso que virei fã só por causa dela).

O Exílio á Beira da Eternidade é uma aventura que vale a pena viajar em sua leitura. Principalmente, porque me surpreendeu pelos aspectos futuristas apresentados e lembrando o arrebatamento bíblico (entre outras coisas). Não vou comentar o final pra não estragar a surpresa de quem quiser ler.

green-lantern

Lanterna Verde – “Vôo”

A segunda edição é dedicada ao Homem de Verde mais famoso da Tropa.

Vou deixar de fora “S.O.S Lanterna Verde” que é a história de origem , “O Mal Sucumbirá Ante Minha Presença” (introdução de John Stewart) e Velocidade da Luz, pois também já comentei.             

Antes de mais nada eu fiquei muito tentado em falar sobre “O Herói do Amanhã” que homenageia tanto Alan Scott quanto Hal Jordan.

Há vários elementos clássicos da mitologia de ambos mostrando Tom Kalmaku, Jade, Os Guardiões de Oa e até o chato do Krona.

Mais “Vôo” com arte de Darwyn Cooke e roteiro de Geoff Johns me pegou de surpresa.

Em relação a história anterior que citei posso afirmar que é bem simples, porém o fato importante é que mostra o fascínio de voar.

Algo que sinceramente é muito estranho, pois os heróis voam pra qualquer lugar com seu anel energético. O que nos conecta nessa aventura é a realidade que nós podemos voar de avião e apreciar o mundo lá de cima (algo que nunca fiz, mas sonho realizar futuramente).

Na trama, Harold Jordan é um aficcionado por aviões desde pequeno, principlamente, porque seu pai Martin é piloto de avião. Houve um período que todos os dias antes de ir pra escola Hal sumia pra ver seu pai voando.

Isso se tornou uma grave peocupação pra sua mãe e motivo de orgulho do pai é lógico. Só que transformou-se um problema quando o menino revelou pra eles que esse era o seu maior desejo.

Então, numa noite, Martin o leva pra voar escondido sendo um acontecimento inesquecível pro jovem Jordan. Marcando-o pra vida toda e a melhor parte nessa história é vermos o tempo passando e Hal levando no mesmo lugar Carol Ferris e Kyle Rayner.

Nesses anos todos que passaram a únca coisa constante é a presença de Johnny, na entrada do hangar transformando a aventura em algo pessoal (já que conhecia Jordan desde garotinho).

Essa passagem de tempo e o sentimento de vida particular tornam “Vôo” uma história singular conectando aquilo que nos faz ser nós mesmos. E nem preciso comentar sobre Darwyn Cooke e Geoff Johns, pois a carreira de ambos já fala por si só.

Espero que tenham gostado.

 

 

Superman: Origem Secreta

superman-secret-origin

A história saiu diluída em seis partes nas edições do Azulão do n° 90 até 95, em 2010.

O excelente roteiro de Geoff Johns e a bela arte de Gary Frank tornam nossa aventura mais empolgante.

Na edição # 90,  temos “O Menino de Aço”, uma óbvia homenagem ao Superboy pelo título da aventura. Aqui presenciamos o período da vida de Clark em Smallville.

A descoberta dos seus poderes, o medo de ser diferente do resto das pessoas, sua origem kriptoniana, o romance com Lana Lang e o uniforme costurado por Martha.

Fatos que nos conectam tanto com a versão de John Byrne quanto ao seriado televisivo com Tom Weilling.

Na edição # 91, temos “Superboy e a Legião dos Super-Heróis”, Clark usando o uniforme azul e vermelho pela primeria vez evita que um motorista bêbado morra num acidente. O homem ao relatar o acontecido é desacreditado pela polícia, justamente, por causa de suas condições.

Martha orgulhosa recorta as reportagens dos atos heroicos do misterioso Super-Boy igual na versão de Byrne. Clark pergunta a Jonathan se estamos sozinhos no universo e a resposta vem de Lex Luthor (no colégio).

Lex já demonstra ser insuportável e dono de uma ambição desmedida (pensando em formar um império em Metrópolis). Devido aos seus poderes e por se sentir diferente dos demais, Clark se afasta de todos, até de Lana que apaixonada estava disposta a tudo pra ajudá-lo.

Quando caminhava tristonho e sozinho encontra Cósmico, Satúrnia e Relâmpago, a primeira formação da LSH. Eles vieram para agradecer o quanto, Kal seria importante no futuro de onde vieram o séc. XXXI.

Clark implora pra viajar com eles conhecendo Smallville, a sede da equipe naquela época. (lembrando que nas ediçoes antigas a sede ficava em Metrópolis).

Logo  surge uma emergência e eles combatem Supremacistas Humanos, um grupo separatista que odeia aliens. Aqui a Polícia Científica não age a favor da Legião algo que nos conecta a edição Superman e a Legião dos Super-Heróis que acontece algo semelhante.

