Superman & Batman: Gerações

generations

Com o sugestivo subtítulo de “Uma Saga Imaginária” é uma minissérie em 4 edições lançada pela Editora Opera Graphica, em 2001.

Comento sobre a primeira, pois houveram continuações que se não me engano foram duas (as quais nunca consegui ler completamente).

Bom, Gerações é uma história no estilo Túnel do Tempo (ou Elseworlds) contando com roteiro e arte de John Byrne.

As edições são tratadas como livros e cada um deles compreende o tempo de dez anos na vida dos Melhores do Mundo.

Devo frisar que essa história parte do ponto de vista de como Batman e Superman envelheceriam do aspecto de “pessoas comuns”.

O mais importante a destacar é notarmos as mudanças que os personagens tiveram ao longo destes anos.

Só pra citar, o Livro Um vem abordando o período de 1939 a 1949 então vemos características dos heróis que nos conectam aquele momento.

Tipo Bat-Man (a grafia era assim mesmo) usando luvas mais simples, suas orelhas são enormes e não há aquela elipse amarela no peito.

Enquanto o Azulão tem seu símbolo triangular e poderes reduzidos (superforça, invulnerabilidade e podendo dar apenas grandes saltos).

Outra curiosidade interessante é a presença de Julie Madison, uma das primeiras namoradas de Bruce Wayne.

Fora isso podemos notar uma homenagem pro Batmóvel da década de 50 (esse automóvel tem muitos fãs desenhistas, pois sempre alguém faz referência).

Ainda temos o Ultra Humanóide que historicamente foi o primeiro grande antagonista do Homem do Amanhã.

E aquilo que mais gostei foi presenciar que tanto Kal quanto Bruce tiveram descendentes entre filhos e netos.

Bruce com Kathy Kane teve Bruce Jr que depois se tornou Robin e Clark com Lois além de Joel Kent teve Lara (seu nome homenageando a mãe kriptoniana do herói).

Alguns destes personagens foram realmente retirados de histórias antigas dos heróis.

Obviamente eu sou suspeito para comentar sobre gibis Túnel do Tempo, pois sou fã desse estilo (são pouquíssimas as aventuras que não ficam boas).

Mais tenho que afirmar o fato de que Byrne é um excelente contador de histórias. Seja mostrando diversos elementos que nos conectam a Era de Ouro, Prata e Moderna.

Seja por sua arte detalhadíssima que a cada página faz nossa viagem tornar-se cada vez mais incrível.

Só pra constar, há um glossário no final de cada edição ajudando-nos a compreender melhor os detalhes mostrados.

Superman & Batman: Gerações é uma edição riquíssima apresentando vários acontecimentos marcantes.

E principalmente levando-nos para um futuro tão distante que atiçou minha imaginação de uma forma que eu nunca havia visto antes.

Confesso que vale a pena ler, reler e guardar em sua coleção.

Até o próximo texto.

 

Imagens

z-wonder-woman-by-artgerm

DC Girls

Existem diversas e belíssimas pin-ups das heroínas da Distinta Concorrente espalhadas pela web.

Basta conferir na excelente galeria abaixo algumas das melhores imagens que encontrei.

Aqui você irá contemplar: Mulher-Maravilha, Lois Lane, Supergirl, Zatanna, Harley Quinn, Vixen, Canário Negro entre várias outras

Liga da Justiça: O Prego

jla-the-nail

É uma minissérie dividida em 3 edições com arte de Alan Davis e roteiro de Mark Farmer que foi lançada em 1998.

JLA: The Nail foi publicada pela Mythos Editora essa edição faz parte do famoso selo Túnel do Tempo (ou Elseworlds).

A premissa básica parte do princípio que apenas um pequeno fato conseguiu mudar uma sequencia de enventos importantes.

Neste caso foi um prego que furou o pneu da caminhonete dos Kents e por isso o casal não pegou o foguete do pequeno bebê Kal-El.

Clark cresceu entre os Amish, uma comunidade famosa por ser distinta e também reclusa (sua ausência causou uma mudança drástica nesta realidade).

Na trama, Lex Luthor é prefeito de Metrópolis e sua administração está marcada como uma das melhores da cidade. Além do fato de conseguir diminuir o nível de criminalidade a praticamente zero.

