DC Comics Heroes

guy-gardner

Há pouco tempo atrás, eu já havia feito um post comentando sobre os personagens que eu gosto da Casa de Ideias que pertencem ao “segundo” escalão.

Vou agora abordar o mesmo tema só que desta vez serão da Distinta Concorrente

Chega de enrolação

Guy Gardner

O cabeça de cuia ficou famoso quando participou da Liga da Justiça Cômica.

Guy Gardner foi criado por John Broome e Gil Kane surgindo pela primeira vez na edição Green Lantern vol. 2 # 59, em 1968.

Há uma lenda que diz que o rosto do herói foi baseado no ator Martin Milner.

Dono de um temperamento debochado, sarcástico, egoísta, briguento e mal-educado transformaram-no num dos personagens mais queridos daquela formação do grupo.

Sendo realmente aquele tipo que todo mundo adora odiar. Sua arrogância era tão grande que achava que poderia comandar a equipe.

Entrou pra história dos gibis sua luta contra o Morcegão no qual levou apenas um soco desabando no chão (é um momento inesquecível).

Outro momento engraçadíssimo foi quando trocou de personalidade mudando pro oposto do que sempre demonstrou (era gentil, educado e honrado). Só que essa fase não durou muito.

Durante a época que esteve na Liga, Guy tinha um relacionamento com a heroína Gelo (Tora Olafsdotter).

Antes de ser tornar um Lanterna Verde, Gardner era instrutor de Educação Física e ex-assistente social. Foi somente pelo fato de Hal Jordan estar mais próximo de Abin Sur quando estava morrendo que não havia sido escolhido pelo anel.

Na primeira aventura após tornar-se Lanterna Gardner teria um final trágico caso assumisse a vida de herói. E foi apenas por isso que Jordan havia sido escolhido em seu lugar.

Mais os Guardiões não deixaram a hipótese de tê-lo na Tropa, pois tinham a intenção de treiná-lo pra substituir Hal.

Após um período guardado no limbo. Lá na década de 80, Gardner retorna participando da Crise nas Infinitas Terras (agindo realmente como um Lanterna Verde).

Durante a minissérie Lendas a Liga Detroit foi praticamente “quase” toda exterminada e no final desta história surgiu uma nova equipe.

A Liga da Justiça Internacional da qual foi membro fundador. Nessa versão havia mais brigas entre os integrantes da equipe do que qualquer outra coisa.

Guy Gardner já usou um anel amarelo e numa aventura meio doida descobriram que era alienígena vuldariano. Assim seu corpo podia criar e moldar armas passando a usar o codinome Guerreiro e tendo um bar Warrior’s no qual os heróis se reuniam.

O herói participou de Batman: Os Bravos e Destemidos, na introdução do episódio “Day of the Dark Knight!”.

Batman foi convocado até Oa para tomar conta de Guy enquanto trancafiava um prisioneiro. No episódio Batman e o Arqueiro Verde são transportados por Merlin até a Idade Média para que enfrentassem Morgana Le Fey.

Continuando, pra mim Guy Gardner merecia ter algum ator interpretando-o (estou louco esperando pra vê-lo futuramente).

Só pra lembrar naquele péssimo filme da Liga feito em 1997, o ator Matthew Settle interpretou Guy Gardner. Mais eu não sei por qual motivo tosco também era uma mistura de Hal Jordan com Kyle Rayner (muito doido mesmo!)

doom-patrol

Patrulha do Destino – Doom Patrol

Ao longo dos anos a equipe teve várias formações, mas obviamente vou comentar somente a primeira que conheço.

A Patrulha do Destino foi criada por Bob Haney e Bruno Premiani surgindo pela primeira vez na edição My Greatest Adventure # 80, de 1963.

Essa edição apresentava histórias sobrenaturais, no entanto aos poucos estava sendo convertida pra aventuras de super-heróis.