Voltando, depois da confusão Brainiac 5 reclama com os adolescentes sobre o fato catastrófico de mostrar o futuro para Kal e como isso poderia destruir a realidade na qual vivem. Éterea e Tríade ficam encantadas com Clark. Relâmpago explica que ele é a causa de sua inspiração heroica e tornou-se amigo deles.

Na volta pro passado Kal pede que se encontrem novamente mais vezes. Eles consideram a situação apenas se omitirem acontecimentos bons e ruins do seu futuro (fato que também nos conecta as aventuras antigas da LSH).

Ao revelar pros seus pais sua aventura no futuro, Clark escuta uma espaçonave chegando (vinda do seu planeta nela está Kripto que não é mostrado). A cena é cortada pra casa de Lex com o Chefe Parker contando-lhe sobre a morte de Lionel Luthor. Pela cara de Lex, pra mim fica evidente que ele assassinou o próprio pai para poder ficar rico.

Na edição # 92, temos “Pacato Repórter”, com Clark iniciando sua vida em Metrópolis. O melhor nisso tudo é constatar que Gary Frank homenageia Christopher Reeve, pois o herói tem a fisionomia dele.

Clark fica deslumbrado com a cidade. Lembrando que Metrópolis foi baseada em Nova York por isso ela é tão esplêndida.

Neste período o Planeta Diário estava muito mal de vendagens (quase fechando suas portas). Então vemos os coadjuvantes do herói na redação com Lois Lane, Jimmy Olsen, Perry White, Cat Grant entre outros. Clark demonstra ser muito atrapalhado,se veste de maneira formal com terno e gravata e encontra Rudy Jones no elevador (ele está trabalhando como auxiliar de serviços gerais no prédio).

Após ser apresentado pros seus colegas, Lois usa Clark pra entrar numa apresentação do exoesqueleto Metallo, da Lexcorp. Durante uma confusão com o robô, Lois acaba caindo do prédio. Eis outra cena que nos conecta ao filme de 1978, pois o Azulão voa pra salvá-la.

O surgimento do herói tornar-se o maior acontecimento da cidade deixando, Kal bastante assustado.

Na edição # 93, temos “Parasitas”, Lex é considerado o maior benfeitor de Metrópolis (escolhendo todas as manhãs um humilde cidadão para ser “ajudado”).

No portão da Lexcorp várias pessoas se acotovelam e brigam para serem agraciadas pelo auxílio dele. Os seguranças escolhem no computador a dedo quem será o individuo. E desta vez quem teve a sorte foi Rudy Jones apenas, porque trabalha no Planeta.

Luthor já começa a ser ofuscado pelo aparecimento do Homem de Aço e convoca a força, Lois e Clark pra uma reunião. O assunto é claro trata-se sobre o misterioso “Homem Voador”. Enquanto a discussão dos três ficava acalorada, Rudy muito glutão come uma rosquinha contaminada com um produto químico tóxico sendo transformado no Parasita (causando confusão e atacando quem estiver por perto).

O Super age resultando no primeiro confronto entre eles. Depois de conter a ameaça, o herói é interpelado por Lex sofrendo a acusação de ser alienígena e de ter vindo nos conquistar. As afirmações do careca repercutem nas pessoas deixando-as atemorizadas.

Diante dos acontecimentos, Kal fica no alto do globo do Planeta pensativo encontrando Jimmy que estava disposto a abandonar tudo. E retornar pra casa, Clark também estava pensando da mesma forma. Tem início a amizade entre eles e Jimmy tira a primeira foto do herói.

Então, Lois com a história e Jimmy levando a foto lançam uma reportagem apoiando o Azulão (quando todos os outros jornais demonstram temê-lo).

Na edição # 94, é a vez de “Estranho Visitante”, mesmo o Superman tendo salvo algumas pessoas de um incêndio a desconfiança sobre ele ainda persiste.

Lois e Jimmy tornam-se realmente seus amigos e Lex se corrói de inveja pela crescente popularidade do herói. Diante do surgimento de alguém tão poderoso o General Sam Lane pensando na segurança nacional arranja tecnologia bélica vinda da Lexcorp pra deter o alien.

Enquanto isso o Sargento John Corben visita Lois na redação que devido as reportagens do Azulão aumenta consideravelmente o número de vendas (trazendo melhorias pra estrutura do prédio).

Corben tenta impor um novo encontro com ela, mas Clark intervem no último momento. Fato que faz ser bem visto por Lois. Só que durante o almoço, Clark disfarça ser destrambelhado novamente e afasta o interesse que ela estava começando a ter nele.