A tecnologia envolvida nesse processo tornou-o um símbolo de sucesso mundo afora.

Podemos notar Perry White agindo como âncora de talk show e entrevistando Jimmy Olsen. Há uma homenagem pro Jimmy quando vemos os heróis: Tartaruga e Rapaz Elástico. Suponho que isso deva ter acontecido durante a Era de Prata período em que Olsen tinha sua própria revista.

Perry também entrevista Oliver Queen que está amargurado e rancoso após ter sofrido um ataque do Amazo que quase lhe retirou a vida (infelizmente neste fatídico combate o Gavião Negro tombou). Na telinha, Oliver destilou seu ódio contra seus antigos companheiros da Liga.

A formação da equipe era: Mulher-Gavião, Eléktron, Flash, Lanterna Verde, Caçador de Marte, Mulher-Maravilha, Aquaman e Batman.

Há uma campanha na mídia que jogou a opinião pública contra os meta-humanos, principalmente a LJA (e o Morcegóide tinha a pior imagem pra população).

Seu M.O. de agir nas sombras assustava a todos. É óbvio que nós sabemos o motivo, pois Batman não tem superpoderes. A Liga pede ajuda de Lois Lane pra que possam ganhar credibilidade na mídia.

Na primeira vez que li essa história confesso que fiquei embasbacado quando o Coringa fez um rebu no Asilo Arkham assassinando o Robin e a Batgirl.

A expressão de terror nos olhos de Bruce ao ver seus pupilos sendo brutalmente massacrados em sua frente ficou marcada em minha memória por horas (tal situação deixou BW num estado depressivo lastimável).

Quando Hal começa a investigar uma flutuação de energia encontra um campo de força envolvendo nosso planeta. Isso acaba desencadeando uma guerra entre Apokolips e Nova Gênese.

A situação só piora com Batman matando o Coringa e isso sendo trasmitido pela telinha. Todos os integrantes da LJA são atacados, mas isso não passava de uma manipulação orquestrada (esse spoiler não vou revelar).

É interessante notar que Os Renegados e a Patrulha do Destino desempenham uma importante função na aventura.

Gosto da grande quantidade de heróis envolvidos nesse gibi. Isso acaba destacando o extenso panteão da editora. Temos: Homem Animal, Metamorfo, Homem Elástico, Fera Bwana, Homens Metálicos, Metron entre outros. Pra mim tornam nossa leitura mais empolgante (descobrir quem é quem).

É nessa edição que Selina troca de uniforme e passa a agir como Batwoman.

Continuando, diversos meta-humanos são atacados por uma força-tarefa feita de clones do Bizarro e sendo encarcerrados no Kansas.

No momento de maior conflito quando toda a esperança estava indo embora é que descobrem Clark vivendo escondido entre os Amish. É quando vemos o Superman surgindo e salvando o dia.

A arte de Alan Davis mostra as reações dos personagens diante do aspecto sombrio que a trama traz. Fica evidente a qualidade dos cenários, expressões faciais e as cenas de ação.

Não poderia esquecer de comentar que as cores de Patricia Mulvill nos ajudam nesta viagem direta com o gibi.

O roteiro de Mark Farmer consegue nos envolver construindo uma panorama instigante nesta aventura. A medida que tudo vai acontecendo notamos que há algo realmente suspeito se desenrolando.

E a cada página lida confesso Liga da Justiça: O Prego é uma daquelas raras ocasiões em que roteiro, arte e cores se conectam trazendo-nos um trabalho de altíssimo nível.

Saiba que você não irá se arrepender depois que tiver acompanhado essa magnífica trama.

Fico por aqui.

 

 

Imagine Liga da Justiça

Just_Imagine_JLA_1_Variant_B

Desta vez temos a arte de Jerry Ordway que pelo seu importante histórico dispensa qualquer apresentação.

Nossa aventura já começa com três condenados a morte: Brock Smith, Lucinda Radama e Deke Durgan que cometeram crimes hediondos.

Numa prisão Smith ia pra cadeira elétrica, na segunda Radama pra câmara de gás e na terceira Durgan levaria uma injeção letal. Só que eles haviam recebido uma proposta de alguém misterioso para serem salvos no último momento de suas vidas (sendo que eles aceitaram).