Na primeira formação da Patrulha do Destino tínhamos: Dr. Niles Caulder (O Chefe), um cadeirante com intelecto genial, cientista formidável e organizador do grupo.

Homem-Robô (Cliff Steele) foi um atleta famosíssimo que numa corrida quase morreu num acidente de carro. O Chefe conseguiu remover seu cérebro pra um corpo robótico invulnerável e super forte.

Mulher Elástica (Rita Farr), uma atriz que foi exposta á gases estranhos durante uma filmagem. Ao se restabelecer descobriu que tinha o poder de aumentar e diminuir de tamanho.

Homem Negativo (Larry Trainor), um piloto experimental de avião que durante um voo foi atingido por radiação cósmica (na atmosfera terrestre). Ao pousar descobriu que seu corpo tornou-se radioativo.

Trainor tem a habilidade de emitir uma silhueta controlável de seu corpo, pode voar e atravessar a matéria. Larry pode ficar apenas um minuto fora de seu corpo e Caulder fez bandagens especiais pra que possa interagir com o restante da equipe contendo a radiação de seu corpo.

Mesmo lutando contra o crime, infelizmente o maior problema era que a equipe era considerada como aberração pelas pessoas do mundo (mais motivados pelo Chefe seguiam combatendo o mal).

O sucesso do grupo foi tanto que na edição 86, My Greatest Adventure foi rebatizada pra The Doom Patrol.

Seus principais inimigos eram: o General Immortus, Homem Animal Vegetal Mineral e a Irmandade Negra.

Um tempo depois ingressaram na equipe Mento (Steve Dayton), um homem bastante rico que construiu um capacete que ampliava suas habilidades mentais. Como estava apaixonado pela Rita, Dayton fez isso só pra impressioná-la. Seus planos deram certo e ambos se casaram.

Então, adotaram Garfield Logan, um orfão que podia se transformar em qualquer animal. Garfield assumiu o nome de Rapaz-Fera participou da Patrulha e ficou famoso quando ingressou nos Jovens Titãs.

Devido a popularidade da equipe estar caindo foi decidido que a Patrulha do Destino deveria morrer. Isso aconteceu na edição # 121, em 1968. Os heróis se sacrificaram pra salvar um vilarejo de pescadores no Maine.

Esse acontecimento trágico foi mostrado em Universo DC: Legados, pois temos Paul Lincoln narrando alguns dos momentos mais importantes da editora.

Há outras formações da equipe que não irei comentar, no entanto a Patrulha do Destino original geralmente faz participação em diversas histórias da DC.

Um exemplo é a história citada acima e também lembro de Liga da Justiça: Ano Um, na qual ajudam os Justiceiros no combate contra A Irmandade Negra.

Na série animada dos Titãs (2005) tivemos uma versão da equipe que surgiu no episódio “Homecoming”. Nesta formação tínhamos: Mento, Homem-Robô, Homem Negativo e Mulher Elástica. Foi explicado que no passado, Mutano fez parte do grupo e quem comanda a Patrulha é Mento, pois Niles Caulder não foi mencionado.

Em Batman: Os Bravos e Destemidos, a Patrulha surge no episódio “The Last Patrol” (2010). nesta formação temos: Mulher Elástica, Homem Negativo, Niles Caulder e Homem-Robô.

Lembrando que na web estava rolando boatos que a DC Comics irá lançar um seriado live action com a Patrulha do Destino em seu próprio serviço de streaming (teremos 13 episódios que serão lançados nesse ano).

outsiders

Os Renegados – The Outsiders

O responsável pela criação da equipe foi Batman, pois a Liga da Justiça se recusou ajudar no resgate de Lucius Fox, amigo de BW que estava cativo na Markóvia.

A Liga não quis intervir, porque era algo que poderia se tornar um incidente internacional.

Para depor o Barão Bedlam (ditador local), o Homem-Morcego recrutou: Geoforça, Metamorfo, Halo, Raio Negro e Katana.