Luthor mostra pro general a kriptonita sendo usada no exoesqueleto Metallo (que será pilotado por John Corben).

Clark sai pro que seria um salvamento de incêndio, mas é intimado pelo general num interrogatório sobre suas verdadeiras intenções aqui na Terra. Ao sair é atacado pelo exército e por Corben e mesmo sendo bastante alvejado, fica debilitado por causa da exposição a pedra. As balas ricocheteiam na kriptonita que alimenta o traje causando uma enorme explosão ferindo Corben gravemente.

A história termina com o Planeta sendo obrigado a fechar por ordem presidencial e o Homem do Amanhã caçado como inimigo público.

Na edição # 95, temos ‘Apenas o Início”, com o general acusando sua filha de ser a namorado de um alien e seus soldados acuando o pessoal da redação. Lane demonstra que não dá a mínima pra filha revelando que o herói foi considerado uma ameaça nacional.

E conta também que o Super é um alienígena deixando a todos boquiabertos. Enquanto isso Lex opera Corben tranformando-o definitivamente no Metallo (algo semelhante havia acontecido na série animada do Super nos anos 90).

Superman é caçado pelo exército nos esgotos tendo que reagir pra se defender.

Na redação, Sam revela possuir a kriptonita que pode realmente matar o herói, porém devido a uma distração causada por Jimmy, Lois consegue fugir.

O combate entre Metallo e o Super destrói uma parte do centro da cidade. Durante a luta vemos Corben ataca friamente seus comandados. Depois que o Super deixa Metallo insconsciente o general ordena seus homens a atacalo, mas seus comandados não executam tal ação.

Afirmando que o Azulão os salvou da ira de Corben. Quando a população partia pro confronto contra o exército pra defender o herói. Kal ameniza os ânimos afirmando que não é um salvador e que mesmo sendo diferente usa seus dons pra ajudar propondo que todos façam o mesmo (servindo como inspiração pra construir um mundo melhor).

Depois, Superman confronta Luthor afirmando que ele não é o dono das pessoas, da cidade e que estará sempre pronto pra lhe impedir. No alto do Planeta, Kal agradece a Lois por ter acreditado nele e por fazê-lo se sentir parte da humanidade. O clima estava rolando, mas Jimmy chega estragando tudo.

Ao final a edição mostra novamente, Lex  indo ver se havia pessoas no portão da Lexcorp, mas ninguém mais deu-lhe atenção. Depois temos um rapaz chegando na cidade deslumbrado com sua grandeza e dá pra notar que todas as pessoas agem com um renovado sentimento de esperança, pois o Superman está nos céus protegendo-os.

Bom, quase todos, porque Lex não está nada satisfeito com a presença dele.

Geoff Johns demonstra seu enorme conhecimento da mitologia do herói. Redefinindo a LSH como uma parte importante nas aventuras do Superboy. E também conectando de forma primorosa outras versões marcantes do Superman: o filme dos anos 70, a reformulação de Byrne e o seriado televisivo Smallville.

Só pra fechar esta aventura ficou interessante, por que demonstrou novas origens pros vilões Parasita e Metallo.

Até o próximo texto.

 

 

 

 

Terra-2

poderosa

A história foi lançada na edição Liga da Justiça n° 81, em 2009. Infelizmente foi dividida em três partes (no mix das edições). E na primeira temos, “A Era de Ouro”, com roteiro do ilustre Geoff Johns e arte do consagrado Jerry Ordway.

A Poderosa (Karen Starr) havia sido enviada pra sua querida Terra-2, o universo paralelo ao qual achava que pertencia.

Lembrando que a Terra-2 no universo Pré-Crise dos anos 80 era a Terra Paralela que continha todas as versões dos heróis criados na década de 40 (ou Era de Ouro).

Voltando, chegando nesta realidade encontrou a Caçadora (Helena Wayne), sua amiga e confidente. Helena está vivendo um tremendo drama com seu noivo hospitalizado por causa do Coringa.

O Palhaço do Crime está velho, decrépito e pior do que nunca. Sabe que sua morte está chegando e quer atazanar a vida da heroína. Ao mesmo tempo, Helena está apaixonada pelo Robin, da Terra-2. Este Dick assumiu o lugar do Batman desta realidade que havia morrido no período Pré-Crise, dos anos 80.

Karen chega meio desorientada nesta Terra, mas reconhece vários amigos tanto da SJA quanto da Corporação Infinito. As duas equipes se fundiram formando a Sociedade da Justiça Infinita (ou SJI).

A Poderosa explica pra eles como era sua vida na Terra-1, principalmente, os acontecimentos da Crise Infinita. Quando o Kal-L orginal morreu, mas Karen não sabia que o universo foi refeito e que esta Terra-2, não é a mesma pertencente ao universo no qual ela nasceu.