Então em todas as prisões algo estranho acontece, pois os prisioneiros desaparecem misteriosamente.

Todos acabam resurgindo na Universidade de Los Angeles a procura do jovem Adam Strange. Eles se chamam a Patrulha do Destino: Arrasa-Quarteirão (Smith), Parasita (Radama) e Exterminador (Durgan).

Só pra constar pra quem não se recorda a Patrulha do Destino é uma equipe de heróis no Universo DC. E Adam Stange é o herói espacial que se transporta daqui pro planeta Rann (aonde vive diversas aventuras).

Voltando, Strange estava com fome e presenciou o exato instante em que o Reverendo Darkk concedeu os poderes dos vilões e por causa disso estava sendo caçado pra morrer.

Mais o professor Leonard Lewis que presenciou sua correrria transformou-se em Lanterna Verde e agiu salvando-o. O rapaz confidencia que somente a união dele com os heróis: Superman, Batman, Flash e a Mulher-Maravilha poderiam derrotar a Patrulha do Destino.

Então o Lanterna convoca cada um dos heróis através de seu poder. Quando chama o Super, Lois pensa somente na publicidade que o herói irá ter ao entrar pra equipe (tevê, filmes e brinquedos).

No cais, Strange ia encostar no símbolo do Lanterna mais o Superman não deixa (fazendo isso em seu lugar).

De forma surpreendente o Superman conhece Yggdrasil aprendendo o valor pra se tornar um herói melhor (a intenção dele era apenas retornar pro seu planeta).

Os vilões surgem de repente e Batman que acompanhava tudo na surdina decide agir sendo auxiliado pela Mulher-Maravilha. Devido ao despreraro da equipe acabam perdendo aquela luta.

Batman, Mendoza e o Professor Lewis se recuperam tendo que fugir pra não haver problemas.

 Enquanto isso a Parasita dominando o corpo do Superman vai atacar o Reverendo Darrk em sua igreja.

No Batcóptero, a equipe tem consciência de sua derrota, mas não foi tudo em vão. Eles irão se reerguer prontos pra próxima batalha reafirmando o sentimento de agirem como uma equipe.

A parte engraçada fica com a Flash que demonstra um verdadeiro entusiasmo infantil ao agir com heroína.

Na igreja o Super ainda sob a influência da Parasita recebe ajuda de Strange pra quebrar um escudo mágico. Quando o Arrasa- Quarteiroes e o Exterminador tentam pegar o garoto.

Surge o resto da Liga e temos a luta entre eles: Flash vs Exterminador, Mulher-Maravilha e Batman contra Arrasa-Quarteirão.

Descobrimos que Adam estava manipulando a todos para se apoderar do poder do Reverendo (demonstrando ser tão maligno quanto seu pai).

Vemos cada vilão da Patrulha sendo derrotado e a equipe se une pra enfrentar Dominic Darrk.  Sabendo que nunca conseguiria se dar bem o Reverendo se retira e põe a Liga pra fora de sua igreja.

Diante da repercusão dos reporteres a LJA sai dali e secretamente confirmam a intenção de se firmar como equipe.

Talvez porcausa de ser uma versão razoável da Liga eu não tenha gostado tanto do roteiro apresentado pelo Excelsior (foi simples e não conseguiu mostrar nada de inovador).

Imagine Liga da Justiça não é uma edição magnífica, impactante ou estupenda, pois é apenas uma história de origem. E principalmente tem aquele estilo marcado da Marvel de heróis relutantes, mas que precisam agir pelo bem maior.

Nem preciso comentar sobre a arte de Jerry Ordway, porque é um dos meus preferidos mais as cenas de ação estão ótimas (sempre destacando os heróis).

Só pra fechar infelizmente a edição da LJA não tem a parte de “Nas Ruas” que sinceramente destaca algo interessante da trama.

Fico por aqui e relembre da edição anterior.

 

 

 

Heróis DC por Stan Lee

superman-stan-lee

O maior criador de super-heróis do Universo Marvel esteve reimaginando algumas origens dos personagens da Distinta Concorrente, lançados em 2000. Se eu não me engano, recentemente a saga Convergência destruiu esta terra paralela criada nas edições.

Em todos os gibis temos também a colaboração de Michael Uslan no argumento.

