Marvel Heroes

jessica-jones

Geralmente a empresa sempre destaca os personagens top de linha tipo: Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, Vingadores, Wolverine entre outros.

Por mais que gostemos deles há aqueles que não são tão famosos assim e sentimos aquela consideração carinhosa. Isso é óbvio, pois em algum momento lemos uma história que foi relevante pra tal fato.

Pensando nos personagens que infelizmente estavam jogados no segundo escalão e agora a empresa decidiu colocá-los em evidência resolvi fazer essa postagem.

jessica-jones-hq

Jessica Jones

O sucesso do seriado protagonizado pela atriz Krysten Ritter me fez pesquisar mais sobre essa heroína.

Jessica Jones foi criada por Brian Michael Bendis e Michael Gaydos surgindo na edição Alias # 1, em 2001.

Jessica Jones é uma heroína com histórico retroativo, pois não existe há tanto tempo como os demais personagens da editora. Já que a grande maioria deles foram criados na distante década de 60 (e também nos anos 40).

Há um trauma no passado da heroína, pois sua família morreu num acidente ao colidir num caminhão com carga radioativa.

Jessica ficou num estado de coma, mas também ganhou super poderes que foram ativados na época em que Galactus e o Quarteto Fantástico se encontraram pela primeira vez.

O conflito causou uma grande dispersão de radiação cósmica e Jones ainda era uma adolescente quando seus poderes se manisfestaram. Ela ganhou super-força, voo, resistência sobre-humana e velocidade.

Ao longo dos anos Jessica já usou alguns codinomes: Paladina, Madaline, Poderosa e Safira.

Na época que agia como Safira enfrentou diversos vilões e salvou várias pessoas. Mais se envolveu numa confusão num restaurante no qual estava o Homem-Púrpura (Zebediah Killgrave).

Através de seus poderes mentais Killgrave acabou controlando-a, torturando psicologicamente e forçando-a a ajudar nos seus esquemas criminosos. Após oito meses, Jessica perdeu a noção do que era realidade ou era criado pelo vilão.

Num ataque de fúria, Killgrave a envia para matar o seu inimigo Demolidor, porém ao voar perdida pela cidade. A heroína entre na Mansão dos Vingadores atacando a Feiticeira Escarlate. Os Vingadores para defender sua aliada batem na Jones, no entanto Miss Marvel a defende salvando-a.

Carol era amiga de Jones, mas devido aos ferimentos Safira fica em coma. Depois Jessica foi pra sede da S.H.I.E.L.D. ficando lá por vários meses. Recebendo tratamento psíquico de Jean Grey. Algo que tratou seu estado vegetativo e também criou barreiras mentais pra que lhe ajudassem num possível novo combate contra Killgrave.

Infelizmente devido ao tempo que foi controlada pelo vilão fez com que a heroína desistisse de atuar como combatente do crime.

Em Alias Investigações, Jessica deixou a vida de vigilante abrindo uma agência de detetive particulares. Só que infelizmente sempre acaba resolvendo algum caso que envolve mascarados.

Durante esse período Denvers apresenta Scott Lang pra ela e ambos namoram por alguns meses. Logo após o término dessa relação ela conhece Luke Cage.

Só que Killgrave escapou da prisão Balsa e ainda estava obcecado pela heroína (isso aconteceu durante a invasão dos Skrulls). Tentando quebrar a confiança de Jones, ele a faz passar por seu pior pesadelo.

Cage e Scott estavam tendo um encontro com Carol, mas devido as defesas mentais que Jean construiu permitiram que a heroína se libertasse dessa ilusão (ao conseguir vence-lo capturou o vilão).

Então, Jessica e Cage assumem de vez seus sentimentos, depois ela descobre que está grávida e começam um relacionamento sério.

Após algum tempo, Jessica deixou de agir como detetive indo trabalhar no Clarim Diário como repórter. Cobrindo casos relacionados aos super seres na coluna “The Pulse”.

Foi atacada pelo Duende Verde que queria vingança após o Clarim ter divulgado sua identidade, mas Luke Cage reage desmascarando Norman pra toda cidade.

Jessica desiste da carreira de jornalista ocasionando a fúria do rabugento J. J. Jameson (que cobra o direito de cobrir o nascimento do bebê).