Geoforça (Brion Markov) é príncipe da Markóvia e também meio irmão da Terra (Tara Markov).  Brion demonstrar possuir poderes idênticos aos da irmã.

Metamorfo (Rex Mason) tem a incrível capacidade de modificar seu corpo pra qualquer elemento químico que desejar. No desenho da Liga participa como amigo de John Stewart e seu sogro Simon Stagg não vale nada.

Halo (Gabrielle Doe) é um ser de energia pura conhecida como Aurakle cada uma de suas auras coloridas lhe conferem um super poder diferente (voo, explosão energética entre outros).

Raio Negro (Jefferson Pierce) possui poderes elétricos tipo o Super Choque. Como curiosidade Black Lightning no original foi o primeiro personagem afro-americano a ter sua própria publicação na DC.

Um detalhe interessante é que por causa de direitos autorais com seu criador Tony Isabella o herói não entrou pro desenho Super Amigos (e no seu lugar criaram o Vulcão Negro).

Pierce tem duas filhas que também possuem poderes especiais. Jennifer Pierce (Lightning), tem poderes elétricos como o pai e Anissa Pierce (Thunder) pode controlar densidade.

Só pra lembrar, no desenho do Super Choque houve um episódio que lutou na companhia do herói “Soul Power” que foi uma homenagem pro Raio Negro.

Outro detalhe interessante é que na Liga da Justiça quando foram criados Os Ultimen que são versões dos Super Amigos (o personagem Juice foi inspirado no Raio Negro).

Em Batman: Os Bravos e Destemidos há o episódio “Enter the Outsiders’. O Morcegão se junta com o Pantera pra deter um monstro do subterrâneo que usa crianças pra cometer crimes.

Se deparando com o grupo e nesta formação temos Metamorfo, Raio Negro e Katana que quase não fala, mas quando diz algo surpreende por suas palavras.

Eu quase ia me esquecendo na Netflix temos o excelente seriado do herói que está sendo interpretado por Cress Williams.

Continuando, Katana (Tatsu Yamashiro) é uma excelente artista marcial e possui habilidade de samurai no manejo de espadas. Sua espada mística conhecida como Katana (pode absorver magicamente as almas de suas vítimas).

Na telinha surgiu no seriado Arrow demonstrando seu passado trágico e foi interpretada pela atriz Rila Fukushima.

Na adaptação pra telona do Esquadrão Suicida foi a vez da atriz Karen Fukuhara que agia como guarda-costas do Rick Flag.

Voltando, depois de algum tempo Bruce deixou a equipe e Geoforça assumiu a liderança. Ao voltarem pra Markóvia, Brion fez parte da família real e fixaram QG em Los Angeles e Santa Monica.

Nessa época ingressaram na equipe: Divina (Emily Briggs) demonstra ter poderes mentais (telepatia, telecinésia, escudos de energia entre outros), Ciclone e Cavaleiro Atômico (Gardner Grayle).

Há várias formações dos Renegados nos gibis, mas pude ler um pouco da fase do Arsenal no comando. Junto tinha os integrantes: Asa Noturna, Jade, Índigo, Tormenta e Metamorfo (gostei de algumas aventuras).

Durante a segunda temporada de Justiça Jovem, temos uma invasão alienígena acontecendo. Alguns jovens são capturados pra desenvolver o metagene que concede seus superpoderes. E há uma nova formação do grupo com Virgil Hawkins (Super Choque), Tye Longshadow, Asami “Sam” Koizumi e Eduardo “Ed” Dorado Jr.

Obviamente é uma homenagem pros heróis do antigo desenho Super Amigos. Virgil com poderes elétricos (lembrando Vulcão Negro), Tye é uma versão do Chefe Apache, Asami do Samurai e Eduardo do El Dorado.