Então pra quem já conhece vale a pena relembrar e pra quem não leu mate sua curiosidade.

superman

Imagine Superman

O maior ícone dos qudrinhos ficou totalmente diferente sob a arte de John Buscema.

Nesta versão numa galáxia muito distante daqui, Salden é um tira espacial que vive com sua querida esposa Lyela. Ele precisa se exercitar bastante pra poder atuar junto com seu esquadrão geneticamente alterado (o esquadrão ficou parecido com os Parademônios, de Darkseid).

A descoberta científica do Vergador espaço/temporal nada mais é que um motor de dobra (algo normal na mitologia de Star Trek). Salden salva o dia ao evitar que refens sejam mortos por terroristas num cruzador intergalático.

Seu antagonista é o grandalhão, Gundor Gorrok que foge da prisão usando uma ombreira voadora. Apenas pra se vingar do Mantenedor da Lei, no entanto como não o encontra em casa mata friamente sua esposa.

Salden ao saber dessa tragédia é tomado por uma fúria irracional partindo pra matar, Gorrok que foge roubando uma nave experimental.

O herói consegue entrar de forma sorrateira na aeronave e temos uma luta ferroz entre eles, mas de repente Salden notou que a nave iria cair. E Gorrok se aproveitou daquela situação golpeando-o e fugindo logo a seguir.

A nave cai na água, porém Salden pensou que não escaparia com vida. Só que pra seu total espanto consegue escapar. É claro que devido a atmosfera da Terra, ele está ganhando superpoderes.

Sendo uma versão do Super-Homem original, Salden adquire superforça, velocidade fora do comum e consegue saltar grandes distâncias. Ele aprendeu facilmente a falar o idioma nativo, porque era composto somente por 23 letras.

Enquanto isso, Gorrok torna-se líder de uma tribo dominado-os pela força (e postereiomente se aliando ao Reverendo Darrk). Para poder sobreviver, Salden trabalha como artista de circo fazendo feitos incríveis.

A origem do Super-Homem está conectada ao circo, pois Siegel e Shuster usaram como inspiração o uniforme de trapezistas. Vemos esta referência na cena citada acima (Stan Lee como sempre é muito perspicaz).

A parte interessante é no momento em que Salden escolheu seu nome, pois num furgão estava escrito Clark & Peter Ice Cream e num placa de Rua Parker com Rua Kent. Uma óbvia homenagem as identidades secretas do Homem de Aço e do Cabeça de Teia.

Depois, ele aprende num gibi a manter em segredo sua identidade e também a origem de seus poderes. Infelizmente como a tecnologia da Terra é muito atrasada em relação ao seu planeta natal, Salden decidi ajudar para conseguir retornar pra casa.

A notícia dos seus feitos fantásticos no circo logo se espalha e a bela agente Lois Lane lhe propõe fama e dinheiro no apartamento de “Clark Kent”. Só que o governo também demonstra um interesse muito grande nele.

Salden seria preso, mas no exato instante que isto iria acontecer surge um advogado contratado por Lois.

A edição menciona a Enterprise e o entrevistador Larry King. Lois fica ávida em conseguir licenciatura pra explorar a imagem de seu cliente desenhos, revistas, camisas entre outras coisas (algo que já acontece no mundo real).

O noticiário da telinha mostra que o presidente chinês havia sido capturado por terroristas. Fato que desencadearia uma guerra atrasando ainda mais a conquista espacial do planeta deixando, Salden preso por mais tempo aqui.

Ele decide intervir servindo de isca pra salvar o presidente, mas acaba descobrindo que Lois havian sido feita de refém por Gorrok. Ao ser acorrentado foi provocado pelo vilão e demonstra sua ira quebrando-as. Outra refência a clássica a cena do Superman quebrando correntes, o herói salva Lois e derrota facilmente a gangue quq queria destrui-lo.

Aparentemente, Gorrok morre soterrado, após salvar o presidente de morrer numa explosão no alto de um relógio, ele ganha o nome de Superman da mídia. Salden começa a pensar que todos os acontecimentos haviam sido feitos por alguém muito perigoso.

E nós sabemos que é a tal conspiração do Reverendo Darrk, no entanto não há nenhuma pista concreta de sua verdadeira intenção.