Jones dá luz a uma menina que recebe o nome de Danielle Cage, uma homenagem pra Daniel Rand (vulgo Punho de Ferro), amigo de Luke. Os dois se casaram na edição New Avengers Annual # 1.

No seriado da Netflix após o acidente no qual perdeu sua família e que a deixou em coma, Jessica foi adotada pela agente de talentos Dorothy Walker. Tornando-se irmã de sua amiga de colégio, Trish Walker (Rachael Taylor).

Nos quadrinhos Patsy Walker é a heroína Felina (Hellcat), mas no seriado é apresentadora de um influente talk show do rádio (Trish Talk).

Bom, nem preciso comentar que o vilão Killgrave arrebenta no seriado da heroína. Não há como negar que foi interpretado de forma brilhante pelo ator David Tennant.

Só pra constar, o ator é a minha versão preferida do seriado Doctor Who (no qual está listado como décimo doutor).

Jessica Jones retornou no seriado Os Defensores, um crossover que reuniu os personagens urbanos apresentados pela Netflix.

E também durante a segunda temporada de seu próprio seriado no qual teve que enfrentar sua própria mãe. Confesso que pra mim a segunda temporada teria a árdua tarefa de superar a anterior.

Killgrave é um vilão inquestionável numa interpretação maravilhosa de Tennant, porém tentaram remexer no passado de Jessica que até ficou bom (devido aos problemas com sua mãe).

mais o fato de Trish Walker ficar totalmente doida e sem noção atrapalhou e muito a narrativa. Fora isso gostei muito da advogada Jeri Hogarth numa excelente e impecável atuação de Carrie-Anne Moss.

Vamos esperar a próxima temporada pra saber o que irá acontecer na vida louca de Jessica Jones.

defenders

Os Defensores – The Defenders

A primeira formação dos Defensores surgiu na edição Marvel Feature #1, em 1971.

Sendo que a equipe era composta por: Hulk, Namor, Doutor Estranho e Surfista Prateado que se uniram pra enfrentar diversas ameaças interdimensionais e cósmicas (já que Os Vingadores não tinham condições de combater).

Depois ingressaram no grupo: Gavião Arqueiro, Valquíria e Falcão Noturno (Kyle Richmond).

Na fase dos Novos Defensores devido a saída do Hulk, Surfista e Namor a equipe ganhou uma nova formação com: Fera (Hank McCoy), Nuvem, (Carol Faber/Danny Milligan), Homem de Gelo (Bobby Drake), Serpente da Lua (Heather Douglas) e Gárgula (Isaac Christian).

Durante a saga “A Essência do Medo” Hulk foi possuído por Nul, o Destruidor de Mundos (um dos guerreiros da Serpente). O Grandão só conseguiu se libertar graças a intervenção da Valquíria junto com os Vingadores.

E temendo ser possuído novamente pediu ajuda pro Dr. Estranho pra reunir novamente os Defensores.

Convocando Namor e Surfista Prateado, mas o Gigante decidiu não participar evitando problemas e sugeriu em seu lugar que chamassem Betty Ross (a Mulher-Hulk Vermelha).

Precisando se locomoverem pediram ajuda pro Punho de Ferro pra que arranjasse uma aeronave e depois ingressaram Scott Lang e Nick Fury.

Então na formação mais recente temos: Doutor Estranho, Namor, Punho de Ferro, Mulher-Hulk Vermelha, Nick Fury, Homem-Formiga e Surfista Prateado.

Como citei acima a equipe já reuniu diversos heróis nos gibis, mas a Netflix resolveu colocar apenas os personagens: Demolidor (Charlie Cox), Luke Cage (Mike Colter), Jessica Jones (Krysten Ritter)e Punho de Ferro (Finn Jones) que foram mostrados em séries separadas (ou com participações especiais).

Fazendo surgir um universo compartilhado da mesma forma que a Marvel Comics demonstra na telona.

Há boatos na web de que “talvez” os Defensores participem da franquia cinematográfica da editora, mas até agora não houve nenhuma aparição.

white-tiger

Tigresa Branca

É uma personagem que eu não conhecia, pois só fui saber de sua existência. Quando participou da série animada Ultimate Spider-Man.

Ava Ayala é a quinta pessoa a usar este codinome, porque antes dela houveram outros heróis.