Quando, Helena estava caçando o velho Sr. C, o Palhaço morreu através de seu próprio invento. Helena revela pra Karen sobre seu problema amoroso envolvendo o Robin. Um sentimento que ela não poderá vivenciar por sentir-se culpada pelo que aconteceu ao seu noivo. É quando a Poderosa daquela realidade retorna e as encontra se abraçando.

Nossa Karen é acusada de ser um plágio sendo caçada pela SJI. A Poderosa da Terra-2 deseja saber a qualquer custo aonde está Kal-L, seu primo e supõe que Karen saiba da verdade mais não quer revelar.

A segunda parte foi mostrada na edição Liga da Jutiça # 83, temos “Um Mundo sob Gog parte 4: Deslocado”, com roteiro co-escrito entre Alex Ross & Geoff Johns e arte de Dale Eaglesham.

Ferida e sendo caçada neste mundo  paralelo que achava pertencer, Karen encontra o professor Michael Holt (que nós conhecemos como Sr. Incrível II). O professor não desenvolveu seus equipamentos, pois estavam incompletos num canto. Ele acredita na história que a nossa Karen lhe conta.

Enquanto isso aqui, Starman confessa pro Sr. Incrível que Gog ao lhe curar da loucura tornou dificíl sua missão. Esse Starman pertence a Legião dos Super-Heróis no distante séc. XXXI e veio numa missão secreta, pois seus uniforme é a chave pra um grande mistério.

Só pra constar, Gog é um deus que caminha sobre a Terra realizando marivalhas indescritiveis. Por algum motivo inesplicável o Superman, do Reino do Amanhã veio parar em nossa realidade e David Reid foi transformado no Magog. Isto preocupa o velho Homem de Aço, pois teme que a mesma tragédia  que vivenciou possa ocorrer novamente.

Por causa de Gog, a SJA se dividiu em duas facções, enquanto uma se encontra a favor do deus (a outra ficou contra). Tal situação detonou uma enorme batalha entre as equipes.

No final, Magog devolve os heróis pra sede da Sociedade e vemos a Poderosa retornando através de um portal dimensional sendo seguida pela SJI.

A terceira parte foi mostrada na edição, Liga da Justiça # 84, “Terra contra Terra” teve novamente roteiro feito por Geoff Johns & Alex Ross, porém a arte também ficou dividida entre Dale Eaglesham e Jerry Orway.

A SJI encontra nossa SJA e vemos alguns  heróis que em nossa realidade estão mortos como: Jade, Sideral I (Sylvester Pemberton), Dra. Meia-Noite (Beth Chapell), Fúria (Lyta Trevor-Hall) entre outros.

A Poderosa, da Terra-2 age de forma descontrolada levando nossa Karen com eles. Nessa complicada aventura interdimensional integrantes da Sociedade: Alan Scott, Jay Garrick, Sideral (Courtney), Sr. Incrível e Starman viajam pra outra realidade.

A situação se torna mais louca quando o Sr. Incrível conhece seu duplo, o Professor Holt e sua esposa Paula (que em nosso mundo está morta).

Enquanto isso na Batcaverna, Karen é torturada pela Poderosa chegando quase a morrer por causa da exposição a kriptonita verde. Karen é confrontada pela Poderosa insultando-a de ter desistido de lutar sendo que ambas são a mesma mulher.

Só a Caçadora demonstra uma lucidez ao constatar que Karen nunca quis ataca-la. De repente a SJA entra na Batcaverna e Starman explica que a Terra-2 faz parte do novo universo recriado no Pós-Crise Infinita.

A situação deixa a nossa Karen desamparada novamente, mas há uma promessa que no futuro irá encontrar seu próprio caminho. No final ao retornar, Karen está muito triste sendo abraçada por Alan e Joel Ciclone.

Pra mim, a história  valeu a pena, porque traz de volta o conceito daquela realidade paralela que havia no período Pré-Crise dos anos 80. Outro fato que a edição deixa em aberto é que Kal-L ainda esteja vivo, pois “talvez” futuramente poderá surgir em alguma aventura.

Essas edições são um prato cheio pros fãs das antigas que como eu cresceram lendo sobre a Terra-2.

Confira na galeria abaixo alguma imagens da Poderosa que encontrei na web

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 adam hughes 0 adam hughes 1 Adam Hughes alex ross amanda conner artgerm

 bruce timm 0 bruce timm 1 bruce timm 2 bruce timm 3

power-girl-bruce-timm

darwyn cookarthur adams

dave hoover 1 dave hoover 2 elias-chatzoudis  jeff-chapman jim lee marcio abreu marcio takara mark-brooks michael turner paulo siqueira

exgemini

power girl and supergirl power-girl roguepilot uroboros wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper-by-amanda-conner