A trama se conduz no fato de Salden arranjar uma forma de voltar pra casa e a excelente arte de John Buscema pra mim demonstra ter um estilo anos 70. Não sei se foi feita de propósito ou se é assim mesmo.

Na parte final, temos “Nas Ruas”, com arte de Kyle Baker em estilo de desenho animado e roteiro de Michael Uslan.

Presenciamos uma acalorada reunião numa empresa de quadrinhos. O editor Joe deseja faturar de qualquer jeito com o Superman. Entre as pessoas que estão na mesa vemos uma homenagem a Stan Lee. Nome de empresas de gibis são citados e também de Liebowitz e Donenfeld.

Ele que usar Atlantis como planeta de origem do herói, mas a Disney já havia usado numa animação. O editor conseguiu vender várias edições do herói e pensou em criar outros personagens como: Supergirl, Superboy, Supercão, Supercavalo entre outros personagens que nós sabemos são pertencentes  a mitologia do Azulão.

Até que Lois entra intempestivamente em sua sala ameaçando usar o Superman pra pegar o Joe se ele não parar de publicar as edições. Ele cheio de medo resolve acatar sua decisão e no final, Lois entra em contato com a DC oferecendo o herói pra substituir o mago Zatara, pai da Zatanna nas edições de Action Comics.

A história é curtíssima, porém bem interessante e se não me engano a citação pode ter sido um fato verídico, pois algo realmente assim aconteceu lá no final da década de 30 quando o Superman surgiu nos gibis para conquistar o mundo.

Espero que tenham gostado.

 

 

Sociedade da Justiça – Reino do Amanhã: Superman

Liga da Justiça #84

Na história, Um Mundo Sob Gog, com roteiro de Geoff Johns & Alex Ross com arte de Fernando Pasarin que saiu nas edições da Liga da Justiça (n° 79, 80, 82, 83, 87 e 88).

Gog, supostamente um deus, ou um alienígena de vasto poder concede poderes ilimitados para o herói Lança (David Reid). Transformando-o numa versão do Magog, o supervilão da clássica “O Reino do Amanhã” (que aqui ficou definida estar na Terra-22).

O “deus” Gog causou um grande impacto nos heróis da Sociedade, pois estavam, perplexos diante daquilo que podiam ver e naquilo que acreditavam no fundo de sua alma.

Então a SJA acaba se dividindo em duas, pois uma segue os padrões estabelecidos pelos membros originais. Enquanto a outra segue Magog que deseja mudar o mundo e acabam se confrontando numa luta de ideais heroicos.

 

Essa história que comento aqui foi lançada na edição Liga da Justiça # 84, em 2009. Justamente na época que o arco de aventuras acima estava acontecendo.

Só pra constar há algum tempo atrás fiz um post sobre uma aventura da Poderosa deste mesmo gibi.

Voltando, Sociedade da Justiça – Reino do Amanhã: Superman tem roteiro e arte de Alex Ross. Acho sensacional a capa feita pelo artista que mostra os Supermen se confrontando.

Durante aquele arco de histórias por algum motivo que não podemos simplesmente entender a versão mais velha de Kal-El veio parar em nosso mundo. E Tempestade (Maxine Hunkel) pede pra lhe contar o que aconteceu em sua realidade.

O herói veterano relembra aquilo que lemos no “Reino do Amanhã” e ficamos sabendo que a explosão detonada pela bomba nuclear que o Capitão Marvel tentou impedir jogou-o pro nosso mundo.

Então, Kal se recorda de Norman McCay pedindo pro Senhor Incrível pesquisar sobre ele.

De repente o herói ouve um problema com sua superaudição e saiu voando em disparada pro Planeta Diário que estava envolto por gás de kriptonita (podemos notar que há lembranças momentâneas do passado).

O gás de kriptonita não fez muito efeito no herói veterano deixando-o apenas cego temporariamente. No entanto o Kal-El mais velho estava agindo com truculência e isso deixou os bandidos bastante assustados.

Quando nosso Azulão chegou foi acertado com força demasiada indo parar longe. Mais o veterano avistou Lois Lane e tratou de pedir desculpas pro nosso herói e fugiu pesaroso.

Depois foi procurar Norman McCay explicando que sua maior preocupação seria presenciar novamente a mesma catástrofe que viu em seu mundo (e que ele fosse o causador desta destruição).