O primeiro a usar o amuleto do Deus Tigre foi Hector Ayala. O herói Tigre Branco foi criado por Bill Mantlo e George Pérez surgindo na edição Deadly Hands of Kung Fu # 19, em 1975.

Ayala era um estudante porto riquenho na Universidade Empire State em Nova York. Sendo lá que encontrou os amuletos que haviam sido descartados pelos Filhos do Tigre.

Ao unir os três amuletos do Tigre de Jade, Hector descobriu que podia se transformar no Tigre Branco. Adquirindo força, velocidade, agilidade, destreza, reflexos entre outros atributos ampliados infinitamente.

Esse amuleto também lhe conferiu habilidades de um mestre em artes marciais além do normal. Quando agia como herói esteve na companhia do Homem-Aranha, Shang-Chi e Demolidor.

O Tigre Branco original foi morto quando estava sendo acusado de assassinato, mas infelizmente não estava vivo quando sai a prova de sua inocência.

O segundo Tigre Branco foi um animal de verdade uma tigresa de bengala branca. Ela havia sido transformada em ser humano pelo Alto Evolucionário (com a intenção de caçar o Homem Fera). Essa Tigresa Branca esteve agindo na equipe Heróis de Aluguel.

E acabou se apaixonando pelo Punho de Ferro, mas como ele demonstrava ter sentimentos por Misty Knight seu lado animal estava ficando incontrolável. Por se sentir incapaz de assimilar os sentimentos humanos a Tigresa Branca pediu ao seu mestre a regredisse novamente pro estado animal.

Kasper Cole foi terceiro a usar esse codinome. Ele era um policial que utilizou um traje modificado do Pantera Negra.

Angela del Toro foi a quarta pessoa a utilizar o amuleto do Tigre. Seu codinome era Tigresa Branca. Angela assumiu o uniforme depois que seu tio Hector Ayala foi assassinado por Gideon Mace.

Angela era uma agente do FBI que após a Guerra Civil estava atuando na Polícia de Nova York. Período no qual esteve trabalhando com o Demolidor e o Punho de Ferro.

Por último temos a quinta personificação do herói. Ava Ayala que é a irmã mais nova de Hector Ayala (o Tigre Branco original ) e tia da ex- Tigresa Branca, Angela Del Toro. Ela é formada na Academia dos Vingadores e portadora atual do amuleto místico do Tigre de Jade.

Devido ao amuleto que utiliza a Tigresa Branca possui poderes de força física, velocidade, coordenação, equilíbrio, sentidos apurados, resistência, reflexos, reação, regeneração acelerada e ainda utiliza garras afiadas pra atacar e se defender.

Na web está rolando o boato que “talvez” a Marvel/Netflix irá fazer um seriado da Tigresa Branca seguindo o mesmo estilo de herói urbano proposto por seus antecessores (Demolidor, Jessica Jones entre outros).

Fim da primeira parte.

 

 

Anúncios

Imagens

z-amazing-spiderman-alex-ross

Variadas

Confira na galeria abaixo diversas imagens que garimpei na web

Aqui você irá encontrar: Homem-Aranha, Batman, Dragon Ball, Space Ghost, He-Man, Star Trek, Pernalonga, Raio Negro, Thundercats, Ultraman Jack, Transformers entre vários outros

Guerras Secretas

guerras_secretas

Em meados dos anos 80 a DC Comics lançou uma minissérie em 12 edições que marcou pra sempre a história dos quadrinhos.

A editora estava comemorando seus 50 anos de existência decidindo acabar com a terrível bagunça de sua continuidade (e o resto deste comentário já estamos cansados de saber como foi).

Bom, praticamente ao mesmo tempo a Marvel Comics também lançou uma grande saga com doze edições.

Só pra constar, essa história é considerada a primeira Mega-saga dos gibis (mesmo havendo outros crossovers com vário heróis anteriores).

Dizem as lendas que a Mattel estava interessada em lançar uma linha de brinquedos da editora. Porém isso só aconteceria se houvesse uma história que realmente chamasse atenção do público.

O projeto foi idealizado pelo editor-chefe Jim Shooter incluindo também os desenhistas Mike Zeck e Bob Layton.

Lembrando que aqui em terra brazilis essa aventura foi lançada pela Editora Abril, em 1986.