Depois se unem ao Arsenal (Roy Harper original) e formam a equipe sem supervisão da Liga por um curto período de tempo.

deadman

Desafiador – Deadman

O herói foi criado por Arnold Drake e Carmine Infantino surgindo pela primeira vez na edição Strange Adventures #205, em 1967.

Uma de suas fases mais famosas foi quando Neal Adams esteve trabalhando em suas páginas.

Boston Brand era um trapezista formidável e muito famoso. Era a grande atração do circo no qual se apresentava. Até que num fatídico dia um homem misterioso armou um “acidente” ocasionando sua morte.

Assim que desencarnou Brand foi convocado pela deusa Hindu Rama Kushna (fatos mostrados na animação Liga da Justiça Sombria).

Quando desencarnou Boston descobriu que seu assassino tinha uma gancho no lugar de uma mão. Passando a caça-lo em diversos lugares, porém devido a isso esteve ajudando várias pessoas e enfrentando entidades malignas.

Como todo fantasma o homem morto está invisível e inaudível pra nós pessoas comuns. Exceto aqueles iniciados em magia ou tem percepção especial pra espíritos.

Ao possuir um corpo, Brand pode controlá-lo da maneira que assim desejar. Também pode ser ferido e se o corpo morre (retorna pra sua forma de fantasma).

Ao longo de sua jornada tornou-se aliado do Batman impedindo que a Liga dos Assassinos se apoderasse da lendária cidade de Nanda Parbat.

Podemos notar que em diversas ocasiões o Desafiador surge pra auxiliar os heróis quando sua presença é necessária.

O herói participa do desenho da Liga forçando o Batman a matar (fato que deixou o Morcegão chateadíssimo).

Outra aparição sua foi em Batman: Os Bravos e Destemidos, no episódio “O renascer de um homem morto” (Dawn of the Dead Man!).

quando, Batman fica preso dentro de um caixão precisa enfrentar o Cavaleiro Fantasma e recebe ajuda do Desafiador para enfrentar o vilão.

Fim da primeira parte.

 

Batman: A Espada de Azrael

Azrael_Jean-Paul_Valley

Fora o vilão Bane, Jean Paul Valley pra mim é um dos melhores personagens que surgiram nas aventuras do Morcegão durante a década de 90.

Como curiosidade Azrael é uma homenagem a um anjo da morte árabe com nome homônimo.

Batman: A Espada de Azrael foi mostrada no formato de minissérie e dividida em duas edições. Nesta aventura temos arte de Joe Quesada e roteiro de Dennis O’Neil.

Logo no início já vemos Azrael prestes a mais uma execução, mas sua pretensa vítima estava preparada (e atirou no Anjo Vingador).

Mesmo ferido ainda despende um golpe que machuca o olho de seu oponente.

Azrael foge causando tumulto e confusão nos desfile que acontecia nas ruas de Gotham.

Depois ficamos sabendo que o Azrael ferido é o pai de Jean Paul Valley que havia se tornado Batman durante A Queda do Morcego (Bruce havia sido derrotado pelo Bane que fraturou sua coluna deixando-o incapacitado de proteger sua cidade).

No período em que Jean Paul atuou como Morcegão havia adotado uma armadura de combate assustadora pra combater o crime. Essa época também foi marcada pela agressividade crescente de Jean Paul que deixou o vilão Matadouro morrer (eu gostei demais daquilo).

Valley expulsou Tim Drake da Batcaverna atuando sozinho e ainda sofria problemas psicológicos extremos com visões de São Dumas. A melhor parte foi ve-lo lutando contra BW assim que retornou pra reaver o manto de Homem-Morcego.

E pra completar Dick havia ficado chateado por Bruce não te-lo escolhido pra usar seu manto.

Voltando, o pai de Jean Paul morreu, porém antes havia lhe contado tudo que aconteceu no prédio e deixou-lhe um pacote com algumas instruções. O rapaz viaja pra Suiça com uma enorme quantia em verdinhas pras despesas.