Mesmo diante de tantas revelações impressionantes até demais, McCay presta uma enorme ajuda ao comentar pro herói que essa possa ser uma segunda chance pra resolver problemas que não conseguiu corrigir tempos atrás.

No QG da SJA os membros da equipe demonstraram preocupação devido as atitudes extremas do velho herói no Planeta Diário, porém a situação se complica devido a uma visita de Lois.

Somente com a insistência dela é que o veterano revela como sua esposa morreu.

O Coringa havia invadido o prédio do Planeta liberando seu nefasto gás do riso e matando a todos na redação.

Lois guardava uma máscara de gás em sua escrivaninha e resolveu enfrenta-lo, mas infelizmente não conseguiu impedir o vilão.

O Superman estava há quilômetros distante dali chegando apenas pra vê-la morrer em seus braços. A nossa Lois descobre que a dor do herói é algo inexpressível e acaba chorando de emoção.

Desde aquele dia, o Kal-El veterano nunca mais voltou a se vestir como Clark Kent.

Essa é uma história emocionante, pois todos sabemos do amor que o Superman sente por Lois e vice-versa também. É um sentimento que podemos ter em nossa realidade quando encontramos aquela metade da laranja.

Só pra vocês terem uma noção a dor do velho Superman é tão imensurável que ele nem consegue olhar pra nossa Lois Lane (pra não lembrar ainda mais de seu amor perdido).

Nem preciso comentar que a arte de Alex Ross ficou ótima emoldurando todos aqueles sentimentos amargurados do velho Superman e saber como ele se sente pela sua perda é algo sem palavras.

Deixe algum comentário.

 

 

 

Supermulher

superwoman-lois-lane

Superwoman é a identidade heroica de várias personagens femininas do Universo DC. Só pra constar não sei explicar por qual motivo tosco a Mulher-Maravilha já foi chamada de Miss América e também de  Super-Mulher há alguns anos atrás.

A primeira Superwoman foi Lois Lane na edição Superman # 45, de 1947. A repórter sonhou que através de uma tranfusão de sangue havia ganho os superpoderes do Azulão.

Depois numa outra história, uma dupla de mágicos farçantes hipnotizaram Lois fazendo acreditar que tinha poderes. O Superman ajudou-a em supervelociade em todos os momentos que Lois agia.

Em outra aventura através de um aparato tecnológico criado por Lex Luthor, Lois ganha novamente superpoderes e atua como Super-Mulher.

No período em que eram casados na Terra-2, Lois ganhou poderes graças ao efeito de uma planta extraterrestre que Kal-L havia levado pra casa. E teve até uma vez em que Mxyzptlk transformou-a em heroína tendo direito até a uniforme.

Durante esse período com diversas histórias de realidades imaginárias Lois e Clark tiveram filhos. Numa dessas histórias a bela Laura Kent possuia os mesmos poderes do Azulão.

Em Grandes Astros: Superman, Lois toma uma fórmula criada pelo Homem do Amanhã que lhe confere poderes por apenas um dia.

Lana Lang em diversas histórias do período da Era de Prata também ganhou alguns superpoderes causando muita confusão na vida do Menino de Aço.

Na clássica edição O Que Aconteceu com o Homem de Aço?”, que homenageia esta época temos Lana novamente ganhando superpoderes para auxiliar o Azulão.

Vamos conhecer outras personagens que ao longo do tempo usaram o codinome Supermulher?

Lisa_Jennings

Superwoman – Lisa Jennings

É a atual heroína a usar o manto da personagem.

Lisa ganhou seus poderes quando uma pedra kriptoniana caiu em seu quintal após a explosão de Nova Krypton.

Inicialmente surgiu como inimiga do Homem de Aço perseguindo-o quando Kal-El estava receoso se o mundo ainda precisava de sua presença, porém depois inspirada por ele resolveu seguir carreira heroica.

Lisa Jennings é uma professora que pertence ao Esquadrão Superman. Uma equipe futurista composta por diversos Supermen tanto crianças, homens, mulheres, alienígenas e animais que lutam defendendo o ideal que o Azulão ensinou.