Guerras Secretas (ou Secret Wars, no original) apresentou uma trama envolvendo os melhores personagens do panteão da editora.

Os heróis: Capitão América, Hulk, Thor, Homem-de-Ferro, Capitã Marvel, Colossus, Vespa, Senhor Fantástico, Tocha Humana, Wolverine, Coisa, Mulher-Hulk, Gavião Arqueiro, Professor X, Tempestade, Cíclope, Vampira, Noturno entre outros.

E os vilões: Doutor Destino, Gangue da Demolição, Ultron, Homem Molecular, Kang, o conquistador, Encantor, Doutor Octopus, Homem Absorvente, Lagarto e mais alguns.

Não poderia esquecer do enorme Galactus que também estava nesse meio, mas afirmar que o gigante seja apenas um vilão seria sintetizar algo que simplesmente não tem nada a ver. O Devorador de Planetas é necessário pra manutenção do universo (algo que está muito além de nossas simples capacidades mentais).

Continuando, foram abduzidos por Beyonder, um ser alienígena de incomensurável poder. E num lugar chamado Planeta de Guerra tiveram que disputar sob as regras impostas por ele.

Pra se ter uma noção Beyonder construi esse planeta usando pedaços de vários outros ao redor do universo.

Beyonder prometeu ao grupo vencedor que iria realizar qualquer desejo que tivessem.

Obviamente o Capitão age como líder sempre organizando a todos e dizendo como agir. E o Hulk está como seu braço direito colocando em pratica tudo que lhe for ordenado.

Houve um problema enorme no grupo dos heróis, porque Magneto havia sido escolhido pra ficar com eles. Charles até tentou defender seu ex-amigo, mas obviamente Erik tinha seus próprios interesses.

Um detalhe interessante é que o Doutor Destino através do maquinário tecnológico avançado concedeu poderes pra duas mulheres. Transformando-as em Titânia (Mary Macpherran) e Vulcana (Marsha Rosenberg).

Outra coisa que me chocou bastante foi quando a fortaleza dos heróis ficou sob ataque. Eles até conseguiram escapar, mas depois o Homem Molecular jogou uma montanha enorme sobre eles (foi uma cena muito impactante).

Somente a inteligência de Reed foi capaz de arranjar uma forma deles sairem daquele jazigo mortal.

Houveram momentos importantíssimos nessa edição com o Coisa retornando a sua forma humana de Ben Grimm. Outro foi quando Thor refez seu uniforme, o Cabeça de Teia viu e queria fazer o mesmo sendo que encontrou o uniforme simbionte e já nesta saga tivemos a introdução do famoso uniforme negro.

Em meio as escruciantes batalhas há também alguns relacionamentos. Vemos o mulherengo Johnny Storm encontrando Szaji, uma alienígena que possui o toque de cura. Seu poder ajuda os heróis quando estão bastante machucados.

O Homem Molecular se encanta com Vulcana que demonstra algum sentimento por ele. Até a Vespa dá uma bitocas no Magneto, mas foi algo que não durou muito. E Colossus fica sofrendo pra caçamba por estar distante da Kitty.

Não poderia deixar de lembrar que a cronologia de alguns personagens estava bastante atrasada por aqui quando a saga foi lançada. Como solução a Editora Abril sumiu com as personagens Capitã Marvel (Monica Rambeau) e Vampira.

E também modificou o final da saga pra que estivesse de acordo com os acontecimentos nos quadrinhos do Brasil.

Só pra constar, a história foi relançada resumida em Capitão América # 119 e algum tempo depois na íntegra na Teia do Aranha nº 62 à nº 66.

Houveram outros relançamentos tanto da Abril, quanto da Panini Comics todas mostrando a história completa.

Voltando, o sucesso foi tão grande na época que a Gulliver, uma empresa de brinquedos lançou dois castelos nesse tema (Homem-Aranha e Doutor Destino). Além das action figures de alguns heróis e vilões também havia turbo-cycles, veículos que os personagens usavam pra se locomover nas batalhas (e até mini gibi).

Enquanto nos Estados Unidos os brinquedos foram lançados pela empresa Gulliver.

Aqui houve um problema de licenciamento dos brinquedos, pois em nosso país a empresa responsável foi a Mattel (que já trabalhava com a Marvel desde os anos 70).