Ao mesmo tempo, Bruce começa a investigar o incidente na rua, pois uma repórter que era um caso seu havia morrido atropelada. Um fato que o deixou intrigado foi o colete á prova de balas perfurado, mas não havia nenhum corpo pra saber quem estava usando.

O Azrael que morreu estava caçando Carleton Lehah que havia trabalhado durante anos pra Ordem de São Dumas, porém se desiludiu decidindo ganhar a vida traficando armas e munições exóticas.

batman-jean-paul

Enquanto isso, Valley já na Suiça conhece Nomoz, um anãozinho estranho que mais parece um duende. Ele é o treinador de todo aquele que usa o traje de Azrael.

A Ordem de São Dumas é uma sociedade secreta que remonta até a época das Cruzadas (é bastante semelhante com os Templários). Pelo canone, São Dumas foi o primeiro guerreiro a ser conhecido como Azrael.

A Ordem faz experiências com crianças misturando seus genes com animais para lhes conferir habilidades fora do comum.

E também esses bebês sofrem um incessante processo de lavagem cerebral que é conhecido como “O Sistema”.

Nomoz trata de trazer a tona o condicionamento de Jean Paul que havia sido imposto desde pequeno (fazendo Valley vislumbrar o amuleto da Ordem e trazendo a tona seu condicionamento). O rapaz é treinado pra se tornar o assassino perfeito.

Ser o Anjo Vingador é uma tradição passada de pai pra filho, geração após geração há várias décadas. Algo que obviamente me lembrou O Fantasma e a grande diferença é que Azrael mata a quem atraplhe os interesses da Ordem de São Dumas.

Batman continua investigando Lehah e descobre sua viagem pra Suiça. Resolve ir atrás dele e leva seu fiel mordomo a tira colo. Ambos quase morrem numa explosão que resultou numa grandiosa avalanche.

Até Lehah quase morreu, mas depois deste momento fatídico teve a revelação do Grande Biis, um perigoso inimigo da Ordem. Passando a servi-lo e virando antagonista de Azrael.

Então, Lehah tornou-se o vilão da história, pois segue na tentativa de exterminar os membros vivos remasnescentes da Ordem de São Dumas (que se resumem na quantidade de 12 pessoas).

O vilão quer se apoderar das riquezas angariadas ao longo dos séculos pela Ordem e acaba descobrindo a identidade secreta do Homem-Morcego sequestrando-o e torturando também.

Nessa tortura em que foi usado o soro da verdade, Bruce menciona Nanda Parbat, lugar místico que vemos as aventuras do Desafiador (ou Deadman).

Se não me falha a memória o herói fantasmagórico aparece na série animada da Liga. Num episódio duplo em que usa o corpo do Batman pra matar o Arraia Negra deixando, Bruce arrasado e muito puto da vida.

Bom, na Inglaterra, Lehah usa o traje do Cavaleiro das Trevas pra incrimina-lo na morte do membro da Ordem que mora lá.

Azrael e Alfred seguem em seu encalço e a pasrte interessante é a upgrade que Valley faz no traje atualizando-o pra época.

Quando Jean Paul veste o uniforme seu comportamento calmo e tranquilo muda pra assassino ágil, frio, habilidoso e cruel (vemos isso nas cenas violentas no portão da mansão em Harcourt).

Na  última parte, Lehah ainda mantém Bruce cativo numa Refinaria de Petróleo, em Houston. BW estava quase sendo morto, mas Azrael surge no momento mais propício salvando-o.

Batman: A Espada de Azrael não é uma aventura eletrizante ou sensacional, porque o roteiro simples de Dennis O’Neil acaba servindo apenas pra elucidar o mistério sobre quem é Azrael.

Mesmo sendo uma história muito trivial gostei bastante da arte de Joe Quesada que é repleta de detalhes em todas as ambientações da trama. E isso acaba tornando nossa leitura um pouco melhor.

Deixe algum comentário.