A verdade, a justiça e o modo americano igualitário de viver e sua base de operações fica na Fortaleza da Solidariedade, um hipercubo localizado num lugar fora do tempo e do espaço.

Earth_3_Superwoman

Sindicato do Crime da Amérika

É uma famosa equipe de supervilões baseados na Liga da Justiça.

Superwoman é a versão maligna da Mulher-Maravilha, da Terra-3. No período Pré-Crise, dos anos 80, ela era uma amazona renegada que tinha um laço mágico que podia se transformar em dragão.

No Pó-Crise, virou Lois Lane com alguns poderes que lembrava sua versão anterior.

Lois trabalha no Planeta Diário como editora-chefe. Enquanto Cat Grant a chama de “Cadela Rainha”, Ela usa Jimmy Olsen como seu escravo, pois ele a segue de maneira pervertida pra vê-la se trocando (e também servindo de seu informante).

A Superwoman parece ser “casada” com o Ultraman, versão do Super, mas mantém um caso tórido com o Coruja (versão do Morcegão).

A melhor versão destes vilões foi vista no ótimo DVD Liga da Justiça: Crise em Duas Terras.

clara-kent

Clara Kent

É uma contraparte feminina do kriptoniano que surgiu na edição DC Series: Superman # 349.

Na trama assim que o Homem do Amanhã volta de uma missão no espaço constata que todos na Terra tiveram seu sexo trocado. Enquanto homens viraram mulheres: Penny White Batwoman (Batman), Super-Mulher e Jenny Olsen.  As mulheres viraram homens Wonder Warrior (Mulher Maravilha), Louis Lane (Lois), Superlad (Supergirl) e Condor Negro (Canário Negro).

A parte interessante é que não há identidade secreta da heroína, Clara Kent, uma repórter e Supermulher são duas pessoas diferentes. Tudo não passava de uma brincadeira de mal gosto do Sr. Mxyzptlk que havia trocado tudo de propósito, porém assim que falou seu nome ao contrário tudo voltou ao que era antes.

Superwoman

Kristin Wells

Criada pelo mestre Elliot S! Maggin e também por Keith Pollard, Superwoman surgiu pela primeira vez na edição Superman: Miracle Monday, em 1981.

Kristin é uma estudante de jornalismo do século 29 e também descente do chatérrimo Jimmy Olsen.

Ela convenceu as autoridades lhe darem permissão pra viajar ao passado para descobrir a identidade da Superwoman (a fim de ajudar o Superman a derrotar o vilão King Kosmos).

Como Kristin não encontrou a heroína naquele período a solução foi ela mesma transformar-se na Supermulher usando tecnologia futurista. A Supermulher possui poderes de teletransporte, precognição, telecinesia, empatia e voo.

Depois de ajudar o kriptoniano, a Superwoman retornou pro seu tempo, mas teve que retornar outras vezes ao século 20 pra garantir que tudo deveria acontecer como era em sua linha temporal.

dana-dearden-obsession

Dana Dearden

É uma fã tão obcecada pelo Superman que namorou Jimmy Olsen somente com a intenção de conhecer o Azulão. Dana arranjou artefatos místicos para ter superpoderes conseguindo a força de Hércules, a visão de Heimdall, os raios de Zeus e a velocidade e voo de Hermes.

Ao sequestrar Jimmy que ficou acuado usando o relógio e tentou forçar o Superman a ficar com ela. Algum tempo depois Dana morreu protegendo o herói de ser morto por demônios, pois ficou sabendo de sua vulnerabilidade a magia.

luma_lynei_by_gb2k

Luma Lynai

Ela é uma das muitas heroínas que usaram o nome de Superwoman. A Supergirl vendo que seu primo estava muito solitário tentou arranjar uma namorada pra ele.

Ao usar o computador da Fortaleza da Solidão, ela encontra no distante planeta Staryl, a linda Luma Lynai. O herói logo depois voa pra lá a fim de conhece-la e ambos logo se apaixonam (vivendo um breve romance).

Mais pra sua infelicidade os poderes de Luma só funcionam sob os raios de sol laranja, pois na Terra o nosso faria nela os mesmos efeitos da kriptonita verde.

E Luma teve a triste decisão de terminar seu relacionamento, pois Superman deveria continuar na Terra como nosso protetor.

Fim da primeira parte.