Aproveitando o momento a Editora Abril lançou Super-Heróis Marvel Secret Wars, um album de figurinhas contendo diversas coisas sobre o gibi.

A saga teve continuação em Guerras Secretas 2 com Beyonder retornando, mas ficou péssima. A intenção dele era entender o ser humano e tivemos diversas situações ridículas neste processo. Pra se ter uma noção o Homem-Aranha ensina-o a ir no banheiro sentar no trono, putz que horrível!

A história foi adaptada na série animada do Cabeça de Teia dos anos 90. Isso foi mostrado durante a quinta temporada do desenho (episódios 61 e 62).

E realmente pra fechar no ano passado a editora fez um reboot de seu universo mostrando-o em Guerras Secretas. Essa versão foi desenhada por Esad Ribic e teve roteiro de Jonathan Hickman.

A intenção é terminar com o multiverso da editora unindo-os no Mundo de Batalha. Confesso que atualmente não acompanho mais essas grandes sagas (perdi a paciência pra esperar tantos meses pro desfecho).

Espero que tenham gostado.

 

Grandes Heróis Marvel # 36

mulher-hulk

A Sensacional Mulher-Hulk

Logo na introdução temos uma referência de como as personagens femininas não tinham grande relevância nos quadrinhos. Principalmente as mais importantes como Mulher-Maravilha e Supergirl (sendo usadas apenas em histórias masculinas estereotipadas).

O surgimento da Mulher-Hulk foi uma tentativa de quebrar tal tipo de abordagem. Inicialmente Jen era chamada de A Selvagem Mulher-Hulk e seu título mudou quando John Byrne assumiu.

Byrne é mundialmente reconhecido por sua característica de modificar os personagens nos quais trabalha, pois com ela não foi diferente.

Começou assinando como A Sensacional Mulher-Hulk tornando-a mais feminina, sexy e engraçada. Foi justamente a partir de Byrne que passei a gostar da heroína.

Bom, Grandes Heróis Marvel # 36 tem roteiro e arte de Byrne juntamente com o estilo de quarta parede, pois Jen fala conosco algumas vezes.

Essa edição é logo após o término do relacionamento dela com Wyatt Wyngfoot a qual lemos em sua Graphic Novel lutando contra baratas, blaaarghh!!!

Logo no inicio a Mulher-Hulk está num circo lembrando que seu primo também havia feito isso anos antes.

Só que o Mestre do Picadeiro havia hipnotizado a heroína, fazendo-a contar todo seu passado e também através de seus comparsas transformaram-na em Glamazônia (nomezinho ridículo mais deixa pra lá!).

A intenção do Circo do Crime era ganhar três milhões de dólares que um financiador anônimo iria pagar se testassem os poderes dela.

Mesmo se apresentando travestida daquele jeito, Jen tem sua hipnose quebrada e o Circo foi preso. Quem estava por trás da tramóia era o grupo Os Cabeças (nossa cada vilãozinho chinfrim que surge nestas edições).

Os Cabeças (Headmen, no original) são vilões do segundo escalão da editora que eu nunca tinha lido nada antes.

Seu líder é Arthur Nagan, um cientista cirurgião com corpo de gorila, Jerome Morgan, outro cientista que tem a pele maior que os ossos, Chondu, o Místico que possui tentáculos, asas e usa magia e Ruby Thursdsday, uma mulher com bola na cabeça que se transforma em diversas coisas (sinceramente todos são estranhíssimos demais).

Voltando, a Mulher-Hulk após se livrar deste problema resolve procurar um lugar pra morar. E a Janet (vulgo heroína Vespa) deixa-a em seu luxuoso apartamento em Nova York com vista pro Edifício Baxter e World Trade Center.

Enquanto isso os vilões estranhos dos cabeças ainda continuavam armando contra Mulher-Hulk. Mais ela após reconhecer todas as depências do lugar foi ver televisão e seu seriado preferido é Star Trek, a série clássica (ótimo bom gosto).

De repente um noticiário extraordinário conta sobre uma invasão de homens-sapos e Jen aborrecida reclama com Byrne sobre essa palhaçada.

Ao mesmo tempo um escritório de advocacia reve as credencias dela e o dono pensa em contratá-la. Quando a cena volta a heroína estava esperando por nós  pra recomeçar a ação.

Então, a Mulher-Hulk descobre que a invasão era apenas uma encenação e por trás dela quem comandava era Mysterio inimigo do Cabeça de Teia. Enganda pelo vilão a heroína inala gás ficando desacordada (sendo presa pelos Cabeças).

O assunto fica mais estranho após retirarem a cabeça dela do lugar. E logo nosso Amigo da Vizinhança aparece indo atrás do Mysterio.

Ao descobrir que foi enganado Mysterio entrega seus empregadores e o Homem-Aranha resolve ajudar a heroína.

Ao entrar no esconderijo dos Cabeças, o Homem-Aranha precisa lhe dar com todos e acaba sucumbindo. A edição fica mais maluca, pois Chondu nota que sua cabeça ficou no corpo da Mulher-Hulk.

Pra encurtar o Aranha descobre que Jen estava com seu corpo e juntos acabam prendendo os Cabeças.

Grandes Heróis Marvel # 36 pode não ser uma das melhores edições sob esse título mais o que a torna interessante é seu humor bem descompromissado.

John Byrne estava começando a trabalhar com a Mulher-Hulk que logo depois iria ter sua própria revista e aqui nós temos uma visão de como seria esse trabalho.

No final desta GHM temos uma entrevista do artista mostrando o que faria com a personagem.

 

 

 

 

Homens-Aranha

homens-aranha

É excelente crossover que mostra o encontro de Peter Parker com Miles Morales.

Ambos são heróis de universos diferentes o tradicional 616 (não sei se ainda existe) com o Ultimate.

Miles Morales também foi picado por uma aranha radioativa que havia sido modificada por Norman Osborn. Seus poderes são um pouco diferentes, pois pode ficar invisível e possui um tipo de picada que deixa seu adversário paralisado.

Fora isso tem aqueles comuns do Cabeça de Teia como força, agilidade, velocidade, fator de cura, aderência nas paredes e sentido de aranha.

Homens-Aranha tem roteiro de Brian Michael Bendis, arte de Sara Picelli e cores de  Justin Ponsor.

Na trama, Parker estava perambulando pela cidade até encontrar uma descarga de energia suspeita. Ao investigar depara-se com Mystério, um antigo inimigo que gosta de usar efeitos especiais pra cometer crimes.

Durante a luta o Teioso é jogado no aparelho que o vilão estava usando viajando pro universo ultimate.

Infelizmente nesta realidade, Peter Parker havia morrido e todos sabiam de sua identidade secreta. A confusão já começa, pois todos reconhecem o uniforme, mas Peter não sabia nada disso.

De repente ele encontra com Miles que usa um uniforme bem diferente do seu e começam a praticamente lutarem. O detalhe é que Miles é apenas um garoto de 13 anos, mas sabe tudo sobre PP (o da sua realidade é claro).

Enquanto isso ficamos sabendo que Mystério estava usando um avatar virtual pra cometer seus crimes numa realidade na qual não existia Homem-Aranha.

Parker estava perdido, confuso e a fim de ter algumas respostas. E por causa disso vai pro único local que conhece bem (a casa da Tia May).

A parte interessante é que todos tem alguma reação ao vê-lo com o uniforme. Dizendo algo do tipo você não deveria usa-lo em respeito ao garoto que morreu ou ficam realmente abismados ao ve-lo.

No Queens, Parker encontra com Gwen e May que moram juntas. Gwen até liga pra Mary Jane que vai correndo pra lá e se assusta ao ver Parker. Nosso herói é adulto e sua versão que morreu era adolescente.

O choque de histórias com situações iguais e discrepantes é que torna isso bastante empolgante.

A máquina que Mystério estava usando pra acessa a realidade Ultimate é instável e Nick Fury pede a a ajuda de Tony Stark pra que Parker volte ao seu lugar.

Além do roteiro inteligente de Brian M. Bendis, gostei muito da arte de Sara Picelli que consegue manter o clima de assombramento e deslumbramento das realidades distintas.

As cores de Justin Ponsor conseguem emoldurar os desenhos destacando toda a trama.

Homens-Aranha é uma ótima aventura que mostra o encontro de dois mundos importantes pra nós fãs de gibis. Vale a pena dar uma conferida mesmo que seja só por curiosidade.

Fico por aqui.